MERCADO DOG

190 RESULTADOS


Página 1

Affenpinscher

Cães da raça Affenpinscher foram originalmente criados para serem perseguidores de ratos em casas, estábulos e lojas. Por ser de porte pequeno eles deixaram de ser perseguidores e tornaram-se companheiros de senhoras. Atualmente eles são cães felizes, companheiros e travessos.

Apresentação da raça Affenpinscher

O cãozinho de Affenpinscher é pequeno, porém é muito valente, além de ser cheio de coragem e energia. É descendente dos pequenos terriers que povoavam os estábulos e lojas nos séculos XVII e XVIII em toda Europa, librando-os de ratos e camundongos.

Atualmente o Affen (como é carinhosamente chamado), se tornou uma raça rara de se encontrar por ai, porém é um dos bons cães de companhia.

 É uma raça que combina seu charme com uma natureza toda ousada, que nunca deixa de surpreender seu tutor. É um cãozinho que aprende pronto para novas aventuras.

Pessoas que compartilham a vida com um Affen, admira sua sensibilidade e delicadeza, mas alertam a seus novos tutores que o Affen é um cão grande em um corpo pequeno.

Além de robusto, inteligente e alerta, o Affenpinscher é um excelente cão de guarda que não tem medo de nada. Ele leva a sério seu dever de cuidar da sua casa, sua família e de seu território e não hesitará em alertar a todos que tem estranhos se aproximando da porta.

É essencial que o Affenpinscher seja socializado com outros cães, animais e pessoas, desde pequeno. é um cãozinho que possui uma mente própria por isso às vezes é rotulado como teimoso, porém, felizmente ele é sempre ansioso para aprender e agradar seu tutor. Ele pode participar de competições e jogos que necessite de obediência e agilidade.

O Affenpinscher também é conhecido por ser divertido e fazer sua família sorrir, mas não é a melhor raça para uma casa cheia de crianças, apesar de ser um cãozinho travesso.

Se você estiver interessado em um cão pequeno, travesso, excelente cão de guarda e que sempre te fará sorrir o Affen é o cãozinho certo.

Destaques e Curiosidades

  • Há alguns séculos atrás o Affenpinscher era um cão perseguidor de ratos. Devido a sua herança de perseguidor, ele tende a não fazer bem para animais pequenos e roedores, como hamster e furões;
  • Em alemão, o nome Affen significa 'macaco' e pinscher 'terrier', apelidando o Affenpinscher de 'cara de macaco'.

História e Origem da raça Affenpinscher

Os antepassados do Affenspischer surgiu ao longo do século XVII, porém na documentação do surgimento da raça relata que o surgimento foi somente no final do século XIX.

A raça se originou na Alemnaha e foi utilizada em toda a Europa Central por possuir habilidades de capturar ratos, então era frequente encontrar um Affen em estábulos, lojas, fazendas e casas.

Muitos dizem que um homem que vivia em Lübeck, Alemanha, foi o primeiro a formar e criar a raça, porém como acontece com muitas raças, a história da criação inicial de Affenpinscher se perdeu na história.

O Affenpinscher foi oficialmente inscrito no American Kennel Club (AKC) em 1936 e ocupa 125º posição entre as raças e variedades reconhecidas pelo AKC.

Características e Personalidade

Apelidado de 'cara de macaco' o Affenpinscher tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 22 a 30 centímetros, com peso entre 3 a 6 quilos.

O Affen é carinhoso, curioso e está sempre em alerta. É totalmente leal a sua família e fará de tudo para protegê-la.

Como todo cão, o Affen precisa de uma socialização precoce. É interessante que desde pequeno, leve seu Affenpinscher a passeios para que ele possa estar entre diferentes pessoas, visões, sons e experiências. A socialização irá garantir que o Affen cresça com uma personalidade amigável diante de situações e pessoas estranhas.

Simplificando, o cãozinho Affenpinscher é corajoso, enérgico, companheiro, charmoso, ousado, sensível, delicado, robusto, inteligente, alerta, ansioso, divertido, travesso.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Affenpinschers são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma  raça propensa a certas condições de sáude. Nem todos os Affens irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: é um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar.
  • Sindrome de Legg-Calvé Perthes ou Doença de Perthes: geralmente também é uma doença que dá em raças pequenas. é causada por uma deformidade da bola da articulação do quadril. Quase sempre acontece entre 6 e 9 meses de idade e às vezes é confundida com displasia da anca. Essa deformidade provoca desfaste e artrite.
  • Displasia da Anca: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavemente na articulação do quadril.
  • Cardiopatia (sopro no corção): é causada por uma perturbação no fluxo de sangue através das câmara do coração. É um indicador de que pode haver uma doença ou condição do coração, que terão que ser tratados.

​Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Affen fique sempre saudável. 

Caminhadas curtas ou um período de tempo adequado no quintal é o suficiente para este cãozinho robusto.

O Affen é o cachorro para apartamento ideal. Por ser pequeno, ele deve ficar dentro de casa em tempo integral, é um cão que não tem medo de enfrentar cães maiores, podendo resultar em um encontro um tanto trágico. Ao treiná-lo, o tutor tem que ser paciente e consistente.

Quanto a alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.

A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.

Tenha o hábito de alimentar seu Affenpinscher duas vezes ao dia.

Pelagem

O Affen possui uma pelagem grossa, áspera com uma testura dura, é mais ou menos uma olegada de comprimentosobre seu corpo, tem a pelagem mais curta perto da cauda e uma pelagem mais alta na cabeça, pescoço, peito, estômago e pernas.

Os Affens não tem muita queda de pelo, mas sua pelagem áspera deve ser apaada para mante a sua exrura característica.

Na Europa é mais fácil encontrar Affens com a pelagem toda preta, às vezes com uma pelagem de um cinza. Porém já se pode encontrar Affens marrom, preto e bronze, cinza.

Relacionamento com crianças e outros animais

Affenpinchers não gostam de comportamentos agressivos., como bater, apertar perseguir e pegá-los ou encurralá-los. Se eles não podem escapar, eles irão se defender por meio de rosnados ou até mesmo morder. Por estas razões eles não são boas escolhas para casas com crianças pequenas. Muitas vezes as crianças não entendem que um Affenpinscher bonitinho e pequenino pode não querer amor e carinho.

O ideal é socializar o Affenpinscher com crianças, mesmo que ele não irá morar com elas, mas sempre supervisionando suas interações.

Affenpinschers geralmente se dão bem com outros cães e gatos na família, mas como eles se acham maiores do que são, sempre entrará em confusão com cães maiores que eles. Então o novo tutor de um Affen deve estar preparado para protegê-lo dele mesmo.

 

 

Afghan Hound

O Afghan Hound é uma raça totalmente personificada na elegância, além de ser uma raça única, antiga e por possuir uma aparência diferente de qualquer outra raça de cachorro. Com o rosto exótico, fino e com um olhar de lado, faz com que entusiastas afegãs descrevem este cão como distante e cômico. 

Apresentação da raça Afghan Hound

O Afghan Hound foi originalmente criado para caçar presas grandes nos desertos e montanhas no Afeganistão. Era muito valorizado pois possuia uma capacidade incrível de correr com muita rapidez e grandes distâncias. Era corajoso o bastante para pegar e segurar animais perigosos.

Foi muito valorizado também por ser um cão com capacidade suficiente para pensar e caçar sem a direção de seus donos e de forma independente.

Atualmente o Afghan não é mais um cão de caça. Um filhote dessa raça busca anciosamente pelo carinho de sua família. Já um Afghan adulto não implora por muita atenção, o pensamento livre e independente que ele possui irá decidir quando ele quer carinho.

O Afghan Hound é totalmente sensível quando ele deseja ser e pode ser muito divertido também.

Por possuir um familiar jeito afetuoso de ser, o Afghan é conhecido por ser travesso e ainda existem histórias que contam que o Afghan tem a capacidade de roubar coisas e objetos de debaixo do nariz do tutor, podendo ir ainda mais longe como por exemplo abrir uma gaveta do guarda-roupas e pegar uma peça de roupa.

É um cão que possui muitas capacidades, mas a vital é de poder ver distâncias muito maiores que os seres humanos e uma boa articulação do quadril que facilita quando for necesário que seja rápido.

É um excelente cão para participar de esportes e campeonatos voltados para percurso da atração, pois, é uma competição que testa a capacidade do cão para caçar pela vista e pelo instinto.

Destaques e curiosidades

  • O Afghan possui um instinto perseguidor, então o tutor deverá prestar atençao, pois ele perseguirá o gato do vizinho, se tiver coelho ou hamster, ele irá perseguir também;
  • Devido a sua natureza independente, o Afghan seráum desafio para a pessoa que irá treiná-lo. O treinador deverá ter paciência;
  • O cãozinho Afghan Hound tem uma baixíssima tolerância a dor. Uma pequena ferida é mais incômoda para esta raça do que para as outras;
  • São cães sensíveis, de um bom alto astral e não respondem muito bem a um tratamento com pouca gentiliza;
  •  Afghan Hound é uma das raças mais antigas vinda do Afeganistão. onde seu nome original é Tazi.

História e origem da raça Afghan Hound

O Afghan Hound é uma raça de cães oriunda do Afeganistão. A raça vem desde a era pré-cristã.

Pesquisadores de DNA descobriram que o Afghan é uma das raças de cães mais antigas.

A primeira documentação de um criador de Afghan ocidental é de um oficial inglês que morava próximo a Kabul.

Caõznho da Afgham Hounds do Kennel Ghazni foram transportados para Inglaterra em 1925 e então, logo em seguida foram trasnportado para a América.

A raça foi reconhecida pelo American Kennel Club em 1926 e o Club do Afghan Hound da América foi admitido pelos membros do AKC em 1940.

O comediante Zeppo Marx, foi um dos primeiros a trazer Afghan Hound para a América. 

No final de anos 1970, a popularidade dos Afghans dispararam quando a boneca Barbie apareceu com um cãozinho de estimação da raça Afghan Hound, isso foi um incentivo para que o Afghan encontrasse o caminho para as casas e os corações das menininhas americanas.

Durante esta época, competições de percurso da atração ficaram mais populares para os Afghans.

Em 1980 o Afghan Hound se tornou uma estrela popular em atividades de competições de anéis do AKC.  

Características e Personalidade

Apesar de sua natureza independente, o Afghan Hound tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 63 a 74 centímetros, com peso entre 23 a 30 quilos.

O Afghan é tipicamente o cão de um tutor só ou de uma família só. Ele não cumprimentará ansiosamenteseus convidados, irá tratá-los com indiferença. Enquanto outros latem enquanto um estranho se aproxima, o Afghan não fará nada, pois não é uma raça conhecida por ser bom cão de guarda.

O jeito e o pensamento independente do Afghan se transforma em um desafio para treiná-lo e não adianta tentar motivá-lo com comida, ele não possui o desejo de ter que agradar seu tutor o tempo todo.

Porém por mais que seja muito independente o cãozinho Afghan Hound é todo elegante, de alto astral, cômico, exótico, corajoso, indeoendente, sensível, divertido, afetuoso, travesso, veloz.

Sáude, Cuidados e Alimentação

Os Afghans geralmente são saudáveis, mas como todas as raças, esta também é propensa a certas condições de saúde. Nem todos os cãezinhos Afghans irão sofrer de qualquer ou todas estas doenças, mas é importante estar ciente delas:

  • Alergias: os sintomas no Afghan são os mesmos nas pessoa como: espirros, corrimento nos olhos e corrimento nasal, comichão, perda de pelo e letargia. O tratamento varia de acordo com a causa e pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças de ambiente;
  • Câncer: os sintomas que podem indicar câncer canino influem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cictrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Catarata: OCERF (The Canine Eye Registration Foundation) define catarata como uma parcial ou completa opacidade da lente, sendo esta a principal causa da perda de visão em cães. Dependendo da gravidade, a catarata pode às vezes ser removida cirurgivamente.
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glãdula tireóide. Os sintomas incluem, infecções crónicas do ouvido, infecções bacteianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta.

​Deixando um pouco de lado os probleminhas de sáude, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável e feliz.

O Afghan prefere estar dentro de casa com a família, é um membro descontraído e calmo em casa, mas é um cão naturalmente ativo que precisa de exercícios diários que inclui uma caminhada.

O Afghan é um artista adepto em escapes, se escapar, será um pouco difícil de pegá-lo. Então o tutor deve estar sempre atento para não deixar seu Afghan escapar. 

O pelo de um cãozinho Afghan deve ser escovado diariamente, como também os banhos terão que ser frequentes.

Outro cuidado é verificar as orelhas de seu Afghan frequentemente também, pois ele tem tendência a ter infecções de ouvido, limpe sempre o ouvido de seu cãozinho com um limpador recomendado pelo veterinário. Observa se no interior do ouvido estiver com mal cheiro, um pouco vermelho ou se frequentemente o cãozinho balança a cabeça pode ser infecção no ouvido.

Escovar os dentes de seu Afghan pelo menos duas ou três vezes por semana também é muito bom pois elimina o acúmulo de tártaro e bactérias.

Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.

A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.

Mantenha seu Afghan Hound em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Afghan é espetacular. É de uma textura fina semelhanate ao cabelo humano, é espesso e sedoso. Na cabeça tem um longo topete sedoso. Com exceção da parte de trás, todo corpo é coberto abundantemente de pelo, até mesmo nos ouvidos e nos pés. O pelo é curto e fechado ao longo das costas e suave em cães maduros. Todas as cores solidas são permitidas pela norma padronizada feita pelo American Kennel Club.

Relacionamento com crianças e outros animais

A natureza independente do Afghan Hound e por ser um cão um tanto grande faz dele uma companhia adequada para um adulto. O Afghan não é apto a querer brincar com crianças. De fato, os movimentos e os barulhos que uma criança faz pode assustá-lo. Com a socialização adequada, o Afghan pode se adaptar à vida em uma família com filhos e se amoroso com eles.

Um Afghan se dá super bem com outro Afghan. Se tiver outros animais de estimação em casa, o Afghan vai tolerar e ser indiferentes com ele. Porém o instinto caçador do Afghan fará ele perseguir pequenos animais, especialmente se eles fugirem.

Airedale Terrier

O Airedale Terrier é conhecido como "o rei dos terriers" e além disso, é o maior de todos os cãezinhos terriers. Sua origem vem do Vale de Aire de Yorkshire e foi criado para pegar lontras e ratos na região do Aire e Rivers Wharfe. Sendo um cão de caça capaz, se tornou um cão de trabalho ideal, provando todo o seu valor durante a I Guerra Mundial. Inteligente, extrovertido e confiante, o Airedale possui uma personalidade brincalhona que encanta seu tutor e sua família.

Apresentação da raça Airedale Terrier

Um cãozinho da raça Airedale chamado Jack, provou todo o seu valor e o valor da raça, sendo resistente durante a I Guerra Mundial. Ele enfrentou os campos de batalha para entregar uma mensagem a sede dos britânicos. Correu no pântano, enfrentou uma chuva de artilharia e ainda por cima teve uma perna e a mandíbula quebrada.

Ele faleceu logo depois que completou a missão. E graças ao seu esforço em entregar a mensagem, seu batalhão britânico foi salvo.

A bravura e coragem apresentada por Jack se reflete nos Airedales de hoje.

Um Airedale pode ser tanto um cão desportivo quanto um cão de trabalho. Atualmente cães da raça Airedale Terrier competem em atividades que necessitam de agilidade, obediência e caça.

O Airedale é um cão que ama aproveitar a vida fazendo seu trabalho, mesmo que este trabalho seja brincar com crianças.

Crianças e Airedales se dão muito bem, porém, os adultos devem estar sempre por perto enquanto crianças e Airedales brincam.

Como qualquer terrier, o Airedale tem uma tendência a cavar, perseguir e latir. É um cão cheio de energia além de ser um ótimo companheiro de jogging, de caminhadas, e de brincadeiras no quintal.

O Airedale Terrier é um cãozinho independente, inteligente e que pensa em si mesmo, sem contar que se alguém for muito agressivo com ele, irá guardar rancor por um bom tempo contra o agressor. O Airedale pode ser agressivo com outros cães e outros animais. Por isso treinar desde cedo o seu filhote de airedale terrier é uma obrigação.

O Airedale é cômico e brincalhão. Ele ama ficar na companhia da família, adora brincar, jogar brinquedos, pegar meias sujas e pegar comida do balcão da cozinha. Além disso, ele é um ótimo cão de guarda e irá proteger sua família com lealdade, ferocidade e valentia.

Destaques e Curiosidades

  • O Airedale tem um instinto natural para cavar, ele geralmente gosta de cavar bem no meio de um bleo jardim;
  • É um cão colecionador, então ele irá pegar meias, cuecas, sapatos, brinquedos e guardará em seu estoque;
  • Por ser um cão que possui uma alta energia de trabalho, o Airedale precisa de exercícios diários. Ele nãoé um cçao bom para apartamentos. O ideal é criar o Airedale em uma casa com um grande quintal;
  • Um hábito que o Airedale possui é mastigar. Então ele irá mastigar qualquer coisa;
  • É um cão totalmente independente, porém, ele gosta de ser um membro da família. Ele se senti mais feliz quando está junto de seu tutor e de sua família, não é um cão para ser deixado no quintal;
  • Os Airedales são chamados de babás de confiança, pois são ótimos com crianças;
  • Treinar o Airedale desde pequeno é muito importante, é bom que ele tenha convívio com outros cães e outras pessoas, para que ele não se torne um cão briguento quando adulto.

História e Origem da raça Airedale Terrier

O Airedale é considerado o maior dos Terries. Em 1853 foi a primeira tentativa de criar um Airedale Terrier. Tentaram criar um cão esperto que poderia pegar lontras nos rios e ratos em terra.

Na primeira tentativa gerou um cão que possuia a perspicácia de um terrier e sendo capaz de nadar bem. Muitas tentativas foram feitas. Dentro de 12 anos, devido a muitos cruzamentos, criou um cão que se tornou um terrier esportivo.

A primeira exposição de cães no vale de Aire foi realizada em 1864, e a então criação que foi gerada depois de anos, participou da exposição, tendo como nomes da raça de Waterside Terrier ou Bingley Terrier.

Depois de muita reviravolta sobre o berço dessa nova raça, um grupo de criadores se uniram e decidiram rebatizar a raça como Airedale Terrier.

No início o novo nome da raça não foi muito bem aceito, gerando muita confusão, até que em 1886 o Kennel Club da Inglaterra aceitou Airedale Terrier como nome oficial da raça.

Em 1990 foi fundado o Clube do Airedale Terrier da América. Airedale Terriers forma utilizadops durante toda a I Guerra Mundial commo mensageiros, sentinelas, portadores de comida e portadores de munição, cães de ambulância, perseguidores, cães de trenó, cães de guarda.

Devido as atuações dos Airedales na guerra, trouxe para a história da raça bravura e lealdade.

Características e Personalidade

Apesar de sua natureza independente e de toda a fama da raça peça atuação na I Guerra Mundial, o Airedale Terrier tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 56 a 61 centímentros, com peso entre 18 a 29 quilos.

O Airedale é um cão trabalhador, independente e atlético, é cheio de energia e resistência. Ele é um cavucador nato, é um perseguidor e late bastante - comportamentos que são característicos das raças terriers.

As pessoas ficam encantadas com o jeito divertido, ativo e cômico do Airedale. Ele é um cão animado que necessita de muita atividade, fica aborrecido se é for deixado muito tempo sozinho, passando a ter um mau comportamento.

É um cão de guarda de muita confiança e se sente orgulhoso por proteger sua família.

É super amigável com seu tutor e família, é um cão muito independente, inteligente, extrovertido, confiante, brincalhão, corajoso, companheiro, cômico, leal.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Os Airedale são geralmente saudáveis, mas com todas as raças, esta também é propensa a certas condições de saúde. Nem todos os cãezinhos Airedales irão sofrer de qualquer ou todas estas doenças, mas é importante estar ciente delas.

Como as outras raças, o Airedale também precisa de uma socialização precoce. Então é bom desde pequeno que ele seja exposto a várias pessoas diferentes, visões, sons e novas experiências.

  • Displasia da Anca: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavemente na articulação do quadril.
  • Alergias: os sintomas no Afghan são os mesmos nas pessoa como: espirros, corrimento nos olhos e corrimento nasal, comichão, perda de pelo e letargia. O tratamento varia de acordo com a causa e pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças de ambiente.
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glãdula tireóide. Os sintomas incluem, infecções crónicas do ouvido, infecções bacteianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta.
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão.
  • Hérnia Umbilical: está doença acontece quando a gordura abdominal ou os órgãos internos se sobressaiam contra a parede abdominal perto do umbigo. Se a hérnia for pequena, pode ser deixada sem tratamento. Hérnias grandes requerem cirurgias, o que muitas vezes é feito quando o cão é castrado ou esterilizado.
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após o parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode sr controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos.
  • Gastroenterite Hemorrágica Canina: É uma doença que provoca vômitos e diarreia, com sangue fresco ou digerido. É um transtorno que ataca o cão muito rapidamente e a causa ainda é desconhecida. É uma doença que necessita de tratamento médico urgente, quando os sintomas são presenciados.
  • Câncer: os sintomas que podem indicar câncer canino influem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cictrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos.

​Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável e feliz.

Um dos cuidados é a socialização, o Airedale deve ser socializado desde pequeno. Ver pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.

O Airedale não é um cão que possui uma queda de pelo exagerada. A escovação regular mantém o pelo em boas condições, o ideal é que escove o pelo de seu Airedale duas vezes por semana. O banho é periódico, de acordo com a necessidade.

Escovar os dentes de seu Airedale pelo menos duas ou três vezes por semana também é muito bom pois elimina o acúmulo de tártaro e bactérias.

Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.

A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.

Mantenha seu Airedale Terrier em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

A bonita pelagem do Airedale tem duas camadas: a camada de acabamento que é um pouco espesso e opaco e uma camada interna, que é curto e macio. A cor da pelagem é sempre em um tom de castanho e marron, onde possui um manto todo preto.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Airedale é um cãozinho divertido e é um excelente animal de estimação para uma família. Às vezes dependendo da situação, ele pode mesmo "proteger" as crianças em casa, mas o jeito ativo e espontâneo pode não ser tão bom nesse momento. 

O Airedale é um cãozinho que se dá bem com outros cães enquanto ele está devidamente socializado e treinado. Ele pode ser agressivo com cães estranhos que ele percebe que é uma ameaça.

 

 

 

Akita

O cão Akita é de uma grande raça e poderosa que exerce uma presença nobre e intimidante. Foi criado para ser cão de guarda dos nobres no período feudal do Japão e foi acompanhante de caçadores de javalis, ursos e veados. É um cão muito corajoso e fiel a sua família, não recua diante de desafios. Se for bem treinado e socializado é ainda mais carinhoso, respeitoso e divertido.

Apresentação da raça Akita

O Akita é um cão grande, com uma aparência distintamente poderosa. Sua postura simplificá-lo em ser um cão robusto e confiante.

É uma raça conhecida por ser muito leal aos seus tutores, além de ser super doce, carinhoso e sempre irá seguir seu tutor por onde ele for.

O Akita é corajoso, possui uma natureza protetora para com sua família, é teimoso e não foge diante de um desafio.

Não costuma latir, sem que tenha algum motivo ou razão. Ele é um pouco indiferente e desconfiado com estranhos, por isso, socializar um Akita com o máximo de exposição quanto possível fará com que ele seja mais suave, amigável e sociável. Além do mais o Akita é uma raça dominante, se ele não for corretamente treinado, irá dominar seu tutor.

O Akita adora carregar as coisas na boca, o que ele vê pela frente ele pega, incluindo o pulso de seu tutor, que ele pega não como uma forma de agressão, mas de um jeito Akita de ser para se comunicar com seu tutor.

Outra coisa que este cãozinho adora é ajudar seu tutor em casa. Ensiná-lo a pegar o jornal, chinelos ou até mesmo as chaves, fará ele muito feliz, pois ele estará ajudando.

O Akita é um cão que possui traços felino, como exemplo: ele lambe seu corpo como um gato e como um tigre ele persegue suas presas silenciosamente.

Apesar de ser reservado para estranhos, é um cãozinho social que necessita de passar muito tempo com seu tutor e família. Não faz bem para ele ficar só no quintal, um Akita solitário pode ficar agressivo.

Não se recomenda o Akita para tutores de primeira viagem. Porém para aqueles que já estão acostumados com cachorros terão como recompensa um ótimo companheiro leal.

  Destaques e Curiosidades

  • O Akita é um pouco agressivo com outros cães, principalmente se forem do mesmo sexo;
  • A socialização do Akita deve ser iniciada desde pequeno. Se a socialização não for bem feita ou se ele for maltratado, ele poderá ficar agressivo;
  • O Akita tem o instinto perseguidor, então ele perseguirá outros animais de estimação que tiver em casa.

​História e Origem da raça Akita

A raça Akita recebeu este nome em homenagem ao distrito de Akita no norte do Japão, onde estudiosos acreditam que foi nesta região que a raça Akita surgiu.

Desde 1.600 vem se falando do cão Akita, que foi resignado para proteger os nobres japoneses e para caçar aves e até ursos.

Um Akita foi trazido pela primeira vez para a América por Helen Keller. Logo após a II Guerra Mundial, muitos soldados americanos que ficaram no Japão, ao voltar, trouxeram com eles mais Akitas.

Thomas Boyd então, fez cruzas e mais cruzas, gerando o Akita Americano, que se tornou um cão mais robusto que o Akita Japonês. Porém muitas discussões ocorreram pois muitos queriam manter-se fiel al padrão japonês da raça. E só em 1.972, o American Kennel Club aceitou a então nova raça.

Em 1.920, um cãozinho Akita ficou famoso tendo até sua própria estátuta em exposição no bairro Shibuya em Tóquio. Por sua lealdade ao seu tutor, que era professor e voltava do trabalho e o cãoxinho Akita ficava esperando por ele todos os dias na estação de trem. Quando o professor morreu, o fiel cãozinho Akita continuou aguardando a chegada de seu tutor todos os dias até sua própria morte.

Esta história real é um exemplo de que o Akita é um cão corajoso, confiante e que expõe sua devoção inabalável ao seu tutor e sua família.

Características e Personalidade

O Akita é um cão corajoso e intencional, possui uma certa desconfiança de estranhos e é muito leal a sua família. É um cão alerta, inteligente e corajoso. Pode ser agressivo com outros cães especialmente cães do mesmo sexo.

Com sua família o Akita é carinhoso e brincalhão. Ele gosta da companhia de sua família e quer sempre participar das atividades diárias. Ele ama sair pegando tudo o que vê pela frente, como jornal e brinquedos. É um cão barulhento, muito conhecido por reclamar e lamentar do seu próprio jeito.

Esteja ciente que o Akita possui uma personalidade muito forte. E não é aconselhável para tutores de primeira viagem, pois precisa de um tutor experiente que seja forte para fornecer a ele amor e disciplina.

​O Akita é um pouco teimoso, assim o tutor deverá ter bastante paciência. Sendo um cão grande com uma aparência poderosa, o Akita tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 23 a 28 centímentros, com peso entre 30 a 60 quilos. É um cão afetuoso, bom para apartamentos, inteligente, territorialista, sensível, determinado, companheiro, leal, tem boa tolerância ao frio, além de possuir extintos de cão de guarda para proteger sua família.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Akita são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, esta também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Akitas irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros que existem, mas é importante e que os tutores estejam cientes delas.

  • Displasia da Anca: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavemente na articulação do quadril;
  • Sindrome Dilatação Volvo Gástrico: É uma condição de riscode vida que afeta cães de grande porte e de peito largo como o Akita. Isso acontece quando: eles comem por dia uma refeição muito grande; comem muito rapidamente; quando bebem grandes quantidades de água depois de comer e até se fazem exercícios depois da refeição. Um inchaço ocorre quando o estômago está alargado com gás ou ar. O cão pode arrotar ou vomitar para se livrar do excesso de ar em seu estômago e o retorno normal do sangue para o coração é impedido, a presssão arterial cai e o cão entra em choque. Sem a atenção médica imediata o cão pode morrer. Então se seu cão está com um inchaço suspeito, com o abdomem alargado, salivando excessivamente, vomitando sem vomitar, inquieto, deprimido, letárgico e fraco com o ritmo cardíaco rápido. É importantíssimo levá-lo a um veterinário;
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glãdula tireóide. Os sintomas incluem, infecções crónicas do ouvido, infecções bacteianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Adenite Sebácea: É um problema sério que é mais comum em Samoiedas, Vizlas, Akitas e Standards Poodles. É uma condição genética que é muito difícil de diagnosticar e muitas vezes confundida com hipotireodismo, alergias e semelhantes. Quando o cão tem essa doença, as glândulas sebáceas da pele se inflamam e são destruídas. Essas glândulas produzem uma secreção que não deixa a pele do cão secar. O cão afetado tem a pele escamosa seca e perda de pelo no topo da cabeça, pescoço e costas, além de ficar com um odor desagradável e com outras infecções na pele.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável. O Akita ficará muito feliz se viver dentro de casa com sua família. Exercícios diários para o cãozinho dessa raça é sempre bom, caminhada, corrida e brincar no quintal são ótimas atividades para o Akita. O que o tutor não deve deixar é seu Akita entediado.

Se ele ficar entediado comportamentos como latir muito, cavar, mastigar e agredir poderão surgir. Então incluir o Akita nas atividades da família e não deixá-lo sozinho é essencial para que ele seja muito feliz.

O Akita possui um duplo revestimento de pelo com um subpelo bastante denso. Seus pelos serão encontrados em móveis, roupas, pratos, nos alimentos, além de formar boals de pelo com poeira no tapete. A troca de pelos ocorre duas ou três vezes por ano. Então se escovar os pelos do Akita a cada semana ajudará a reduzir a quantidade de pelo que cai pelo chão da casa, além de mante os pelos que ficam saudáveis.

O Akita precisa tomar banho cada três meses, porém se ele rolar em uma poça de lama ou algo que o fala ficar sujo e com mau ckheiro, é claro que o tutor deverá levá-lo para tomar vbanho independente dos três meses. As unhas devem ser cortadas uma vez por mês e os ouvidos devem ser limpos e verificados uma vez por semana.

Um dos cuidados também para todos os cães é a socialização desde pequeno. Então passear com o cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bemoara que ele se torne um cãozinho adulto amigável.

Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.

A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.

Mantenha seu Akita em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O Akita possui um duplo revestimento com um subpelo denso, sua pelagem externa não é tão macia quanto o subpelo.

A da pelagem do Akita varia em vermelho-fulvo, vermelho-fulvo e as pontas dos pelos pretas, tigrado e branco.

Relacionamento com crianças e outros animais

Nenhuma criança terá um guardião mais companheiro e leal que um Akita. 

O Akita é ideal para famílias com crianças mais velhas, se a socialização com outros animais na mesma casa for desde pequeno a relação será amigável. Porém, os adultos devem sempre estar de olho enquanto cães e crianças brincam juntos.

 

 

 

Akita Americano

O Akita Americano também chamado de Grande Cão japonês, tem uma postura imponente e elegante. É um cão de grande porte, que possui as orelhas retas e olhos pequenos.

Apresentação da raça Akita Americano

Existem dois tipos de Akita, o Akita original japonês e o Akita padrão americano. Ambas as raças possuem pesos e tamanhos diferentes e o padrão americano permite uma certa pelagem preta, enquanto que o padrão japonês não permite. No Japão e em muitos outros países ao redor do mundo o Akita Americano é considerado uma raça separada do Akita Inu (Akita japonês). Nos Estados Unidos e no Canadá, tanto o Akita Americano e o Akita Inu são considerados uma raça única, com diferenças no tipo, em vez de duas raças distintas.
O Akita Americano possui uma postura imponente e elegante. É um cão de porte grande, que possui as orelhas retas e olhos pequenos. 
Por ser um cão grande o Akita Americano deve ser criado em locais que tenham muito espaço para ele possa correr e se divertir. Por ser grande e necessitar de espaço, eles não devem ser criados em apartamento ou locais pequenos.
O Akita Americano é um cão muito ativo e cheio de energia, por isso é sempre bom que o tutor de um Akita Americano leve seu cãozinho para fazer longos passeios diários. Ele irá adorar passear com seu tutor por vários lugares.
Ele adora brincar, correr e tem sempre muita disposição. Porém não é um cão muito sociável com pessoas estranhas. Porém Akita Americano é um cão inteligente, fácil de ser treinado e é um tipo de cão ideal para uma família. 
É uma raça que conquista a qualquer um por possuir um temperamento bem equilibrado, por ser leal e inteligência.
Assim, o Akita Americano é o cãozinho ideal para quem quer um cão de guarda que seja um superamigo da família.

Destaques e curiosidades

  • Devido a inteligência e obediência da raça na América do Norte e Inglaterra, o Akita Americano é usado para ser cão guia de pessoas cegas;
  • Por ser um cãozinho grande Akita Americano deve ser criado em locais bem espaçosos;


História e Origem da raça Akita Americano

A raça Akita Americano foi desenvolvida durante a II Guerra Mundial, quando cruzaram alguns Akitas Inu (Akita Japonês) com Pastores Alemães e em seguida os filhotes foram levados para os Estados Unidos pelos militares que voltavam. Conforme o tempo foi passando, o Akita Americano foi ficando cada vez mais diferente do Akita japonês, tendo suas próprias características.

 

American Bully

O American Bully é um cão exótico e versátil, descendente dos terriers, dócil, divertidoo e adora compartilhar seu tempo com as pessoas. É um cão totalmente ideal para famílias, pois é muito confiável e muito extrovertido que possui uma ânsia de agradar.

Apresentação da raça American Bully

O American Bully é um cãozinho muito afetuoso, é quase sempre obediene e o que mais quer é agradar seu tutor. Ele é muito corajoso, inteligente e muito cheio de vida. 

Devido a tantas misturas e cruzas herdou características distintas de cada raça que foi ministrada, possui a lealdade e a estabilidade do American Pit Bull Terrier e os temperamentos sociável e amável do American Staffordshire Terrier.

Fisicamente, o American Bully tem um corpo atlético, musculoso e definido, mostrando força e agilidade. É um cão muito corajoso e persistente quando provocado. 

É muito protetor com seu tutor, família e com a casa onde vive. Ele irá lutar até o fim se for interceptado por algo ou alguém que ameace sua família e seu território. Uma das vantagens do American Bully é que possui uma tolerância muito alta quanto a dor.

O American Bully é um cão muito exótico, late muito pouco, quando ele latir é bom que seu tutor vá ver o que está acontecendo, além de ser muito observador. Ter um American Bully é ter muito mais que um cão, é uma ótima companhia para ter dentro de casa, pode muito bem viver em apartamento, no quintal ou no sítio desde que seja protegido do calor e do frio.

É sempre bom socializar todos os cães e não só o American Bully, é interessante o processo de socialização começar desde bem pequeno, para conter qualquer impresvisto desagradáveis que possam surgir quando o cãozinho já estiveer adulto.

Destaques e Curiosidades

  • O American Bully possui muita energia, mas por ser um cãozinho um tanto compacto convive bem em lugares pequenos, desde que esteja junto de sua família.
  • Por mais que seja originário dos terriers, o American Bully é muito dócil, brincalhão, divertido, adora estar junto das pessoas, ainda mais se uma dessas pessoas for seu tutor.
  • Muitos tutores cortam as orelhas de seu American Bully como forma de estética, assim, como muitos outros tutores cortam o rabo de seus cães.

História e Origem da raça American Bully

A raça American Bully surgiu nos Estados Unidos em meados da década de 1980, por criadores que apreciavam cachorros de raça Terrier, ou seja, apreciavam os cães mais pesados e compactos, já pensando nas características que formariam o American Bully, como para, largura do peito e tamanho da cabeça. Para chegar na perfeição do American Bully de hoje, aconteceram muitas cruzas. A combinação de raças como Buldogue Americano, Buldogue Inglês e Olde English Bulldogge, foram feitas até chegar no American Bully, que possui na aparência uma forte semelhança com o American Pit Bull Terrier.

Características e Personalidade

O American Bully é um cão corajoso e alegre, tem um porte físico forte, mas é muito gentil. com sua família é muito amoroso e afetuoso, ele gosta de estar sempre na companhia daqueles que ama. Tem uma expectativa mínima de vida de 8 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 33 a 53 centímetros, com peso entre 31 a 54 quilos. É um cão afetuoso, bom para apartamentos, inteligente, territorialista, sensível, determinado, companheiro, leal, tem boa tolerância ao frio além de possuit extintos de cão de guarda para proteger sua família.

Saúde, Cuidados e Alimentação

American Bullies são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bullies irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

Porém um dos cuidados mais frequentes diante de um cãozinho American Bully é nos esteróides. Muitos tutores e criadores dão a seus American Bullies esteróifes para que eles produzam bastante massa muscular. Quando para de dar os esteróides o corpo do cãozinho encolhe a um tamanho normal, porém o cãozinho fica com muitos problemas de saúde, seus órgãos internos são afetados e sofrem com problemas de articulação. Muitas vezes se a fêmea Bully estiver grávida e tomando esteróides, a droga poderá passar para os filhotes. Então é importante pensar bem antes de dar esteróides a seu cãozinho.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.

Um dos cuidados também para todos os cães é a socialização desde pequeno. Então passear com o cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.

Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.

A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.

Mantenha seu American Bully em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O American Bully tem a pelagem curta com um revestimento liso e brilhante. Ele vem com muitas cores, com cores no padrão ou na combinação de cores. Só não é aceitável American Bully na co merle.

Relacionamento com crianças e outros animais

O cãozinho American Bully possui uma extrema tolerância com as crianças e uma enorme vontade de sempre agradar sua família. É bastante confiante, não é agressivo e ainda tem um temperamento agradável. Porém em interações entre cachorros e crianças é necessário um adulto ficar sempre supervisionando.

 

 

American Pit Bull Terrier

American Pit Bull Terrier é uma raça companheira e de família. Possui uma tenacidade e uma coragem que torna o cãozinho Pit Bull um forte concorrente em esportes que necessitam de força, agilidade e obediência. A raça foi criada para ser uma espécie de isca de touros, porém os cãezinhos foram evoluindo passando a ser cães de fazenda e mais tarde mudaram-se para dentro das casas tornando-se cães babá porque eram amáveis e suaves com crianças.

Apresentação da raça American Pit Bull Terrier

O American Pit Bull Terrier é muitas vezes chamado como a “raça da intimidação”, este termo é muitas vezes usado para rotular um Pit Bull. 
Muitas pessoas acham que Pit Bull é uma raça, porém, Pit Bull não é uma raça e sim um termo para descrever American Pit Bull Terrier, o Bull Terrier, o American Staffordshire Terrier e o Staffordshire Bull Terrier.
Muitos confundem as raças American Pit Bull Terrier com American Staffordshire Terrier, pensam que são uma raça só por conta da semelhança. Especialistas dizem que a confusão com as raças começou em torno de 1930 quando AKC não reconheceu o American Pit Bull Terrier, mas reconheceu o American Staffordshire Terrier.
As raças bull são frequentemente julgadas e mal interpretadas como grosseiras, pois possuem qualidades que os tornam muito determinados e ágeis e acabam atraindo pessoas que procuram por cães competidores e fortes para os colocarem em rings de luta. O resultado disso é que as raças bull e em particular o American Pit Bull Terrier, tem ganhado a reputação de serem perigosos.
As más informações e o modo como uma minoria de cachorros são mantidos em um ring de luta pela criminalidade negligenciada por pessoas de má conduta têm provocado uma legislação contra a raça em diversas cidades e países em torno do mundo.
O tutor de um American Pit Bull Terrier deve estar ciente de que pode ser atendido com raiva e hostilidade por pessoas que estão mal informados sobre esse cãozinho maravilhoso. Porém não são todos que podem ser tutores de um American Pit Bull Terrier, principalmente aqueles que não investem tempo em treinar e socializar seu filho de quatro patas.
Quando é treinado e socializado o American Pit Bull é uma excelente companhia para as crianças. Ele é amável e gentil com seu tutor e sua família e frequentemente se faz de cão de guarda para proteger sua casa e seus entes queridos. O American Pit Bull Terrier é devoto e leal a sua família e se necessário defende eles até a morte.

Destaques e curiosidades:

  • O American Pit Bull Terrier não é uma boa opção para pessoas que não tem tempo para ele, pois é um cão que precisa de toda atenção do tutor;
  • Deve ser treinado e socializado desde pequeno para superar as tendencias de teimosia e prepotência da raça;
  • Quando for passear com o American Pit Bull nunca deixe ele sem a coleira, para evitar a agressão em outros cães. Se ele não foi socializado com outros cães poderá se tornar agressivos com eles;
  • Os American Pit Bull Terrier tem uma grande necessidade de mastigar, por isso é bom que o tutor compre brinquedos duráveis que não podem ser mastigados e engolidos;

História e Origem da raça American Pit Bull Terrier

As raças Bull e Terrier foram criadas no início no século XIX na Inglaterra, para participar dos esportes populares da época no país que eram o bull e bear baiting. Até que em 1835 esses esportes foram considerados desumanos e ilegais, porém surgiu os cães de combate, que tinha em suas características traços de agressão por conta da genética, mas que não tinha vontade de agredir seres humanos. Assim, muito em breve a raça desenvolveu uma reputação de cão forte, protetor, gentil e familiar.
Logo em seguida muitos imigrantes foram para a América e levaram seus Bulls e Terriers, lá eles passaram a ser cães de fazenda, tendo como caçar animais selvagens, guardando as propriedades de animais intrusos e sendo companheiro de seus donos. 
Muitas cruzas aconteceram entre Bulls, Terriers e outros cães, os colonos acabaram desenvolvendo um cão maior do que os cães da Inglaterra.
Em 1898 o UKC (AKC britânico) nomeou esses novos Bulls de American Pit Bull Terrier. O AKC reconheceu a raça anos depois, em 1930, mas com um novo nome, com a intenção de separar esses cães do passado de combate, nomeando-os de American Staffordshire Terrier. As diferenças entre ambas as raças são pequenas.

Características e Personalidade

O American Pit Bull Terrier ama as pessoas e não tem ideia que seu tamanho é um tanto grande para ser um cão de colo. Confiante e consciente de onde vive, o American Pit Bull é um ótimo cão de guarda, ele pode muito bem alertar a presença de estranhos, além de possuir uma coragem incompatível e irá defender sua família com sua prórpia vida.
Como todos os cães, o American Pit Bull Terrier também precisa de uma socialização precoce, ou seja, ser exposto a pessoas, visões, sons e experiências diferentes. A socialização ajuda a garantir que o cãozinho cresça sem ser agressivo. 
O Pit Bull tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 16 anos, sua altura equivale entre 35 a 60 centímetros, com peso entre 10 a 35 quilos. É um cão afetuoso, bom para apartamentos, inteligente, territorialista, sensível, determinado, companheiro, leal, tem boa tolerância ao frio além de possuir extintos de cão de guarda para proteger sua família.
É um cão extremamente inteligente e aprende comandos e truques com facilidade, ama estar envolvido em tudo a seu redor. Uma vez que você tem um cãozinho dessa raça você ira se perguntar como eu viveria sem ele. 

Saúde, Cuidados e Alimentação

O American Pit Bull Terrier são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Pit Bulls irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril;
  • Alergias: Os sintomas no Afghan são os mesmos nas pessoas: espirros, corrimento nos olhos e corrimento nasal, comichão, perda de pelo e letargia. O tratamento varia de acordo com a causa e pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças de ambiente;
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glâdula tireóide. Os sintonas incluem infecções crónicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta.
  • Doença Cardíaca: A doença cardíaca afeta estes cães em várias formas, como a estenose aórtica, que é uma cardiopatia congênita, ou seja, é algo que o cão já nasce. É um estreitamento anormal da ligação entre o ventrículo esquerdo e a aorta. A doença pode ser descoberta por meio de uma radiografia do torax e um eletrocardiograma.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito imporantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
O Pit Bull necessita de exercícios, então uma hora de caminhada ou passar um bom tempo com ele brincando, será ótimo para ele se exercitar.
O American Pit Bull não deve ser deixado por muito tempo do lado de fora, pois é um cão sensível que não tolera muito bem o frio. Independente do clima é um cão que se sente melhor estando dentro de casa. Ele tem uma forte ligação com a família e sofrerá se for deixado sozinho por longos períodos.
Outros cuidados também são relevantes como escovar os dentes de seu Pit Bull pelo menos duas ou três vezes por semana também é muito bom pois elimina o acúmilo de tártaro, bactérias gengivite e mau hálito. 
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu American Pit Bull Terrier em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem é curta brilhante e um pouco dura ao toque. Pode-se dizer que tem de muitas cores, como vermelho, azul, marrom, cinza, preto e branco e rajado.  É uma pelagem fácil de cuidar e de manter limpo com banhos ocasionais, passando uma escova dura e passando um pano irá manter o brilho do pelo.

Relacionamento com crianças e outros animais

O American Pit Bull Terrier ama crianças. É tolerante e um companheiro ideal. Porém nenhum cão deve ser deixado sozinho com uma criança. Por isso é muito importante que um adulto esteja sempre por perto durante esta interação.
Devido a sua herança de cão de combate o American Pit Bull tem a tendência a ser agressivo com outros cães, mas se for socializado cedo e treinado ele poderá ser amigável com muitos cães e gatos.

American Staffordshire Terrier

O American Staffordshire Terrier é um cãozinho muito forte para seu tamanho. É ágil, musculoso e poderoso. É super inteligente, feliz, extrovertido, estável, confiante gentil, amável, divertido, leal e afetuoso com seu tutor e família. É um ótimo amigo para as crianças e para os adultos.

Apresentação da raça American Staffordshire Terrier

A raça American Staffordshire Terrier, conhecida como Amstaff é muitas vezes confundida com a raça American Pit Bull Terrier, pois pensam que são uma raça só por conta da semelhança. Especialistas dizem que a confusão com as raças começou em torno de 1930 quando o AKC não reconheceu o American Pit Bull Terrier, mas reconheceu o American Staffordshire Terrier.
A diferença entre ambas as raças são nítidas, o American Staffordshire Terrier possui uma estrutura óssea maior, o tamanho da cabeça e peso também são distintos, porém pode-se dizer que o Amstaff é primo do American Pit Bull.
O American Staffordshire Terrier é super inteligente, gentil, corajoso e amável com as pessoas. Ele não quer nada mais que agradar seu tutor. 
O Amstaff é um cão muito protetor com sua família e com sua casa, ele lutará com quem for até a morte se o inimigo tentar machucar sua família. É um excelente cão de guarda ao mesmo tempo que é um excelente cão de companhia.
Se ele for devidamente treinaso e socializado ele será um excelente cão sem nuenhum problema.

Destaque e curiosidade

  • Alguns dos talentos do Amstaff são: ser cão de guarda, ser da polícia,  puxador de peso e cão atléta em atividades que precisam de agilidade.

História e Origem da raça American Staffordshire Terrier

No século XIX na região Inglesa de Staffordshire, ocorreu várias cruzas entre um Buldogue e vários terriers, desenvolvendo um cão muscular e ativo, chamando-o de Staffordshire Bull Terrier. 
Cães da raça foram levados para os Estados Unidos, tornando-se a raça preferida de muitos criadores americanos, que aumentaram seu peso e lhe deram uma cabeça maior e mais poderosa. 
A partir dessa nova produção a raça passou a ser conhecida como uma raça separada, sendo chamada de American Staffordshire, que era maior e mais pesado que o Staffordshire Bull Terrier. 
Em 1900, duas linhagens dos American Staffordshire foram produzidas, uma era a cepa show e a outra era cepa não-show. A cepa show eram os cães American  Staffordshire, enquanto a cepa não-show eram os cães da raça American Pit Bull Terrier. Assim passando a ser reconhecidas como raças separadas. 
Atualmente o American Pit Bull Terrier está sendo produzido com as mesmas qualidades do American Staffordshire Terrier. Ambos se tornam grandes cães de estimação.
Em 1936, o American Staffordshire Terrier foi reconhecido pelo AKC. 

Características e Personalidade

Ao longo aproximadamente dos últimos 50 anos, o cuidado com a reprodução produziu este simpático, confiável, cãozinho,  que é especialmente bom com as crianças. 
O American Staffordshire Terrier tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 43 a 48 centímetros, com peso entre 17 a 20 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

American Staffordshire Terrier são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Amstaff irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Alguns Amstaffs são propensos a tumores, cataratas hereditárias, doença cardíaca congênita, como também as doenças abaixo citadas.

  • Cardiopatia (Sopro no coração): É causada por uma perturbação no fluxo de sangue através das câmaras do coração. É um indicador de que pode haver uma doença ou condição do coração, que terão que ser tratados.
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glâdula tireóide. Os sintonas incluem infecções crónicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta.
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais.
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril. 

Amstaffs também são propensos a sofrerem de ataxia, que é um problema de saúde muito grave da raça. 
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
Um dos cuidados também para todos os cães é a socialização desde pequeno. Então passear com o cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu American Staffordshire Terrier em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia

Pelagem

A pelagem do American Staffordshire Terrier é composta por pelos grossos, duro e brilhantes. São encontrados Amstaffs com todas as cores, mas de acordo com o padrão AKC não é incentivado que os Amstaffs sejam mais que 80% branco.

Relacionamento com crianças 

O American Staffordshire Terrier é ótimo com crianças, mas convém para famílias com crianças maiores adotarem este cãozinho. Enquanto a criança e o Amstaff estiverem interagindo é sempre bom que um adulto esteja por perto.
Quanto a interação com outros cães e outros animais se crescerem juntos desde pequenos o convívio será bom.

 

Australian Cattle Dog (ACD) - Blue Heeler - (Boiadeiro Australiano)

O American Cattle Dog, apelidado de Bleu Heeler e conhecido no Brasil como Boiadeiro Australiano é uma raça extremamente inteligente, ativa e robusta. Foi desenvolvida por colonos australianos para lidar com rebanhos de gado em ranchos. E ainda é usado até hoje como um cão de pastoreio. Ele fica feliz por ter um trabalho a fazer e por estar incluso nas atividades da família. É um cão leal e protetor com sua família e é muito desconfiado com estranhos. Além do trabalho de pastoreio, o American Cattle Dog é ótimo em esportes caninos, incluindo agilidade, obediência, flyball e competições com disco voador. 

Apresentação da raça Australian Cattle Dog

É uma raça que é conhecida por muitos nomes como ACD, Bleu Heeler, Heeler Azul, Australian Heeler, Heeler Queensland ou Halls Heeler e em português Boiadeiro Australiano. Porém, oficialmente, a raça é chamada de Australian Cattle Dog tendo como apelido Blue Heeler.
O ACD é um cão de trabalho que possui muita energia, quer ser ativo e estar ocupado o tempo todo. Sua energia deve ser queimada, pois se não for ele acaba ficando aborrecido e tentará fazer alguma coisa para queimar sua energia, como cavar no lixo e cavar o jardim. Porém é um cão muito dedicado ao seu tutor e sua família e atribui a uma pessoa só para obedecer as ordens.
Por ter sido criado para rebanhar com destreza  o gado mordendo as canelas dos animais, ele se torna um cão mordedor. Seu instinto é dar mordidinhas em gado, crianças, animais, carros, ou seja, qualquer coisa que se move. Então o ACD tem uma tendência muito grande a morder, para que ele não se torne o rei das mordida, é interessante que o ACD seja treinado desde pequeno para não sair mordendo por ai.
Outro instinto fortíssimo da raça é a sua forte gana pela caça, o ACD é fascinado em perseguir esquilos, gatos e outros animais pequenos. Se ele for criado desde pequeno com outros animais, ele será amigável com seu companheiro de criação.
Com isso, o Australian Cattle Dog é geralamente muito amigável totalmente protetor com sua casa e sua família, com estranhos ele é bem cauteloso.

 Destaques e curiosidades:

  • O Australian Cattle Dog é uma raça totalmente ativa física e mentalmente. Ele precisa de atividades para ficar sempre ocupado;
  • A mordidinha é mania natural do Blue Heeler. Ela vai estar sempre dando mordidinhas em tudo que se move. Para resolver isso o ideal é socializá-lo e educá-lo desde pequeno, para que ele não saia dando mordidas em tudo que vê.
  • Pode-se chamar o Australian Cattle Dog de cão sombra, pois está sempre seguindo o seu tutor e nunca quer se separar dele;
  • A melhor forma de ajudar o ACD a se dar bem com crianças e outros animais de estimação é criá-los juntos desde pequenos;

História e Origem da raça Australian Cattle Dog

O Australian Cattle Dog foi criado pelos colonos australianos do século XIX para pastorear o gado nas grandes fazendas. A raça foi fundamental para ajudar os fazendeiros a expandir a indústria de carne bovina australiana, pastoreando o gado e dando mordidas em seus tornozelos.
O ACD de hoje é o resultado de muitos cruzamentos. Os fazendeiros procuravam um cão resistente que poderia lidar com o clima severo e com as condições de trabalho na Austrália. Muitos cães foram trazidos da Inglaterra, mas não foram expostos a trabalhos, com eles foram feitos incontáveis cruzamentos por muitos fazendeiros diferentes e finalmente resultando no que se acredita ser os antepassados do atual Australian Cattle Dog.
Assim geraram os cães azuis, que provaram ser o mais popular entre os fazendeiros e se tornaram conhecidos como Super Esquadra. Os cães foram populares também em corridas de gado em Queensland.
Em 1893, Robert Kaleski assumiu a reprodução do Super Esquadra. Anos depois a raça passou a ser conhecida como Heeler Australiano e em seguida, mais tarde, como Australian Cattle Dog, que é o nome aceito em todos os lugares. No entando, muitos ainda chama a raça de Blue Heeler ou Queensland Esquadra.
Em 1980 o American Cattle Dog foi aceito para registro pelo American Kennel Club.

Características e Personalidade

O Australian Cattle Dog é um cão extremamente ativo que precisa de ativida física e mental constantemente. Se ele ficar solitário e entediado, ele poderá ser destrutível. Ele é apto em morder e mastigar o que estiver pela frente. 
O ACD é protetor do que ele considera seu, como tutor e sua casa, e irá sempre protegê-los. É um cão bem reservado com estranhos e é totalmente dedicado ao seu proprietário e a sua família. Ele gosta de estar sempre seguindo seu tutor para todos os lados. A maior punição para uma ACD é a separação física de seu tutor.
Assim como todos os cães, o Australian Cattle Dog precisa de socialização precoce, é bom que o tutor exponhá-o a muitas pessoas diferentes, visões, sons e experiências. A socialização ajuda a garantir que seu filhote de ACD cresça para ser amigável e feliz.
O Australian Cattle Dog é muito inteligente e pode ser intencional e teimoso tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 14 anos, sua altura equivale entre 43 a 51 centímetros; com peso entre 15 a 20 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação:

Australian Cattle Dogs são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os ACD irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perde da visão.
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril.
  • Surdez:  Esta condição é totlamente hereditária ao Australian Cattle Dog. É sempre bom levar o filhote no veterinário para que ele veja todas as condições do cãozinho.

Australian Shepherd

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça pastor-australiano que é uma raça canina oriunda dos Estados Unidos. Levada à nação australiana, onde foi criada pelos pastores de rebanhos, foi desenvolvida e reconhecida enquanto raça primeiramente na América. Chegou a mudar de nome por diversas vezes até o seu adotado. Popularizada após a Segunda Guerra Mundial, é reconhecidamente uma raça polivalente, saindo-se bem sucedida em tarefas que vão de cão-guia a competidora de agility É desta raça o cachorro que detém o recorde de cão com a maior longevidade: Bluey viveu entre 1910 e 1939, morrendo aos 29 anos de idade.

Página 2

Basenji

O cãozinho da raça Basenji foi originalmente encontrado na África, mais especificamente no Congo. Ele foi encontrado por caçadores e foi usado para controlar a população ao redor dos vilarejos, além de ser usado como cão de caça. Ele é inteligente e é uma boa companhia para uma pessoa ou para uma grande família.

Apresentação da raça Basenji

O Basenji é um cão que atrai muitos admiradores devido ao seu pelo curto, com um corpo muscular e pequeno, comportamento alerta, orelhas eretas e cauda enroladinha, porém, as pessoas que não pesquisam sobre um Basenji antes de ter um podem ficar desapontadas ou frustradas, pois não estão preparadas para o temperamento único da personalidade de um Basenji. 
O Basenji é altamente inteligente, ele aprende rápido e sabe perfeitamente bem todos os comandos que o tutor ensina a ele, porém ele pensa primeiro antes de obedecer ao comando ou ele decide sem tem realmente uma boa razão para fazer o que o tutor pediu. O cãozinho Basenji usa sua inteligência para demandar a atenção de seu tutor fazendo com que seu tutor providencie o que ele precisa e necessita.
O tutor de um Basenji terá que ser esperto com seus pertences, pois o que o cãozinho Basenji encontrar pelo chão será mastigado ou comido. Outra faceta do Basenji que o tutor terá que ficar esperto é que cães dessa raça são artistas em escape. Uma das características do Basenji é querer explorar o mundo, então se tiver uma brechina no portão ele irá fugir.
Outra característica bem conhecida de um Basenji é de não latir muito, porém não significa que ele é silencioso. Ele emite um grunhido que é parecido com um riso.
Por outro lado, Basenjis amam brincar. Ele é um cão limpo, com hábitos felinos. Se você é do tipo de pessoa que mantem a casa sempre limpa, você irá apreciar em ter um cãozinho da raça Basenji. Além disso é um cão protetor, ele sempre defenderá sua família. Esta raça também é notada por ser de cães corajosos.
Esportes como aqueles que necessitam de agilidade são ótimos para que um Basenji pratique.  
Com uma aparência única e uma personalidade única, o Basenji não é uma raça para todos, mas sim para aqueles que apreciam a raça, que é cheia de atitude e inteligência, podendo ser a companhia ideal.

Destaques e curiosidades

  •  Basenjis não são muito de latir, mas podem ser barulhentos por emitirem sons parecidos com risos, lamentações e até gritos; 
  • Por ter um pensamento independente o cãozinho Basenji acaba dificultando um pouco o treinamento. Ele não vê necessidade de obedecer a seres humanos;
  • Basenjis tem um forte feeling de caça e não é bom deixar ele sem a coleira quando for passear com ele em um parque por exemplo;
  • Este cãozinho é hábil em escapar, se ele ver um vãozinho se quer no portão fará de tudo para tentar passar por ele;
  • Basenjis tem uma grande quantidade de energia. Então o tutor deverá brincar ou fazer caminhadas com ele para que sua energia seja gasta. Caso isso não aconteça, o cãozinho ele torna-se destrutivo e irá encontrar outras maneiras para queimar sua energia;
  • O Basenji se considera um membro da família. Ele não pode ser deixado no quintal com comida e água, ele necessita de tempo e atenção de sua família;
  • Não é bom que o Basenji vive em uma casa com outros animais pequenos, por ter instinto de perseguidor, ele irá perseguir até pegar;

História e Origem da raça Basenji

O Basenji é uma das mais antigas raças de cão domesticado. Possui o metabolismo diferente de qualquer outro cão, os ciclos das fêmeas Basenjis funcionam uma vez por ano, enquanto as fêmeas das outras raças tem duas vezes ao ano.
O cãozinho Basenji foi encontrado pelos ocidentais na região do Congo da África Ocidental aproximadamente no século XIX. Nesta época e nesta área da África os cães eram utilizados para transportar mercadorias e para alertar a aproximação de animais perigosos quando seus donos faziam trilha. 
Na época muitas tentativas foram feitas para levar cães Basenjis para a Europa, mas sempre fracassavam, pois os cães transportados morriam de doenças quando chegavam no destino. Porém a primeira importação foi na década de 1930, foram transportados cães para a Inglaterra e os Estados Unidos. 
Em 1942, foi formado o Basenji Club of America e em 1943 o AKC reconheceu a raça.

Características e Personalidade

O Basenji é um cão de caça, inteligente e independente, mas que é muito carinhoso e alerta. É um cão perseguidor nato, o que ele vê que move, irá perseguir. Então fatos, coelhos e esquilos, sempre serão suas vítimas.
O tutor de um Basenji que possuir muita paciência, senso de humor e deve sempre estar preparado, pois o que o este cãozinho vê pela frente ele irá mastigar, é bem provável que ele fará o possível para subir no balcão da cozinha ou até mesmo invadir a despensa onde seus petiscos estão guardados.
O Basenji muitas vezes é indiferente com estranhos, eles precisam de socialização precoce e treinamentos. Ele deve ser exposto a pessoas, visões, sons e experiências diferentes.
Basenjis têm uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 40 a 43 centímetros; com peso entre 9 a 11 quilos. Resumindo é um cão inteligente, companheiro, de uma personalidade forte, brincalhão, protetor, independente, ativo e corajoso.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Basenjis são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Basenjis irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Sindrome de Fanconi:  É uma doença renal que afeta o processamento normal das proteínas e açúcares. O cão urina as proteínas que ele precisa para sobreviver. Os sinais incluem sede e micção excessiva e níveis elevados de glicose na urina. Geralmente a doença é diagnosticada em cães nas idades entre 4 e 7 anos. Ainda não há cura. O tratamento é caro e demorado.
  • Doença Imunoproliferativa do Intestino Delgado: Esta doença é semelhante à doença do intestino irritável em seres humnaos. Cães que sofrem desta doença, parecem sofrer de uma reação alérgica permanente com a comida que eles comem, eles sofrerão com diarréia e dificuldade com o ganho de peso. 
  • Deficiência de Piruvati Cinase (anemia hemolítica):  É uma doença genética que afeta os genes do cão. Basenjis com esta doença geralmente não vivem muito além de seu segundo aniversáio.
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glâdula tireóide. Os sintonas incluem infecções crónicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta.
  • Membranas Pupilares Persistentes: São fios de tecido no olho, remanescentes da membrana fetal que alimentam as lentes dos olhos antes do nascimento. Esses fios normalmente desaparecem a partir da quarta ou quinta semana do filhote, mas às vezes os fios persistem. Para muitos cães os fios não causam quaisquer problmas, porém se os fios não quebrarem, os cães podem ter catarata ou opacidade da córnea.
  • Coloboma: Coloboma é o nome comum para descrever uma abertura ou orifício na estrutura do olho. Isto pode ocorrer em qualquer parte do olho, mais comum na parte inferior do olho. Filhotes afetados devem ser esterelizados ou castrados.
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perde da visão.
  • Hérnia Umbilical: está doença acontece quando a gordura abdominal ou os órgãos internos se sobressaiam contra a parede abdominal perto do umbigo. Se a hérnia for pequena, pode ser deixada sem tratamento. Hérnias grandes requerem cirurgias, o que muitas vezes é feito quando o cão é castrado ou esterilizado.
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril.

         Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito imporantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
O Basenji é um cão de caça e precisa de exercícios diários. Então uma caminhada diária fará bem para ele. É um tipo de cão que não pode ser deixado sonzinho no quintal, pois se ver o portão aberto na primeira oportunidade irá fugir. É sempre bom manter o Basenji na coleira.
O Basenji é como um gato em seus hábitos de higiene e mantém-se sempre limpo. Além de ter muitas características felina, uma delas é o desagrado pela chuva.

As unhas devem ser cortadas uma vez por mês e os ouvidos devem ser limpos e verificados uma vez por semana.
Um dos cuidados também para todos os cães é a socialização desde pequeno. Então passear com cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Basenji em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O Basenji possui uma pelagem fina nas cores castanho avermelhado, preto, tricolor (preto e castanho) ou tigrado (listras pretas sobre um fundo castanho), todos os cães com pés, peito e ponta da cauda na cor branca. 
O pelo de todos os cães caem, do Basenji também, porém o pelo do Basenji é muito curto e fino que quando os pelos começam a cair não é tão perceptível quanto a queda de pelo de outros cães.


Relacionamento com crianças e outros animais

O cãozinho Basenji não é conhecido por ser apaixonado por crianças, mas com seu alto nível de energia ele pode ser um ótimo companheiro para crianças mais velhas. Então o Basenji é adequado para uma casa com crianças maiores que possam interagir com eles corretamente.
Um Basenji não deve ser deixado perto gatos ou outros animais pequenos, tem a fama de perseguidor e poderá fazer estes pequenos animais como suas vítimas de perseguição.

 

 

Basset Fulvo da Bretanha

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça basset fulvo de Bretanha que é uma raça de cão de caça originária dos cruzamentos entre cães franceses e britânicos. Desenvolvidos na França, têm como antecessores o griffon fulvo da Bretanha e o basset griffon da Vendeia. De temperamento classificado como lutador e resistente, teimoso e vigoroso, estes cães não são fáceis de serem adestrados e podem chegar a medir 38 cm e pesar 18 kg, medidas comuns aos basset.  Sua pelagem, que requer cuidados esporádicos e varia nas cores vermelha e fulva. Entre suas principais características físicas, estão suas orelhas grossas. que ficam abaixo do nível de seus olhos. Não há, aparentemente, um inquérito de saúde completo para estes bassets. Em 2004, um fora realizado pelo Kennel Club britânico, mas com um pequeno tamanho da amostra, focados na longevidade dos exemplares.

Basset Hound

 

O Basset foi produzido para ser um cão de caça, para caçar especificamente coelhos. Atualmente, em alguns países o cão ainda é usado para esta finalidade. Quando ele não está procurando por coelhos, ele é um excelente amigo de família descontraído e que ama crianças.

Apresentação da raça Basset Hound

O Basset Hound possui uma personalidade plácida e aparência curta de um cão nobre. É um cão bastante popular companheiro de família, bem como um cão de caça lento, porém afiado.
A “Basset” vem da palavra francesa “bas”, que significando baixo. E “Basset Hounds” certamente significa “baixos para o chão”. 
O Basset possui ossos pesados e musculosos, na verdade, é um cão grande em pernas curtas. Sua aparência de pernas curtas é o resultado de uma forma de nanismo chamado de acondroplasia. 
Como foram criados para ser cães de caça, Bassets são cães de cheiro, eles seguem o cheio de suas presas. 
Porque eles foram criados originalmente para ser cães de caça, muitas das características do Basset Hounds têm um propósito. Suas orelhas longas, baixas, arrastar o chão e pegar aromas, enquanto a pele solta em torno de suas cabeças formam rugas que capturam ainda mais o perfume do que eles estão rastreando.
Suas pernas curtas significam que eles se movem mais lentamente do que cães de pernas mais longas, o que torna mais fácil para os caçadores segui-los a pé. Suas caudas são longas e ficam sempre eretas com a ponta branca no final, o que torna mais fácil para os caçadores ver quando os cães estão em grama alta. Os Basset Hounds também têm patas maciças, seus pés dianteiros viram ligeiramente para fora para equilibrar a largura de seus ombros.
Em casa, Basset Hound é calmo e preguiçoso. Ele é leal ao seu povo e possui uma disposição muito agradável e amigável. Ele gosta de estar com sua família e se dá bem com outros animais de estimação. 
Bassets odeiam ser deixados sozinhos por longos períodos de tempo, se isso acontecer eles podem tornar-se destrutivos. Basset Hounds tem facilidades em ficar obesos, o que pode causar problemas em suas pernas. É uma obrigação que eles fazem exercícios regularmente. Eles têm muita resistência e gostam de fazer longas caminhadas.

Destaques e Curiosidades

•    Como todos os cães de caça, Bassets podem ser teimosos e difíceis de treinar;
•    Se o cão Basset sentir um cheiro interessante, ele poderá tentar segui-lo, não importa quanto perigo representa. Por isso quando o tutor for sair com seu Basset, deverá prendê-lo na coleira;
•    Basset Hounds babam muito; 
•    Basset Hounds muitas vezes têm flatulência. Se este problema parecer excessivo, fale com o seu veterinário. Uma mudança na dieta pode ajudar;
•    A obesidade é um problema real para Basset Hound. Ele adora comer e comer em excesso se tiver oportunidade. O tutor deve ficar deolho na alimentação de seu cão;
•    As orelhas compridas do Basset precisam ser verificadas e limpas a cada semana para ajudar a prevenir infecções de ouvido.

História e Origem da raça Basset Hound

Basset provavelmente é descendente do St. Hubert Hound, o antepassado do Bloodhound atual. Ele surgiu quando uma mutação na linhagem St. Hubert Hound produziu um cão de pernas curtas. Talvez os cães-anões foram mantidos como curiosidades e mais tarde criados de propósito quando a sua capacidade de rastrear coelhos e lebre sob o mato em florestas espessas foi observado.
Os Bassets foram primeiramente populares com os aristocratas franceses, mas depois da Revolução Francesa tornaram-se os cães de caça de plebeus, que precisavam de um cão que poderia ser seguido a pé. Bassets foram para a Grã-Bretanha. Em 1866, Lord Galway levou um par para a Inglaterra e produziu uma ninhada de cinco filhotes.
Então, em 1874, o senhor Everett Millais levou um Basset Hound para a Inglaterra, promovendo a raça. Assim, ele começou um programa de criação em seu próprio canil. Devido a seus esforços em promover a raça Basset Hound na Inglaterra, Millais é considerado o "pai da raça".
Ele exibiu pela primeira vez um Basset em 1875, numa exposição de cães ingleses, em 1880 o público começou a tomar nota da raça. Anos mais tarde, a raça tornou-se ainda mais popular quando Alexandra, Princesa de Gales, manteve Basset Hounds no canil real. Em 1882, o Kennel Club na Inglaterra aceitou a raça, e em 1884, o English Basset Hound Club foi formado.
O American Kennel Club (AKC) começou a registrar Basset Hounds em 1885, porém, só em 1916 o AKC reconheceu formalmente a raça.

Características e Personalidade

O Basset é um cão muito descontraído, que se dá bem com todos, crianças e outros animais incluídos e a única coisa que o deixa realmente muito animado é uma boa trilha de cheiro para rastrear. Ele é calmo dentro de casa, mas alerta o suficiente para que exerça a função de cão de guarda. 
Como todos os cães de caça, ele pode ser teimoso quando se trata de treinamentos. Os Bassets serão infelizes se for deixados sozinhos o dia inteiro. A companhia de outro cão é útil.
Como todos os cães, Basset Hounds precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Basset a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Basset Hound tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 33 a 38 centímetros, com peso entre 22 a 29 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães Basset Hounds são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Basset irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Basset. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição;
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos;
  • Panosteite: Esta doença provoca no cão uma claudicação auto-limitante. Com cerca de 5 a 12 meses de idade, o cão pode começar a mancar primeiro uma perna, depois em outra;
  • Glaucoma: É uma doença bastante dolorosa que faz a pressão do olho ficar anormalmente alta. Os olhos constantemente produzem e drenam um fluido chamado humor aquoso. Se este fluido não drenar corretamente, a pressão dentro do olho aumenta, podendo resultar em perda de visão e cegueira;
  • Alergias: os sintomas no Basset são os mesmos nas pessoas como: espirros, corrimento nos olhos e corrimento nasal, comichão, perda de pelo e letargia. O tratamento varia de acordo com a causa e pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças de ambiente;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: é um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhadas, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Thrombopathia: Esta é outra desordem de plaquetas de sangue que às vezes é encontrada em Basset Hounds. Tal como a de von Willebrand, a trombopatia afecta a capacidade do sangue coagular.
  • Problemas de Pálpebras e Cílios: Bassets são propensos a ectropion (uma virada para fora das pálpebras), resultando em uma córnea seca, e entrópio (um giro das pálpebras), fazendo os cílios cavarem na superfície do olho;
  • Doença do Disco Intervertebral: Os cãezinhos Dachshunds são propensos a ter problemas nas costas. Isso pode ser devido à genética ou cair e saltar se estiver em cima de móveis. Os sintomas do problema incluem a incapacidade de se levantar nas pernas traseiras, paralisia e, por vezes, perda do controle do intestino e da bexiga; 
  • Infecções do Ouvido: Como as orelhas compridas do Basset não permitem uma circulação suficiente do ar para dentro do ouvido, as infecções podem se desenvolver. O ideal é limpar as orelhas do Basset todas as semanas e levá-lo ao veterinário se suas orelhas cheirar mal ou parecer inflamadas;
  • Obesidade: A obesidade é um problema sério para os Bassets. O tutor deve manter o peso saudável de seu cão;
  • Displasia da Anca: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavemente na articulação do quadril;
  • Prolápso da Glândula da Terceira Pálpebra (Olho de Cereja): É uma doença em que a glândula sob a terceira pálpebra sobressai e se parece com uma cereja no canto do olho;

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Basset Hound fique sempre saudável.
Basset Hounds são geralmente calmos que sentem bem tanto em pequenas casas quanto em apartamentos. Eles devem viver dentro de casa com a família. Eles não são adequados para viver ao ar livre em calor ou frio extremo.
Bassets são inativos dentro de casa, felizes de se deitar ao sol durante todo o dia, mas eles vão desfrutar de um longo e sinuoso passeio. Bassets são propensos à obesidade e muito peso pode estressar suas articulações.
Quando Bassets estão ao ar livre, eles devem ficar em um quintal cercado ou em uma coleira para que eles não vagueiem fora depois de um cheiro interessante. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Basset Hound em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

Os cães Basset têm uma pelagem lisa, curta que repele a sujeira e a água. É uma pelagem densa o suficiente para protegê-lo em todos os tipos de clima. A pele é frouxa e elástica, dando ao Basset sua aparência distinta.
O padrão da raça Basset Hound permite todas as cores do Hound, mas as cores as mais comuns são tri-color (tan, preto, e branco), preto e branco, marrom e branco, ou vermelho e branco. Limão e branco é aceitável, mas raramente visto.

Relacionamento com crianças e outros animais

Bassets gostam de crianças e se dão bem com elas. O tutor deverá monitorar a interação entre o Basset e uma criança, pois, a criança pode montá-lo e atormentá-lo.
Nenhum cão deve ser deixado sem supervisão com uma criança.
Os Bassets apreciam a companhia de outros cães e podem também começar longitudinalmente bem com gatos, especialmente se forem introduzidos em uma idade adiantada.

 

 

Beagle

Pequenos, compactos e resistentes, os Beagles são companheiros ativos para crianças e adultos. São cães alegres e divertidos, mas por ser Hounds, podem ser teimosos. O Beagle foi criado originalmente para seguir prezas pequena, como coelhos e lebre. Em muitos países Beagles ainda são usados para este propósito.

Apresentação da raça Beagle

É bem difícil resistir ao apelo suave e suplicante dos olhos castanhos de um Beagle, que é um cão feliz, extrovertido e carinhoso. Essas características são mais do que equilibradas, dada a sua natureza hound. 
O Beagle geralmente se dá bem com outros animais e com pessoas. Seu nariz é a parte mais importante de sua anatomia e sua cabeça está sempre no chão, procurando uma trilha interessante a seguir. Ele é ótimo para pegar aromas. 
Em 1984, o Departamento de Agricultura dos EUA decidiu usar Beagles para farejar alimentos de contrabando sendo que eram  para os Estados Unidos no Aeroporto Internacional de Los Angeles. O experimento foi um enorme sucesso. Porque eles são pequenos, amigáveis e bonitos, os Beagles não intimidam as pessoas que têm medo de cães, e com o seu super nariz, eles poderiam ser treinados para identificar artigos alimentares específicos, ignorando aqueles que não eram contrabando.
Muitos outros países têm atividades semelhantes de caça para os Beagles. Devido ao seu pequeno tamanho e temperamento suave, Beagles são ótimos para apartamentos. Eles precisam de bastante exercícios, cerca de uma hora por dia, se possível. Se deixados sozinhos por muito tempo, eles podem tornar-se destrutivos.

Destaques e Curiosidades

  • Beagles podem ficar entediado se deixados sozinhos por muito tempo; 
  • Os Beagles são alvos de ladrões que os roubam de seus tutores para vendê-los aos laboratórios de pesquisa para o uso nos experimentos; 
  • Por mais que sejam carinhosos e gentis, os Beagles podem ser teimosos. O treinamento da obediência é recomendado;
  • O tutor deve monitorar a quantidade de alimentos dados ao Beagle;
  •  Os Beagles não são bons cães de guarda, pois geralmente são muito amigáveis com todos que encontram.

História e Origem da raça Beagle

A origem da palavra "beagle" é incerta. Muitos estudiosos da raça acreditam que pode ter sido derivado da palavra francesa begueule, que significa “a garganta aberta”, ou da palavra do inglês velho beag, que significa “pequeno”. Outros estudiosos pensam que pode ter vindo da palavra francesa beugler, que significa “abaixo”, ou da palavra alemã begele, que significa “repreender”. 
A história da raça é um tanto confusa, pois os Beagles como conhecemos hoje não desenvolveram realmente até o século XIX. Documentos gregos de 400 aC. descrevem cães tipo Beagle. 
Os relatos dizem que os romanos podem ter levado cães de caça de coelhos com eles para a Inglaterra e cruzado com os cães de caça locais. William, o Conquistador supostamente levou cães Talbot Hounds (agora extinto) para a Inglaterra durante a conquista normanda em 1066. Acredita-se que estes cães são os antepassados do Beagle e do Foxhound. 
Beagles tornaram-se populares na Inglaterra muito cedo em sua história. Beagles extremamente pequenos, chamados de Luvas Beagles, eram populares. Estes cães pequenos foram retratados em pinturas. Eles eram usados para a caça, mas rapidamente foram descartados, pois não eram muito rápidos. 
Nos anos de 1700, a caça a raposas tornou-se popular na Inglaterra, e o Beagle foi totalmente descartado, entrando em seu lugar como cão favorito de caça o Foxhound. 
Se não fosse pelos fazendeiros na Inglaterra, Irlanda e País de Gales que continuaram com cães Beagles para caçar coelho e lebre, a raça poderia ter sido extinta naquele momento. 
Em meados dos anos 1800 Reverend Phillip Honeywood estabeleceu estes pequenos Beagles em Essex, na Inglaterra. Acredita-se que estes cães são os antepassados do Beagle de hoje. Rev. Honeywood começou a criar os cães para habilidades de caça. 
Mais ou menos na mesma época, criadores americanos começaram a importar Beagles da Inglaterra para melhorar a aparência de seus próprios cães. Muitas das importações inglesas foram criadas a uma altura acima dos Luvas Beagles, permitindo que eles pudessem caçar raposas. Os reprodutores americanos começaram a criá-los para ser menores para a caça de coelhos.
Em 1880, foi desenvolvido por Willet Randall o "Patch" Beagle. Que gerou principalmente cães brancos com um ponto muito grande tri-color. Eles foram muito populares na década de 1940 e 1950, eram capazes de correr rápido. 
O American Kennel Club e o primeiro clube de especialidade Beagle ambos foram fundados em 1884. Nesse mesmo ano, o AKC começou a registrar Beagles. 

Características e Personalidade

Os Beagles são gentis, doces e engraçados. Porém, como todo cão, o Beagle precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Beagle a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Beagle tem uma expectativa mínima de vida de 13 anos e máxima de 16 anos, sua altura equivale entre 33 a 39 centímetros, com peso entre 9 a 35 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação 

  • Doença do Disco Intervertebral: Os cãezinhos Beagles são propensos a ter problemas nas costas. Isso pode ser devido à genética ou cair e saltar se estiver em cima de móveis. Os sintomas do problema incluem a incapacidade de se levantar nas pernas traseiras, paralisia e, por vezes, perda do controle do intestino e da bexiga; 
  • Displasia da Anca: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril;
  • Prolapso da Glândula da Terceira Pálpebra (Olho de Cereja): É uma doença em que a glândula sob a terceira pálpebra sobressai e se parece com uma cereja no canto do olho;
  • Glaucoma: É uma doença bastante dolorosa que faz a pressão do olho ficar anormalmente alta. Os olhos constantemente produzem e drenam um fluido chamado humor aquoso. Se este fluido não drenar corretamente, a pressão dentro do olho aumenta, podendo resultar em perda de visão e cegueira;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão.
  • Distiquíase: Esta doença ocorre quando uma linha adicional de cílios (conhecida como distichia) cresce na glândula de óleo no olho do cão e protrusão ao longo da borda da pálpebra. Isso irrita bastante o olho;
  • Epilepsia: Beagles são propensos a ter apreensões epilépticas. Em cães que são afetados, devido a condição é genética ou devido a uma queda ou um golpe duro na cabeça. Se o Seagle tem convulsões, deve ser levado ao veterinário para determinar qual tratamento é apropriado. Em muitos casos, a epilepsia pode ser controlada com medicação.
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glãdula tireóide. Os sintomas incluem, infecções crónicas do ouvido, infecções bacteianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Beagle Ananismo: Esta condição acontece quando não cresce e fica menor do que o normal. Esta condição pode ou não ser acompanhada por outras anormalidades físicas, como pernas extremamente curtas;
  • Síndrome do Beagle Chinês: Esta doença é caracterizada por um crânio largo e olhos oblíquos. O cão cresce normalmente de outra forma. Muitas vezes, os cães com esta síndrome têm problemas cardíacos e anormalidades do dedo do pé;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: é um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhadas, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Beagle fique sempre saudável.
Um quintal cercado é uma necessidade em casas que tem um Beagle. Se um cheiro for atraente o suficiente, o Beagle estará mais do que disposto para segui-lo. 
Quando maduro, um Beagle pode se tornar bastante preguiçoso, além de ser uma raça propensa a obesidade.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Beagle em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O padrão da raça para Beagles diz que "toda a cor do hound" é aceitável. A cor mais comum para Beagles é a tricolor com uma sela preta, pés brancos, peito, barriga, e uma ponta branca na cauda, e tan na cabeça e em torno da sela. A segunda combinação de cores mais comum é vermelho e branco em um padrão de manchas irlandesas no rosto, pescoço, pernas e ponta da cauda. 
Seja qual for sua cor, eles normalmente têm uma ponta branca em suas caudas para que os caçadores possam vê-los quando estiverem caçando em grama alta. 
Os Beagles têm uma pelagem lisa, densa, que é resistente à chuva. Sua pelagem tende a ficar mais grossa no inverno, então eles perdem pelo mais na primavera. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Beagles possuem vínculos com todos na família, especialmente com crianças. Eles podem ser brutos ao brincar, por isso eles devem ser adequadamente socializados e supervisionados com crianças muito jovens. Nenhum cão, não importa o quão amigável, deve ser deixado sem supervisão com uma criança. 
Os Beagles apreciam a companhia e não gostam de ser deixados sozinhos. Outro cão ou mesmo um gato ajudará a encontrar suas necessidades de ter sempre um companheiro.

Beagle Harrier

O cão Beagle Harrier foi originalmente criado para caçar lebres e raposas. Atualmente a raça não tão popular, mas seu excelente senso de olfato e ética de trabalho faz dele um grande ajudante para caçadores.

Apresentação da raça Beagle Harrier

Beagles Harriers são cães vivos e ativos, foram criados originalmente para caçar lebres e raposas, mas são também ótimos companheiros de família.
Beagle Harrier é uma das raças mais raras registrados no American Kennel Club. Em 1994, por exemplo, havia apenas quatro ninhadas Harrier nascidas em todos os Estados Unidos, resultando em apenas 31 filhotes.
A velocidade não é tão importante quanto a resistência que este cão possui. Lebres e raposas caiam de exaustão após serem perseguidas por implacáveis Beagles Harriers.
Os Beagles Harriers possuem orelhas compridas e caídas, os pés têm almofadas grossas que lhes permitem correr durante horas por terrenos acidentados. Possuem peitos largos, suas caudas ficam altas e erguidas, tornando mais fácil para os caçadores vê-los de uma distância.
Beagles Harriers são brincalhões, extrovertidos e definitivamente gostam de estar ao redor de pessoas e outros animais. 
O tutor deve ter sempre em mente que o Beagle Harrier é um cão ativo que gosta de explorar e acompanhar.  Além disso, deve lembrar também que Beagles Harriers foram criados para ter um monte de energia e resistência. Eles são caçadores independentes e incansáveis. Eles precisarão fazer exercícios suficientes para ficarem entediados e destrutivos. Pois são cães com muita resistência e são enérgicos sem ser hiperativos, são ótimos em esportes para cães que precisam de agilidade, além de ótimos companheiros de caminhada.
Beagle Harrier ama estar com seu tutor e sua família, mas não é o tipo de cão que exige atenção. 
Dentro de casa o Beagle Harrier é relativamente inativo, é o tipo de cão que não é recomendado para moradores de apartamentos, 
Harriers são bons cães de guarda, quando o assunto é alertá-lo para quaisquer ruídos estranhos ou visitantes em sua casa. No entanto, não espere que eles sejam aqueles tipos de cães de guarda que correm atrás do ladrão. Eles são tão amigáveis que na maioria das vezes saldam estranhos como se fossem velhos amigos.

Destaques e Curiosidades

  • Harriers tendem a ser vocal e alguns gostam de uivar;
  • Alguns Harriers gostam de cavar e são conhecidos pois cavavam sob cercas para escapar e perseguir algo;
  • O Beagle Harrier é um cão de caça e se tiver qualquer oportunidade, ele irá perseguir ou seguir um cheiro. Uma cerca segura é uma necessidade para casas que tem um Beagle Harrier;
  • Harriers são cães que possuem muita energia com uma grande dose de resistência. Eles são perfeitos para famílias ativas ou pessoas atléticas que gostam de correr ou andar de bicicleta com seus cães ao lado (em coleira para que eles não saem em uma perseguição), mas eles podem tornar-se obeso ou destrutivo se viver em uma casa mais sedentária;
  • Harriers são cães de guarda bom que vai latir se eles sentem que alguém ou algo está ameaçando seu território, mas eles não são bons cães de guarda. Depois de levantar o alarme, eles são susceptíveis de cumprimentar estranhos como amigos há muito perdidos;
  • As orelhas compridas do Harrier impedem a circulação de ar adequada para os ouvidos e podem estar propensas a infecções de ouvido.

História e Origem da raça Beagle Harrier

Existem várias histórias conflitantes sobre como a raça Beagle Harrier surgiu. A palavra Harrier é francesa e significa hound ou cão. 
Os primeiros cães tipo Harrier descenderam de uma cruza entre Bloodhounds, Talbot hounds e talvez dos Basset Hounds, todos os quais tiveram suas origens no que são agora a França e a Bélgica.

O Beagle Harrier foi desenvolvido na Inglaterra, e 1260 cães tipo Harrier foram estabelecidos. No século XVIII, Elias Midhope estabeleceu um grupo de cães chamado de Penistone. O grupo, existiu por pelo menos 500 anos.
Estes tipos de grupos eram usados para caçar, lebre com os caçadores seguindo-os a pé. Então os Harriers naquela época, eram bem mais lentos e mais metódico que os Harriers de hoje. A partir do momento que caçar raposas ficou mais interessante, com os caçadores montados a cavalos, Harriers foram adaptados para ter mais velocidade.
Em março de1891 foi formada a Associação de Mestres de Harriers e Beagles na Inglaterra. Na época, Harriers eram muito mais populares do que Beagles. 
Curiosamente, embora Harriers sejam reconhecidos pelo American Kennel Club, o Canadian Kennel Club e a Fédération Cynologique Internationale, assim como outros, o Kennel Club da Inglaterra não reconheceu a raça Harrier desde 1971.
Na Inglaterra, Harriers são apenas propriedade de organizações de caça e estão registrados com a Associação de Mestres de Harriers e Beagles. Eles geralmente são registrados com o AMHB apenas se eles são um membro de têm sido utilizados para pelo menos uma temporada de caça.
Há relatos de Harriers sendo levados para os EUA, já em 1700. 
Embora sejam grandes companheiros de família, Harriers nunca foram uma raça popular. De 1884 a 1994, apenas 949 Harriers foram registrados no American Kennel Club. Apesar de terem sempre classificado no topo da lista em popularidade.
Apesar de sua falta de popularidade, eles têm sido uma parte do American Kennel Club desde seus primórdios, sendo a 13 ª raça reconhecida pelo AKC, e a 4 ª raça Hound reconhecida. 
Havia vários cães Harriers nos EUA durante os primeiros anos do século XX. De 1940 a 1958, nenhum Harrier foi registrado com o AKC, embora alguns estivessem registrados com o Masters of Foxhounds Association of America. Como na Inglaterra, a maioria dos Harriers nos Estados Unidos pertenceram historicamente a grupos de caça e não estão registrados no AKC. Enquanto a maioria Harriers nos EUA são companheiros de família, alguns também são usados para caçar coelho e jogo que é muito rápido para a maioria dos Beagles.

Características e Personalidade

Como um típico cão de caça, que está acostumado a trabalhar em grupo, o Beagle Harrier é extrovertido e amigável, nunca agressivo em relação a outros cães.
Ele possui pensamentos independentes e por isso pode ser teimoso. É um bom cão de guarda e vai alertar seu tutor sempre que ouvir sons estranhos ou com a abordagem de pessoas estranhas. 
Como todos os cães, Harriers precisa socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Beagle Harrier desde pequeno a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Beagle Harrier tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 45 a 50 centímetros, com peso entre 40 a 60 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Beagles Harriers são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Harriers irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Harrier fique sempre saudável.
Beagles Harriers possuem muita energia e resistência. Eles são grandes companheiros se estiverem sempre fazendo seus exercícios, porém se não estiver fazendo exercícios e sentirem entediados, podem tornar-se destrutivos. Harriers não são recomendados para moradores de apartamentos. 
O Beagle Harrier pode viver no quintal com um abrigo adequado para protege-lo do calor e do frio, porém, ele prefere ficar dentro de casa, perto de sua família. Harrier é o tipo de cão que ama estar com a família, mas não exigem a atenção. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Beagle Harrier em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Beagle Harrier é curta, grossa e brilhante. Suas orelhas são muito moles. A pelagem pode vir em uma grande variedade de cores, mas as cores mais comuns vistas nos EUA são tri-cores (preto, tan e branco) e vermelho e branco. Eles se assemelham a um Foxhound Inglês, só é apenas menor.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Beagle Harrier é descrito como sendo excelente com crianças, lembrando que nenhum cão deve ser deixado sem supervisão com uma criança. Um adulto deve estar sempre monitorando a interação entre cães e crianças.
O Beagle Harrier aprecia a companhia de outros cães. Porém, ele pode ver animais menores, incluindo gatos, como presas. Se eles não foram criados juntos desde pequenos, o tutor deve supervisionar de perto suas interações com gatos e outros animais de estimação.

Bearded Collie

A raça Bearded Collie é de origem escocesa e foi desenvolvida para trabalhar no rebanho de ovelhas e gado. Atualmente, os cães dessa raça são excelentes companheiros de família, cães de amostra em shows e cão de pastoreio também. Devido à sua energia e rapidez eles são bem adequados para competir em esportes para cães que necessita de obediência, rali e agilidade.

Apresentação da raça Bearded Collie

O adjetivo mais usado para descrever um Bearded Collie é entusiasmado. Esse adjetivo, juntamente com exuberante, ativo, enérgico, brilhante e confiável simplificam exatamente como é o cão dessa raça. 
O Bearded Collie, chamado carinhosamente de Beardie, possui uma pelagem que se pendura para baixo do queixo em forma de barba.
O entusiasmo do Beardie é exibido por todo seu jeito e sua natureza. Ele é altamente inteligente, ativo, engenhos, extrovertido, carinhoso e as vezes teimoso. É bastante sociável e exigirá ser incluído em todas as atividades da sua família, dentro ou fora de casa. Um Beardie entediado colocará sua considerável inteligência e energia em causar problemas.
Os Bearded Collies são excelentes com crianças. Seu nível elevado de energia faz-lhes os melhores parceiros de brincadeiras, no entanto, a interação entre crianças e cães devem ser sempre supervisionados.

Destaques e Curiosidades

  • Beardies não gostam de ser deixados no quintal, largados e sozinhos, se isso acontecer eles podem se tornar tediosos e destrutivos;
  • Beardies exigem cerca de uma hora de exercício diário em uma área cercada onde eles podem correr;
  • O Bearded Collie irá latir para alertar que pessoas estão se aproximando, porém ele não é um cão de guarda.

História e Origem da raça Bearded Collie

O Bearded Collie é uma das raças mais antigas na Grã-Bretanha. O cãozinho dessa raça possui muitos apelidos, às vezes é chamado de Collie das Montanhas ou o Collie Peludo de Mou'ed e carinhosamente de Beardie. 
Estudiosos da raça acreditam que o Bearded Collie surgiu quando um comerciante polonês que visitou a Escócia em 1500, trocou um par de Sheepdog Polonês Lowland por algumas commodities. Esses cães provavelmente cruzaram com cães de pastoreio local, desenvolvendo o que se tornou o Bearded Collie.
Os Bearded Collies então se tornaram cães de trabalho, porém não tinham nenhum clube da raça e nenhum padrão oficial. Assim mesmo, raça foi mantida por pessoas que valorizaram suas habilidades de trabalho e continuaram a usá-los para o trabalho.
Após a II Guerra Mundial, G. Willison começou a criar Bearded Collie para shows de rings. Então, em 1955 foi formado o Clube do Bearded Collie na Grã-Bretanha. Assim a partir do ano de 1959 a raça passou a ter mais popularidade.
Os cães Bearded Collies só vieram para os Estados Unidos no final dos anos 50. A primeira ninhada de Bearded Collie nascida nos Estados Unidos foi em 1967. Em 1969, foi formado o Bearded Collie Club of America. 

Características e Personalidade

O Beardie é um cão esperto e confiável. Ele é companheiro, brincalhão com as crianças e tem um senso de humor que faz dele uma alegria.
Temperamento envolve vários fatores e varia em cães individualmente. Alguns Beardies são muito doces e quietos, enquanto outros são entusiasmados e barulhentos. 
O Bearded Collie tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 14 anos, sua altura equivale entre 51 a 56 centímetros e com peso entre 21 e 25 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Bearded Collie são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Beardies irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireoide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Membranas Pupilares Persistentes: São fios de tecido no olho, remanescentes da membrana fetal que alimentam as lentes dos olhos antes do nascimento. Esses fios normalmente desaparecem a partir da quarta ou quinta semana do filhote, mas às vezes os fios persistem. Para muitos cães os fios não causam quaisquer problemas, porém se os fios não quebrarem, os cães podem ter catarata ou opacidade da córnea.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que os Beardies fiquem sempre saudáveis.
O Beardie precisa viver dentro de casa com sua família, com acesso a um quintal ou área de terreno cercada onde ele pode correr. Ele não é um cachorro para apartamento. Beardies gostam de estar sempre com sua família em todo lugar. 
Eles ficarão satisfeitos com caminhadas de meia hora ou sessões de jogo com uma bola diariamente. O treinamento de obediência é uma obrigação
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Bearded Collie em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

Para protege-lo do clima extremo Escocês, Beardie tem uma pelagem exterior lisa, áspera e forte e a pelagem de baixo é macia, peluda. 
Todos os Bearded Collies nascem pretos, azuis, castanhos ou castanhos com marcas brancas. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Cheio de humor e energia, os Beardies são excelentes colegas de brincadeiras para crianças. É claro, a interação entre cães e crianças devem ser supervisionadas por um adulto.
Beardies se dão bem com outros cães e gatos se eles estão juntos desde pequenos.

 

Bedlington Terrier

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça bedlington terrier, oriundo do Reino Unido, é um cão cuja primeira aparição em exposições foi em 1870. Provável descendente dos rothbury terriers, os atléticos cães dos ciganos parados em Rothbury, eram usados na caça a lebres e coelhos na superfície. Dono de uma das expectativas de vida mais longas, quatorze anos, tem o temperamento classificado como brando, apesar de se tornar desrutivo caso não se exercite. Fisicamente é dono da peculiaridade de se deixar um topete sem tosa ao longo do focinho, o que lhe dá um aspecto reto na face. No corpo, a pelagem varia em quatro colorações e é composta de partes iguais de pelo e sobrepelo. Outra particularidade são suas orelhas, que podem ou não ter uma franja de pelo branco e sedoso nas pontas. De adestramento considerado de dificuldade moderada, pode atingir os 10 kg.

Bichon Frisé

O Bichon Frise é uma raça de cão alegre, pequeno, travesso e com muito amor para dar. Com seus olhos negros e seus pelos brancos e fofos, o Bichon parece quase como um brinquedo de criança. E não leva muito tempo para perceber que o Bichon pode ser o companheiro mais feliz e mais entusiasmado. 

Apresentação da raça Bichon Frise

Com um corpo compacto, um rostinho de boneca e uma pelagem branca e macia. O cão da raça Bichon Frise é muito atraente, possui um olhar realçado por uma disposição alegre e bondosa. Os cãezinhos dessa raça são frequentemente confundidos com Poodles branca.
O Bichon, como é carinhosamente chamado, está relacionado a várias raças pequenas, como o Coton de Tulear, um cão que se originou na costa Africano em uma ilha perto de Madagascar; O Bolognese, que é de origem italiana, mais precisamente do norte do país, perto da cidade de Bologna; O Havanese, de Cuba; E os Malteses, que foram desenvolvidos na ilha de Malta no Mediterrâneo. Bichons também parecem ter se originado no Mediterrâneo e ter sido levado ao longo de rotas comerciais para outros países.
Bichons podem ser cães pequenos, mas possuem uma dureza de cães grandes. Os Bichons são sempre brancos, porém os filhotes podem ser creme ou um amarelo pálido, com olhos pretos e narizes pretos. 
O Bichon Frise é um maravilhoso animal de estimação, é um excelente cão de família que ama brincar, além de possuir um comportamento afetuoso e gentil. É o tipo de cão que está sempre feliz. Ele só não está feliz quando é deixado sozinho por longos períodos de tempo.
Cães Bichons não são recomendados para pessoas que sofrem com alergias, pois ele tem muita queda de pelo.
Bichons têm a reputação de sofrer de ansiedade de separação, pois gostam de estar com sua família e precisam estar com sua família. Ele se adapta bem a uma variedade de estilos de vida, desde que não têm que ficar muito tempo sozinhos.
Devido ao seu tamanho pequeno, o Bichon é um ótimo cachorro para apartamentos. Porém é um cão com bastante energia e precisa de exercícios diários, incluindo caminhadas e jogos.

Destaques e Curiosidades

  • Os Bichons não gostam de ficar sozinhos por longos períodos de tempo;
  • Bichons Frise são cães minúsculos e só devem interagir com crianças sob supervisão cuidados de adultos;
  • Bichons são inteligentes e astutos. Para ajudar o Bichon ser o melhor companheiro possível, o treinamento de obediência é recomendado;
  • Bichons podem ser propensos a sofrer de problemas de pele e alergias.

História e Características da raça

A origem exata do Bichon Frise é um tanto incerta. Muitos acreditam na crença que diz que o Bichon desceu do Barbet, um cão de água de tamanho médio, e que a palavra Bichon é derivada de barbichon, que é o diminutivo da palavra barbet. 
A família dos cães da raça Barbichon inclui o Bichon Frise, o Bolgnese, o Coton de Tulear, o Havanese, e o Maltês. Todos com aspectos e disposições semelhantes, além da origem ser no Mediterrâneo.
Os registros mais antigos da raça Bichon Frise datam do século 14, quando marinheiros franceses levaram os cães para Tenerife, uma das Ilhas Canárias. Acreditam-se que os cães Bichon Frise foram levados para lá por comerciantes que usavam a rota comercial fenícia, e que o Bichon Frise originalmente se desenvolveu na Itália.
Ainda outros estudiosos da raça acreditam que os marinheiros espanhóis levaram a raça para Tenerife e, no século XIV, marinheiros italianos os levaram de volta ao continente. De acordo com esta versão da história, quando os franceses invadiram a Itália no ano de 1500, levaram muitos cães Bichon Frise de volta para a França como saque de guerra.
Independentemente de como o Bichon Frise chegou na Europa, a raça rapidamente se tornou favorita da nobreza. 
O interesse no Bichon Frise permaneceu forte durante o governo de Napoleão III, mas então o cãozinho caiu em desgraça com a realeza até o final do século XIX. Naquela época, ele era considerado um cão comum, por vezes propriedade de moinhos de órgão ou artistas de circo e às vezes treinados para ajudar a levar o cego. Se não fosse pela inteligência e apelação do Bichon, a raça provavelmente teria sido extinta durante esse período.
Após a Primeira Guerra Mundial, no entanto, os criadores franceses se interessaram pelo Bichon e trabalharam para preservar a raça. Em março de 1933, o padrão oficial da raça foi adotado pela Société Centrale Canine da França, porém a raça possuía dois nomes:Tenerife e Bichon. Mais tarde, no mesmo ano, quando o Bichon Frise foi reconhecido pela Fédération Cynologique Internationale, a presidente da FCI, renomeou a raça Bichon à poil frisé, e logo depois Bichon Frise. Em 18 de outubro de 1934, o primeiro Bichon Frise foi admitido registrado no Kennel Club francês.
Bichons Frises foram levados para os EUA em 1956. E em 1975, o AKC reconheceu o Bichon Frise Club of America.

Características e Personalidade

O traço mais ativo da personalidade do Bichon Frise é a alegria. Este cão ama ser amado, aprecia ser o centro da atenção, e é perito em encantar sua família, vizinhos, veterinário ou qualquer um que esteja a sua volta.
O Bichon é um cão lúdico, independente, mas isso não significa que ele gosta de ficar sozinho. Na verdade, o cão desta raça odeia ficar sozinho e geralmente sofre de ansiedade de separação se deixado sozinho por muitas horas. Em tais situações, os Bichons podem se tornar destrutivos, mastigando e rasgando qualquer coisa à vista. 
O temperamento é afetado por vários fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim como todo cão, o Bichon também precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Bichon Frise a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Bichon Frise tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 24 a 30 centímetros e com peso entre 7 e 12 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Bichons Frise são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bichons irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Problemas da bexiga: Pedras da bexiga e infecções da bexiga não são incomuns nesta raça. Muitos fatores podem causar cálculos da bexiga, incluindo excesso de proteínas, magnésio e fósforo na dieta ou longos períodos de tempo entre a micção. As infecções da bexiga podem ser atribuídas a infecções bacterianas ou virais. Se o seu Bichon precisa urinar com freqüência, tem urina sangrenta, ou parece ter dificuldade em urinar e perda de apetite, levá-lo ao veterinário para um check-up;
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Sensibilidade à vacinação: Alguns Bichons são afetados por esta sensibilidade, e muitos sofrem até mesmo de vacinações de rotina. Os sintomas geralmente incluem urticária, inchaço facial, dor e letargia. Em casos raros, um cão sensível à vacina irá desenvolver complicações ou até mesmo morrer;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Catarata Juvenil: O CERF (The Canine Eye Registration Foundation) define catarata como uma parcial ou completa opacidade da lente, sendo esta a principal causa de perda de cisão em cães. Dependendo da gravidade, a catarata pode às vezes ser removida cirurgicamente.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que os Bichons fiquem sempre saudáveis.
Bichons são cães ativos, porém são ótimos como cachorros para apartamentos. O Bichon não deve ser deixado sozinho por longos períodos de tempo. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença. Então mantenha seu Bichon Frise em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Bichon Frise é uma raça de duas pelagens, sempre branca. A pelagem de baixo é macia e densa.
Bichons têm bastante queda de pelos e sua pelagem é sempre branca, porém os filhotes podem ser creme ou um amarelo pálido, com olhos pretos e narizes pretos.

Relacionamento com crianças e outros animais

Bichons são bons cães de família e maravilhosos companheiros para crianças. Eles gostam de com as crianças, estando em seus jogos ou sentado em suas voltas. Eles são muito tolerantes com o barulho e o tumulto associados com as crianças.
No entanto, como com todas as raças, a interação entre o Bichon e as crianças devem sempre ser supervisionadas por um adulto.
O Bichon gosta da companhia de outros cães, contanto que receba a atenção de seu tutor. Com introduções adequadas e treinamento, o Bichon pode se dar bem com gatos e outros animais.

 

Bichon Havanês

O cão Bichon Havanês ganhou muitos admiradores devido a sua pelagem longa e sedosa e aos seus olhos expressivos. Foi criado para ser um cão de companhia para a aristocracia cubana, o Bichou ganhou o apelido de "cão de Velcro" por ficar sempre colado em seu tutor.O Bichon Havanês é um competidor em esportes para cães.

Apresentação da raça Bichon Havanês

O Bichon Havanês é muito afetuoso com todos, inclusive com pessoas desconhecidas, crianças, outros cães e até mesmo gatos. Mas sua família receberá a parte de afetuosidade. Ele fica como um chiclete ao de seu tutor. A desvantagem de toda esta devoção que o Bichon Havanês tem pelo seu tutor, é que quando deixado sozinho, ele poderá se tornar ansioso. O Bichon é o tipo de cão que deve ficar dentro de casa com sua família, se ele for deixado no quintal ou em qualquer outro lugar longe de sua família, ele não será um cão feliz.
Cães Bichon Havanês são como cães de terapia e cães de assistência. São cães pequenos com muita energia.
Por mais que ele possui suas peculiaridades, o Bichon Havanês é um animal de estimação maravilhoso e versátil.

Destaques e Curiosidades

  • O Bichon Havanês é um cão companheiro, que ama estar com sua família. Ele pode sofrer de ansiedade de separação quando deixado sozinho;
  • É bastante comum para cães da raça Bichon Havanês comer suas próprias fezes. Então o tutor deve colher o cocô do seu filhote de imediato, para que ele não comece com este hábito;
  • O casaco longo e sedoso do Bichon Havanês é bonito, mas requer escovar e cuidar regularmente;
  • O Bichon Havanês se adapta em qualquer ambiente, de apartamentos até grandes casas. Mas ele provavelmente vai latir quando vê alguém passando ou quando ouvir um barulho estranho;
  • O Bichon Havanês gosta de ver o mundo de cima, então ele vai fazer o possível para subir na mesa ou nas costas do sofá para ver o dia passar;
  • Papel é um brinquedo favorito para o Bichon Havanês. Papel higiênico pode lhe dar horas de prazer, enquanto ele rasga;
  • O Bichon Havanês precisa de exercícios igual a um cachorro grande.

História da raça Bichon Havanês

Em 1492, quando Colombo reivindicou Cuba para a Espanha, os colonos espanhóis começaram a ir para a ilha. Eles chegaram até a ilha, com seus pequenos cães de companhia, que são os antepassados da família de cães Bichon.
Estes cães então cruzaram com cães locais. Tempos depois, devido a restrições comerciais tomadas a Cuba pela Espanha, os resultados das cruzas começaram a se tornar o Bichon Havanês que conhecemos hoje. Sua pelagem era espessa e sedoso, o que ajudou a isolar o cão do sol tropical.
No início do século XIX, cães Bichon Havanês eram companheiros de muitas famílias aristocráticas em Cuba. Muitos viajantes europeus que se apaixonaram pela raça, levaram exemplares do cão para a Inglaterra, Espanha e França. Em meados de 1800, a raça tornou-se famosa na Europa. 
Cães Bichon Havanês quase foram extintos, até mesmo em seu país de origem Cuba, porém, algumas famílias cubanas ainda criavam e mantinham os cães. Com a Revolução Cubana em 1959, onze Bichon Havanês foram levados para os Estados Unidos nos braços de seus tutores.
O renascimento da raça começou em torno de 1970, quando um casal de criadores americano encontrou alguns descendentes dos onze cães que foram levados de Cuba. Logo em seguida o casal começou a trabalhar para restabelecer a raça.
O American Kennel Club reconheceu a raça oficialmente em 1995.

Características e Personalidade

O Bichon Havanês é uma raça suave e afetuosa que prospera na companhia de sua família. Ele irá seguir seu tutor por todo lado, durante todo o dia. Ele é muito inteligente também e adora ficar simplesmente sentado no colo por um bom tempo.

O temperamento do Bichon é afetado por uma série de fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim, como todo cão, o Bichon Havanês precisa de socialização precoce, então, o tutor dever expor seu cão a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências.
O Bichon Havanês tem uma expectativa mínima de vida de 13 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 23 a 27 centímetros, com peso entre 4,5 a 7,3 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão da raça Bichon Havanês é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bichons irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Sindrome de Legg-Calvé Perthes ou Doença de Perthes: Geralmente também é uma doença que dá em raças pequenas. É causada por uma deformidade da bola da articulação do quadril. Quase sempre acontece entre 6 e 9 meses de idade e as vezes é confundida com displasia da anca. Essa deformidade provoca desgaste e artrite;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Chondrodysplasia: Esta é desordem genética comumente rotulada como "nanismo". Cães afetados com chondrodysplasia têm membros anormalmente curtos para a raça. Isso pode variar na gravidade de quase normal para incapacitante. Em casos menos graves, os cães podem viver uma vida plena e saudável, mas qualquer cão com esta doença não deve ser criado;
  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer;
  • Shunt Portosystemic: É um fluxo anormal do sangue entre o fígado e o corpo. Isso é um problema, porque o fígado é responsável para desintoxicar o corpo, metabolizar nutrientes e eliminar drogas. Sinais como falta de apetite, hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue), problemas gastrointestinais intermitentes, problemas do trato urinário. Sinais geralmente aparecem antes dos dois anos de idade;
  • Murmúrios cardíacos: Os murmúrios cardíacos são causados por disturbância no fluxo de sangue através das câmaras do coração. Eles são um indicador de que pode haver uma doença do coração que precisará ser monitorado e tratado;
  • Insuficiência da valva mitral: A insuficiência da valva mitral afeta habitualmente cães mais velhos, quando a válvula mitral, que se encontra entre o átrio esquerdo e o ventrículo, começa a falhar. Quando isso acontece, a válvula mitral não consegue impedir o fluxo de sangue para o átrio esquerdo. Isso pode causar insuficiência cardíaca. Os sintomas incluem hipertensão, líquido nos pulmões e uma diminuição da força do músculo cardíaco.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que os Bichons fiquem sempre saudáveis.
Por mais que o Bichon Havanês é uma raça de cão pequena, ele possui uma quantidade justa de energia que precisa ser queimada. Uma caminhada longa ou uma brincadeira todos os dias o manterá feliz.
O Bichon Havanês é um cachorro para apartamento, porém ele ficará bem em todos os tipos de casa, contando que esteja sempre perto de sua família. Esta raça não é adequada para uma vida no quintal. Ele é mais feliz quando está com sua família. 
No entanto, o Bichon Havanês sofre de ansiedade de separação e isso pode ser uma preocupação séria tanto para o cão quanto para seu tutor. A melhor maneira de lidar com esse problema é evitando completamente deixar o cão por longos períodos de tempo sozinho. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença. Então mantenha seu Bichon Havanês em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Bichon Havanês é grossa, porém sedosa e macia que não cai facilmente. É uma pelagem longa que varia de reto a encaracolado.
A pelagem do Bichon Havanês vem em branco, preto, preto e tan, cinzento e uma miríade de outras cores e marcações.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Bichon Havanês é um excelente cão de família, é afetuoso com todos, incluindo crianças de todas as idades e outros cães e animais de estimação. Mas por ele ser pequeno, ele pode facilmente se machucar por acidente, por isso é especialmente importante ensinar as crianças como tratar o cão.

Biewer Terrier

Biewer Terrier é uma raça que teve sua origem na Alemanha, aproximadamente no ano de 1984 em uma ninhada de Yorkshire Terrier, nasceu um filhote com as características diferentes dos outros filhotes. O filhote nasceu tricolor, com as cores azul aço, dourado e branco. 
O tutor da matriz da raça Yorkshire Terrier, Werner Biewer começou a focar na criação deste cãozinho diferente, visando fixar as características que eram diferentes das características de seus irmãos de ninhada. Assim, com alguns anos de criação seletiva, foi estabelecido o padrão oficial para uma nova raça, com o nome oficial de Biewer Yorkshire a la Pom Pon. Depois disso a raça despertou interesse e novos criadores surgiram.

Características e Personalidade

O Biewer Terrier é um cão muito alegre, divertido, obediente, corajoso, amigável, gentil, inteligente, leal, está sempre alerta, por isso se diz que é protetor, estável e sociável tanto com os humanos quanto com outros cães, porém às vezes ele se torna um pouco travesso. Ele consegue se adaptar perfeitamente a todos os estilos de vida. 
O Biewer Terrier tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 20 a 22 centímetros, com peso entre 1,8 a 3,1 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Biewer Terriers são cães geralmente saudáveis, mas como todas as raças, eles também são propensos a certas condições de saúde. Nem todos os Biewers vão sofrer de qualquer ou todas essas doenças, porém é sempre o tutor ficar atento a seu cãozinho e caso perceba algo de errado o ideal é levá-lo ao veterinário.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
Uma boa alimentação é muito importante, tutor deve cuidar da boa forma de seu cãozinho, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia, porém, além dos cuidados com a alimentação, que deve ser balanceada e composta de ração de alta qualidade, outros cuidados com o cãozinho também são necessários, que no caso do Biewer é com sua pelagem.
A pelagem do Biewer Terrier exige muitos  cuidados especiais, como  banhos semanais, utilizando shampoos e condicionadores específicos. Como também é necessário a escovação diariamente para que o pelo não fique embaraçado

Pelagem

O Biewer Terrier possui a pelagem longa e tricolor. Sua pelagem vem nas cores branco, azul aço escuro e dourado pode ser encontrado também pelagem branca, preta e dourada ou azul aço escuro/preto e dourado e até mesmo branco e dourado.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Biewer Terrier é um cão muito sociável tanto com os humanos quanto com outros cães. Ele convive bem com pessoas de todas as idades, incluindo crianças e além disso o Biewer adora a companhia de outros animais também.

Página 3

Boerboel

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Boerboel que é uma raça de cão de grande porte originária da África do Sul. Esta raça foi criada para ser um cão de trabalho de fazenda, servindo como cão de guarda e boiadeiro. É uma raça tipo molosso, pesada e com coloração característica castanha com uma máscara preta.  A palavra "Boerboel" deriva de "boer", palavra holandesa/africana para "fazendeiro". A palavra inglesa "Bull" soa aos ouvidos holandeses como "Boel," daí o nome Boerboel. Boerboel, portanto, se traduz como "Bulldog de fazendeiro" ou "Cão touro de Boer" e deve ser pronunciado um pouco como "burbull." O Boerboel é a única raça sul-africana e foi criado para defender a herdade. Apesar da longa história de criação do Boerboel, existe uma grande incerteza sobre quais raças foram usadas para criá-lo. Acredita-se geralmente que a raça foi criada a partir de cruzamentos entre cães da raça nativa africana Landrace - assim como o cão Africanis - com raças trazidas para a África do Sul por colonos holandeses, franceses e britânicos. As origens mais prováveis ​​remontam a chegada de Jan van Riebeeck na praia do Cabo em 1652. Van Riebeeck trouxe um "Bullenbijter"(Bullenbeiser) com ele. Os colonos originais e colonizadores europeus posteriores, também levaram cães grandes e fortes que quase certamente foram cruzados com raças de cães domésticos nativas da África do Sul.

Boiadeiro Bernês

O Boiadeiro Bernês é um cão extremamente versátil. Ele foi desenvolvido para ordenhar rebanho de gado, puxar carrinhos, e ser tanto um cão de guarda quanto um companheiro leal. Ele é um dos quatro tipos de Cachorros Suíços da Montanha, e é o único que possui a pelagem longa. O Boiadeiro Bernês vem do Cantão de Berna, e foi daí que saiu o nome da raça. É um cão grande e resistente, ao mesmo tempo que é calmo e amigável.

Apresentação da raça Boiadeiro Bernês

O Boiadeiro Bernês é carinhosamente chamado de Berner pelos amantes da raça (pois o nome da raça em inglês é Bernese Mountain Dog). É um cão bastante resistente que possui uma pelagem bonita além de ser bem apropriado para o trabalho pesado.
O Berner é um cão bonito e gentil e muitos anos atrás na Suíça,  este cão era uma parte extremamente vital da vida nas fazendas, pois trabalhava conduzindo o gado, proteger sua família e puxar carrinhos com mercadorias.
Além de ser um cão muito bonito, o temperamento do
Boiadeiro Bernês é maravilhoso. Ele é leal, afetuoso, inteligente e muito ansioso para agradar seu tutor. 
É um cão obediente e fácil de treinar.
O
Boiadeiro Bernês é calmo, sociável e às vezes é um pouco cômico quando está brincando com sua família. Ele é ótimo com crianças de todas as idades e com adultos também, porém ele não é uma boa escolha para aqueles que moram em apartamentos ou em uma casa com o quintal pequeno. 
Não só para o Berner mas sim para todos os cães, treinamentos de socialização precoce são recomendados. Além disso, o Berner é conhecido por ter uma personalidade "suave", seus sentimentos são feridos facilmente e ele não responde bem a gritarias e grosserias.

Destaques e Curiosidades

  • Devido a pequena base genética, o Boiadeiro Bernês têm muitos problemas de saúde, assim, atualmente, a vida de um cãozinho dessa raça é curta, ele vive aproximadamente de 6 a 8 anos;
  • Os pelos do Berner cai muito, principalmente na primavera e no outono;
  • O Berner gosta de estar sempre com sua família. Se ele ficar por muito tempo isolado ele poderá desenvolver problemas de comportamento, como latir muito, cavar ou mastigar as coisas;
  • Por mais que seja muito gentil com as crianças, o Bernese às vezes acidentalmente pode derrubá-las, por isso um adulto deve estar sempre por perto dessa interação.

História e Origem da raça Boiadeiro Bernês

A antiga raça Molosso se destaca com muita influência no desenvolvimento de cães Mastiff e Bernese. Estudiosos acreditam que as raças suíças de Sennenhund (Appenzeller Sennenhund, Entlebucher Sennenhund, Greater Swiss Mountain Dog,  e Berner Sennenhund) se desenvolveram devido a cruzamentos entre cães de fazenda dos Alpes suíços e os cães Molosso que os romanos levaram quando eles invadiram os Alpes no primeiro século a. C.
Pode-se dizer que o
Boiadeiro Bernês foi um cão de trabalho em fazendas suíças há mais de 2.000 anos atrás, onde cães dessa raça puxavam carrinhos, acompanhavam o gado e vigiavam as fazendas.
Em 1904 ocorreu uma exposição de cães que foi realizada em Berna, foi quando pela primeira vez se referiu para o Berner como “Bernese”, neste mesmo ano, a raça foi reconhecida pelo Swiss Kennel Club como Bernese Mountain Dog (
Boiadeiro Bernês).
Em 1936, criadores britânicos começaram a importar cães
Boiadeiros Bernês, a primeira ninhada de filhotes nasceu na Inglaterra. 
O Bernese Mountain Dog Club of America foi fundado em 1968, possuía 62 membros e 43 cães da raça registrados. Depois de três anos, o clube passou a ter mais de 100 membros. E em 1981 o  Bernese Mountain Dog Club of America se tornou membro do AKC.

Características e Personalidade

O Boiadeiro Bernês é um cão muito afetuoso, inteligente, alerta, calmo e tolerante. Ele gosta de estar sempre junto de seus entes queridos e fica muito contente quando é incluído nas atividades da família. 
O Berner não é um cão agressivo, porém é muito protetor. Ele pode ser distante e um pouco tímido com estranhos.
Assim como outros cães, o Berner também precisa de uma socialização precoce, então é bom que desde pequeno, ele seja exposto a pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O
Boiadeiro Bernês tem uma expectativa mínima de vida de 6 anos e máxima de 8 anos, sua altura equivale entre 58 a 70 centímetros; com peso entre 31 a 54 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Boiadeiros Bernês são cães geralmente saudáveis, mas como todas as raças, eles também são propensos a certas condições de saúde. Nem todos os Boiadeiros Bernêss vão sofrer de qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.

  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril; 
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perde da visão;
  • Shunt Portosystemic: É um fluxo anormal do sangue entre o fígado e o corpo. Isso é um problema, porque o fígado é responsável para desintoxicar o corpo, metabolizar nutrientes e eliminar drogas. Sinais como falta de apetite, hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue), problemas gastrointestinais intermitentes, problemas do trato urinário. Sinais geralmente aparecem antes dos dois anos de idade;
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos;
  • Panosteite: Esta doença provoca no cão uma claudicação auto-limitante. Com cerca de 5 a 12 meses de idade, o cão pode começar a mancar primeiro uma perna, depois em outra;
  • Torção Gástrica: Também chamado de inchaço, é uma doença potencialmente fatal que pode afetar cães grandes, de peito profundo, como os Boiadeiros Bernês. Isto acontece quando eles são alimentados com uma grande refeição por dia, quando comem rapidamente, bebem grandes volumes de água depois de comer, e se exercitar vigorosamente depois de comer.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
O
Boiadeiro Bernês não é um para apartamentos. Uma casa com um grande é a melhor escolha. O Berner é um cão de trabalho, e possui muita energia. 
Com sua pelagem bonita e grossa, o Berner se adequa muito bem em climas frios. Por outro lado, por sua pelagem ser grande e grossa ele costuma sofrer como o calor em clima quentes. 
O tutor deve cuidar da boa forma de seu cãozinho
Boiadeiro Bernês, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Boiadeiro Bernês é linda, ele possui uma pelagem dupla espessa com um pelagem no exterior mais comprido. A maior parte do corpo do Berner é coberto de pelo preto com oxidação rica e branco brilhante. Há geralmente uma marca branca em seu peito que se parece com uma cruz invertida, uma chama branca entre os olhos, além da ponta de sua calda ser da cor branca.
O Berner tem muita queda de pelo durante todo o ano, porém a queda de pelo fica mais forte no outono. Escovar várias vezes por semana ajuda a reduzir a quantidade de cabelo em torno da casa e mantém o pelo limpo e desembaraçado. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Boiadeiro Bernês é um excelente animal de estimação para famílias. Ele geralmente é gentil e afetuoso com crianças que são gentis e cuidadosos com os animais. Porém por ser tão grande, ele pode colidir ou derrubar crianças pequenas, podendo machucá-las. 
O ideal é que um adulto esteja sempre supervisionando interações entre cães e crianças. O Berner também se dá bem com outros animais de estimação, embora quanto maior a diferença de tamanho, mais supervisão e treinamento são necessários para manter todos seguros.

Boiadeiro de Entlebucher

Boiadeiro de Entlebuch que<span style="\&quot;line-height:" 1.6em;\"=""> é uma raça de cão originária de Entlebush, vale situado na região de Lucerne e de Berne, na Suíça. Raça é conhecida desde a Antiguidade, tem em sua aparência uma provável descendência dos mastiffs romanos, embora seja difícil precisar sua origem. Descoberta no século XIX por um juiz de competições e um criador que exploravam os vales suíços, é vista como a menor das raças dos tricolores boiadeiros. Raramente visto fora de sua terra natal, é descrito como um cão de adestramento com dificuldade moderada, forte e compacto, que gosta de agradar ao dono. Tais características o transformaram em um popular cão de companhia.

Bolonhês

 A raça Bolonhês é de um cão companheiro, que ama estar ao lado da sua família. No entanto, ele também adora ficar no seu mundinho particular e pode ser bastante astuto quanto a isso.

Apresentação da raça Bolonhês

O Bolonhês é um ótimo cão de companhia, é sempre animado, cheio de bom humor e esbanja felicidade. É um excelente companheiro e adora acompanhar seu tutor para todo lugar. É um cão inteligente e obediente. É bem fácil treinar um Bolonhês, ele aprende rápido cada ensinamento que lhe é passado. 
Por ser de porte pequeno, o Bolonhês é um ótimo cão para apartamento. Ele possui pouca demanda para atividades físicas, porém o tutor deve levar sempre seu Bolonhês para passear. 
Além de tudo, o Bolonhês também é brincalhão, gosta de correr ao ar livre e adora ficar no colo do dono e receber carinhos. 
O Bolonhês é o tipo de cão que não pode ser deixado sozinho por longos períodos, pois ele podia ficar com tedio e consequentemente destrutivos, por isso, precisa estar sempre na companhia de alguém.

Destaques e curiosidades

  • O pelo do Bolonhês embola facilmente, por isso, o tutor deve escová-lo todos os dias para evitar que fique embaraçado;
  • Cães Bolonhês já foram pintados por grandes artistas plásticos famosos, como: Ticiano, Pierre Breughel e Goya. 

História e Origem da raça Bolonhês

É de origem italiana, mais precisamente da cidade de Bolonha, de onde ele leva seu nome. 
Existem seis raças de Bichons e o Bolonhês faz parte desse grupo junto com as raças Lowchen, Maltês, Bichon Havanês, Coton de Tulear e o Bichon Frise. 
Estas raças de cães desenvolveram-se na zona do Mediterrâneo. De acordo com estudiosos da raça, o Bolonhês e o Maltês são parentes próximos, mas não afirmam que são duas ramificações de um antecedente qualquer ou se uma raça deu origem à outra. 
O Bolonhês já era conhecido na Itália, desde a Era Romana (750 a.C - 500 d.C). Mesmo com a queda do Império a popularidade da raça permaneceu., seguindo durante a Renascença.

Características e Personalidade

O Bolonhês é cômico, curioso e inteligente, adora passar o tempo com sua família. 
A característica mais marcante do Bolonhês é o companheirismo. Ele foi criado para ser um cão de companhia, é afetuoso, sociável e se dá muito bem com pessoas e animais.
O Bolonhês sofrer com a ausência do tutor, pois é um cão muito apegado a família. Estão, está raça não é indicada para pessoas que trabalham fora e ficam muito tempo longe de casa. Porém, é um cão reservado com estranhos e se ele sentir uma ameaça no ar, ele começará a latir.
O cãozinho Bolonhês tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 14 anos, sua altura equivale entre 27 a 30 centímetros, com peso entre 2,5 a 4 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Bolonhês é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bolonheses irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas. 
Porém, deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Bolonhês fique sempre saudável. Caminhadas curtas ou um período de tempo adequado no quintal é o suficiente para este cãozinho robusto.
O Bolonhês tem pouca queda de pelo, por isso ele necessita de vários cuidados. 
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Bolonhês duas vezes ao dia

Pelagem

O Bolonhês possui uma pelagem longa e sem franjas, que deve ser escovada todos os dias, além de mensalmente o pelo deve ser aparado.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Bolonhês se dá bem com crianças mais velhas. Ele não é recomendado para famílias com crianças pequenas. O tutor deve sempre estar ciente que toda interação entre cães e crianças devem ser monitoradas.
Já com outros animais, se forem criados juntos desde pequenos serão bons amigos.

Border Collie

O cãozinho Border Collie foi desenvolvido para juntar e controlar ovelhas. É bem conhecido por possuir um olhar intenso, com o qual ele consegue controlar o rebanho que está dominando. É um cão com energia ilimitada, com muita resistência sendo um cão de pastoreio. Até hoje o cãozinho Border Collie ainda é usado para pastorear ovelhas em fazendas e ranchos em todo o mundo. O Border Collie  é muito intelegiente, que também se destaca em vários esportes caninos, incluindo obediência, flyball, agilidade, controle e competições de discos voadores.

Apresentação da raça Border Collie

O Border Collie é o mestre artesão no trabalho de pastorear o rebanho das ovelhas. Ele possui uma quantidade sobrenatural de energia e resistência. Esta resistência toda que ele possui foi adquirida quando um cãozinho Border Collie foi obrigado a trabalhar durante todo o dia nas colinas e vales de seu país de origem, às vezes corria 50 milhas ou mais por dia. 
Se há um lado escuro para a energia do Border Collie e atitude do workaholic é que ele não é um cão de ficar dentro de casa sendo mimado. Ele quer e necessita de um trabalho. 
O Border Collie é um cão de pastoreio, que tem um impulso irresistível para reunir um rebanho. Sendo assim, este rebanho pode ser ovelhas, crianças, gatos, esquilos, ou qualquer coisa que se move, incluindo carros. No entato o Border deve estar sempre em atividade, ou seja, pastoreando as ovelhas ou competindo em esportes para cães. Uma caminhada rápida ou um jogo de buscar discos todos os dias não são atividades que satisfaça o Border Collie.
Contudo, o Border Collie é um cão maravilhoso para viver. Ele possui uma inteligência que o torna fácil de ser treinado. É um cão sensível que se for bem socializado e treinado desde filhote, ele pode se adaptar a quase qualquer situação da vida que proporciona o exercício físico e mental que ele requer. 

Border Collie é uma raça que se destaca em qualquer atividade que o cãozinho praticar. Atividades como: agilidade, flyball, disco de vôo, obediência avançada, obediência estilo livre, ou rastreamento, são ótimas para um Border Collie. 

Destaques e curiosidades

  • O Border Collie é um cão muito sensível, muitas vezes responde ao comando sutil e aparentemente capaz de prever os desejos de seu tutor com antecedência;
  • É um cãozinho totalmente workaholic que prospera na estimulação mental e física. Se não tiver uma atividade para ele fazer, ele irá inventar seus próprios jogos, podendo se tornar um problema;
  • O Border Collie vai unir tudo que se move, incluindo crianças, carros, pessoas em bicicletas, gatos e esquilos. Ele pode se tornar um problema real se ele ficar vagueando pela rua sem estar na coleira;
  • O Border Collie não costuma sair vagueando por qualquer lugar, porém sua curiosidade e inteligência pode levá-lo a se tornar um artista de escape.

História e Origem da raça Border Collie

O surgimento da raça Border Collie se inicia quando populações da Grã-Bretanha começaram a utilizar cães para ajudar na proteção do rebanho dos carneiros. No país fronteira entre Escócia e Inglaterra, o cão de pastoreio se tornou um dos ativos mais valiosos uma pessoa poderia ter.
O tipo de cão variou, dependendo do terreno ou do trabalho necessário em cada região. Estes cães de pastoreio tornaram-se associados com suas regiões particulares e acabaram por serem conhecidos como Welsh Sheepdogs, Northern Sheepdogs, Highland Collies e Scotch Collie de acordo com sua região. O nome Border Collie reflete sua herança parcialmente ao escocês: a palavra collie, que se refere a cães pastores, é derivado do dialeto escocês.

Em 1860, Sheep Dogs Scotch foram mostradas na segunda exposição de cães já realizada na Inglaterra. Em uma viagem para Balmoral, pouco tempo depois, a rainha Victoria viu um dos cães e tornou-se uma entusiasta da raça.
Em 1876, foi levado para a Inglaterra 100 selvagem ovelhas Welsh ao Palácio Alexandra em Londres para uma demonstração. Uma conta no Jornal Pecuária descreveu o espanto dos espectadores no entusiasmo dos cães, cuja assistência somente a partir de seus manipuladores foi na forma de sinais de mão e assobios.
Hoje, o Border Collie é reconhecido como o cão premier sheepherding. O Border Collie foi reconhecido pelo American Kennel Club em 01 de outubro de 1995.

Características e Personalidade

O Border Collie possui personalidade é caracteristicamente alerta, enérgética, trabalhadora e inteligente. Ele aprende muito rapidamente. Tão rápido que às vezes é difícil desafiá-lo. É um tipo de cão que gosta de estar ocupado. Na verdade, ele deve estar ocupado ou ele fica aborrecido, o que o leva a um comportamento irritante, tais como latir, cavar, ou perseguir carros. Ele não é um cão para se deitar calmamente na varanda da frente, enquanto saboreia um copo de limonada; ele vive da atividade. Lembre-se, ele foi criado para correr e trabalhar todos os ovinos dia da reunião.
O Border Collie é também conhecida por ser altamente sensível, prestando atenção num apito ou em um sinal com a mão e até mesmo em uma sobrancelha levantada.
Claro, o Border Collie não é perfeito. Ele pode ser forte de espírito e independente. Na ausência de ovelhas, ou algum tipo de trabalho, ele é capaz de reunir e perseguir crianças, carros ou outros animais de estimação.
Ele também pode se tornar medroso ou tímido, se ele não for devidamente socializado como um cachorro.
O Border Collie tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 45 a 55 centímetros; com peso entre 13 a 20 quilos.

Border Terrier

O Border Terrier é um cão alerta e de boa-natureza foi criado para ajudar os caçadores de raposas, tirando as raposas de seus esconderijos, para ficarem do lado de fora para que os cães foxhunts pudessem persegui-las. É ótimo para caçar e cavar, além de possuir um nível de altíssimo de energia que lhe permitiu acompanhar os caçadores que estavam montados a cavalo. Fora essa vida de caçador, o cão Border Terrier é maravilhoso, companheiro e ama brincar.

Apresentação da raça Border Terrier

O Border Terrier é um cão pequeno que possui um olhar alerta, uma movimentação poderosa para caçar e cavar, um nível altíssimo de energia, que é algo típico de terrier e uma personalidade boa. Ele é inteligente, leal, destemido, amoroso e determinado.
Para os tutores certos, o Border Terrier é um cão maravilhoso. Ele é adequado para famílias ativas que podem dar a ele muitas atividades e exercícios.
Então, o ideal para o cãozinho Border Terrier é viver em uma casa com um quintal grande e bem protegido para mantê-lo seguro. Se ele ficar muito tempo sozinho ou sem uma atividade para fazer, ele ficará com tédio e poderá se tornar destrutivo. Ele irá cavar e tentará explorar. Se tiver jeito, ele irá escapar por meio de buracos em cercas, portões ou portas abertas, ou por qualquer outro meio que ele encontrar. 
O Border Terrier possui um mero impulso para perseguir presas. Ele irá perseguir gatos ou coelhos. O tutor deve estar preparado para protege-lo e não deixar ele sair correndo na rua para perseguir algo, podendo correr o risco de ser atropelado.
Devido às suas necessidades de companheirismo e de atividades, o Border Terrier é um cão feliz que geralmente se dá bastante bem com todos, desde crianças até estranhos. Ele será um cão de guarda excelente para alertar que intrusos estão por perto. Porém, não espere que ele seja um feroz cão de guarda se um intruso entrar em sua casa.

Destaques e Curiosidades

  • O Border Terrier corre o risco de excesso de peso com facilidade, por isso o tutor deve se certificar de alimentos dado ao Border e deve dar a ele também pelo menos meia hora de exercícios a cada dia;
  • Os Borders Terriers prosperam quando estão com suas famílias. Eles não devem ser deixados por muito tempo sozinhos;
  • O Border Terrier é típico cão artista de fuga. Ele dará um jeito e encontrará uma forma de fugir de seu quintal cercado. Por isso o tutor deve estar sempre alerta e supervisionando seu Border;
  • O Border Terrier possui um limiar elevadíssimo para a dor. Se ele estiver doente, o único sinal para que o tutor perceba pode ser uma mudança brusca de comportamento;
  • O cãozinho Border Terrier possui um instinto natural para cavar. Se ele estiver com tédio a possibilidade que ele cave será altíssima;
  • O Border Terrier é muito ativo. Ele adora ficar saltando sobre as pessoas até que elas o cumprimente;
  • Os pelos do Border Terrier precisam ser escovados semanalmente e assim, removendo os pelos mortos;
  • Os Borders Terriers adoram mastigar. Eles poderão mastigar itens inadequados, como móveis e sapatos. Eles precisam de brinquedos apropriados para a mastigação, essa é a melhor maneira para evitar que ele mastigue os móveis.

História e Origem da raça Border Terrier

O Border Terrier se originou durante o século XVIII, no nordeste da Inglaterra, perto da fronteira com a Escócia. Pode-se dizer que ele é resultado da batalha entre fazendeiros e raposas. Os Borders Terriers foram desenvolvidos para ter um corpo longo, estreito, flexível, para que pudesse se espremer por meio dos buracos estreitos das raposas, levando-as para fora de seus esconderijos, e pernas firmes e fortes para acompanhar os caçadores nos cavalos durante uma caçada.
Eles foram desenvolvidos para ter muita resistência, com uma pelagem resistente às intempéries e uma pele grossa e solta que não fosse facilmente perfurada pelos dentes de seus adversários.
Enquanto o Border Terrier era bastante conhecido na fronteira da Inglaterra por sua natureza destemida e implacável, em outros lugares era muito pouco conhecido. Os amantes de cães não prestaram muita atenção na até o início do século XX.
 Em 1920, a raça foi reconhecida pelo Clube de Canis da Inglaterra e um clube específico do Border Terrier formado.
O primeiro Border Terrier registrado nos Estados Unidos foi no ano de 1930. O Border Terrier tem sido um cão um tanto desconhecido, na maior parte de sua existência. Os admiradores da raça preferem que fique assim se isso significa proteger a raça dos estragos da popularidade.

Características e Personalidade

Considerando que ele é um terrier, o Border Terrier é muito afetuoso, obediente e facilmente de se treinar. Eles são muito inteligentes e aprendem rapidamente.
Eles não são muito afetuosos com pequenos animais. Quando se trata de ir atrás de presas, eles são destemidos e implacáveis.
Assim como todos os cães, o Border Terrier também precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Border a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Border Terrier tem uma expectativa mínima de vida 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 28 a 40 centímetros, com peso entre 5,1 a 7,1 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Border Terrier é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Borders Terriers irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas. 

  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril, causando dor e claudicação;
  • Defeitos Cardíacos: Problemas cardíacos de vários tipos podem afetar o Border Terrier, o mais comum é a estenose pulmonar, um estreitamento da válvula que separa a câmara direita do coração dos pulmões. Se o Border Terrier tiver um sopro cardíaco, isso pode indicar que ele tem uma condição cardíaca que precisa ser monitorada e tratada. Os sopros cardíacos são causados por uma perturbação no fluxo de sangue através das câmaras do coração;
  • Maloclusões: É quando a mandíbula do cão não se encaixa corretamente, às vezes acontece com cães da raça Border Terrier;
  • Convulsões: Convulsões podem ter muitas causas, incluindo epilepsia e trauma. Muitas vezes, eles podem ser gerenciados com medicação, por mais que não tenha cura.
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireóide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Criptorquidismo: O Criptorquidismo é uma doença em que um ou ambos os testículos no cão não descem e é comum em cães pequenos. Os testículos devem descer totalmente até o momento em que o filhote tem 2 meses de idade.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Border Terrier fique sempre saudável.
Borders Terriers são cães de família, por mais que eles adoram um quintal, eles devem viver dentro de casa e não amarrado no quintal. Quando o cãozinho Border estiver no quintal, o tutor deve sempre certificar a cerca, se é alta suficiente e segura, o Border Terrier é o tipo de cão artista em escapar.
Ele irá desfrutar de pelo menos uma meia hora de exercícios diários, como uma caminhada na coleira, uma brincadeira em uma área cercada ou um bom jogo de buscar a bolinha. Sem exercício suficiente, o Border Terrier poderá ter ganho de peso, além de ficar com tédio. O tédio pode leva-lo a um comportamento destrutivo e muitos latidos.
O Border Terrier pode fugir em busca de presas ou aventura, o tutor deve estar sempre supervisionando seu Border.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença. Porém o Border Terrier por possuir um corpo grande e musculoso necessita de uma grande quantidade de alimento para viver adequadamente.
Então mantenha seu Border Terrier em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem de baixo do Border Terrier é curta, densa e coberta com uma pelagem dura. A pele é grossa e frouxa.
A pelagem do Border Terrier pode ser vermelha, azul e bronzeado, cinzento e bronzeado ou trigo (amarelo pálido ou fulvo). Alguns têm um pequeno remendo de branco no peito.

Relacionamento com crianças e outros animais

Os Borders Terriers amam crianças, eles combinam bem pois possuem muita energia. Porém como qualquer outro cão, a interação entre crianças e cães devem ser supervisionadas por um adulto.
Os cães da raça Border Terrier geralmente se dão bem com outros cães e gatos, especialmente se eles são criados juntos. Mas eles se dão melhor com cães do sexo oposto. Os Borders são propensos a perseguir gatos, esquilos e eles não devem ser confiáveis sozinho com aves de estimação ou animais pequenos, peludos, como coelhos e hamsters.

Borzoi

A raça Borzoi foi desenvolvida na Rússia para formar cães de caça. Quando caçavam, os cães Borzoi saiam em equipes de três para perseguir coelhos, raposas e lobos. Logo depois, os cães da raça se tornaram populares como bons companheiros para a realeza em torno de toda a Europa continental.

Apresentação da raça Borzoi

O cão Borzoi passa a imagem de ser muito elegante. É apreciado por sua graça e por sua disposição doce. Ele é conhecido por ser veloz, contrapondo com uma personalidade descontraída. 
O Borzoi não é o tipo de cão que possui muita energia. Ele prefere fazer uma corrida rápida de longa distância e, em seguida, voltar para casa para relaxar em seu sofá favorito. Ele vai adorar passar o dia na cama ou no sofá com o tutor.
Apesar de ter uma atitude relaxada e uma aparência régia, o Borzoi tem uma mente própria e um altíssimo desejo da companhia de sua família. Então ele não é a melhor escolha para pessoas que ficam muito tempo longe de casa todos os dias. 
O Borzoi poderá se dar bem em esportes para cães que necessite de agilidade, obediência e rali. Mas onde ele arraza é no campo de corrida de atração, exercendo seu instinto natural que é perseguir. 
Atualmente o Borzoi não é mais um companheiro de caça. E hoje seu trabalho mais importante é o de ser amigo de sua família. Com seu comportamento doce e gentil, é um trabalho no qual ele se destaca bastante.

Destaques e Curiosidades

  • Borzoi irá perseguir qualquer coisa que se move. Ele nunca deve ser deixado correr solto, a menos que seja em uma área segura;
  • Borzoi pode ser sensível a drogas, especialmente anestésicos, devido à sua falta de gordura corporal. Certifique-se de seu veterinário está ciente disso;
  • O Borzoi pode ser bastante espalhafatoso;
  • O Borzoi pode ser propenso a inchar. Então, ele deve ser alimentado com pequenas refeições frequentes e deve evitar exercícios pesados após a refeição;
  • O cão Borzoi não tem fortes instintos de guarda. Talvez ele não avisará se um intruso aproximar de sua casa;
  • O Borzoi não é uma raça comum, por isso pode levar um pouco de tempo até encontrar um criador que tenha filhotes da raça.

História e Origem da raça Borzoi

De acordo com os estudiosos da raça, pode-se dizer que a história do Borzoi é conhecida desde 1650. A raça era conhecida com o nome de Wolfhound Russo, os cães foram criados por centenas de anos por nobres russos. Acreditam-se que o Borzoi pode ter se desenvolvido a partir do cão russo bearhound, os cães de corrida dos tártaros e o Owtchar, um cão de carneiro.
As caçadas dos nobres podiam envolver mais de cem Borzois. Formavam trios compostos de uma fêmea e dois machos ou um grupo com a mesma quantidade de raposas. As caças eram comuns até 1861, quando os servos passaram a ser emancipados e os nobres não podiam mais confiar em uma força de trabalho ilimitada.
Em 1873, poucos Borzoi permaneceram, alarmando aqueles que admiravam a beleza e velocidade da raça. Os russos então criaram a Associação Imperial para proteger e promover as características da raça.
Depois da Revolução Russa em 1918, muitos cães da raça Borzoi foram abatidos. A raça foi salva apenas porque muitos cães tinham sido dados como presentes para a realeza em outros países ou tinham sido levados por pessoas interessadas na raça.
O primeiro Borzoi registrado no American Kennel Club foi em 1891. Em 1903, Joseph B. Thomas viajou para a Rússia para comprar cães diretamente do canil. O Borzoi Club of America, então conhecido como o Wolfhound Russian Club of America, foi formado no mesmo ano.
A raça então que chamava Wolfhound Russian, teve seu nome mudado para Borzoi em 1936. 

Características e Personalidade

A personalidade do Borzoi que é um cão de espírito gentil varia de sério e majestoso para um palhaço desajeitado. Como companheiro, o Borzoi é quieto, sensível e inteligente. Ele não curte ficar sozinho por longos períodos. Sua reação a estranhos varia de distante a amigável. 
A natureza tranquila do Borzoi não significa necessariamente que ele seja um cão fácil de treinar. Ele é um pensador independente e pode ser bastante teimoso. O temperamento do Borzoi é afetado por vários fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim como todos os cães, o Borzoi também precisa de socialização precoce. Por isso o tutor deve expor seu Borzoi a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências e experiências diferentes.
O Borzoi tem uma expectativa mínima de vida 10 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 68 a 85 centímetros, com peso entre 10 a 13 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Borzoi é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Borzois irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas. 

  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Borzois. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Osteocondrose Dissecans: É uma condição ortopédica, causada pelo crescimento inadequado da cartilagem nas articulações, geralmente ocorre nos cotovelos, mas também já foi observada nos ombros. Esta condição provoca um endurecimento doloroso da articulação, ao ponto de que o cão é incapaz de dobrar o cotovelo.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Borzoi fique sempre saudável.
O Borzoi adora conforto. Ele irá amar se tiver camas confortáveis em toda a casa onde ele possa descansar. Ele não é o tipo de cão que possui uma alta energia, mas é sempre bom exercitar seu cão. 
Anos atrás o cão Borzoi foi criado para ser um perseguidor, não é atoua que os Borzois de hoje adoram correr atrás de qualquer coisa que está se movendo. Assim, como todos os cães com uma herança de caça, o Borzoi tem seus próprios pensamentos, o que não torna o treinamento fácil. Ele fica entediado muito rápido com repetições, então o tutor deve manter as sessões de treinamento curta, divertida e interessante.
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença. Porém o Borzoi por possuir um corpo grande e musculoso necessita de uma grande quantidade de alimento para viver adequadamente.
Então mantenha seu Borzoi em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Borzoi possui uma pelagem de seda, que pode ser de qualquer cor ou combinação de cores, pode ser plana, ondulada ou encaracolada. Pelos curtos e lisos cobrem a cabeça, as orelhas e a frente das pernas. A pelagem deve ser escovada semanalmente com uma escova de pino. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Borzoi é muito grande para uma casa com crianças pequenas. Ele é o tipo de cão gigante e pode facilmente por acidente derrubar uma criança. Então, pode-se dizer que o Borzoi é mais adequado para casas com crianças mais velhas que entendem como interagir com cães.
O Borzoi não é um cão agressivo com outros cães. Porém, alguns Borzois podem ser agressivos com cães do mesmo sexo ou até perseguir cães menores que ficam correndo ao redor dele. Com o treinamento desde pequeno, o Borzoi pode aprender a não perseguir ou agarrar os outros pequenos animais domésticos, incluindo gatos. 

 

Boston Terrier

A raça Boston Terrier tem sido muito popular desde sua criação que aconteceu um pouco mais de um século atrás. A raça foi originalmente criada para formar cães de combate, mas hoje, eles são cães gentis e companheiros afetuosos.

Apresentação da raça Boston Terrier

Estudiosos da raça acreditam que o Boston Terrier pode ter sido criado para ser um cão lutador feroz. Mas, hoje isso nem compara, o Boston Terrier é definitivamente um amante não um lutador.
Boston Terriers são conhecidos por serem muito inteligentes e às vezes até demais. Eles possuem uma natureza viva e afetiva que os tornam adoráveis. 
Por mais que o Boston Terrier seja um cão pequeno, ele é robusto e musculoso. Tem uma pelagem lustrosa e brilhante. As orelhas distintivas do Boston Terrier se erguem naturalmente e são completamente grandes.
O cão Boston Terrier tem um rosto largo, sem rugas. Ele pertence a uma classe de cães chamados braquicefálicos (braqui significa curto, e cefálico significado cabeça). 
O tamanho pequeno de Boston Terrier e sua natureza animada e afetuosa torná-o um animal de estimação ótimo e companheiro. Ele ama crianças e diverti pessoas de todas as idades com suas palhaçadas e expressão única e atraente. 
Os cães Boston Terriers são especialmente bons companheiros para pessoas mais velhas e são ótimos cães para apartamentos. 

Destaques e Curiosidades

  • Cães de rabo curto como Boston Terriers não podem ter o ar frio entrando em seus pulmões, eles também são muito suscetíveis ao estresse de calor. Devido a sua pelagem curta, eles não suportam o tempo extremamente frio também. Mesmo em climas amenos, o Boston Terrier deve ser mantido dentro de casa;
  • O Boston Terrier é propenso a úlceras da córnea, devido a seus olhos serem muitos grandes e proeminentes. Então o tutor deve ter muitos cuidados com os olhos de seu cão Boston Terrier, quando for brincar ou fazer uma caminhada com ele;
  • Dependendo em parte das dietas que o tutor passará para seu Boston Terrier, ele poderá ser propenso a flatulências;
  • Devido ao seu nariz curto, o Boston Terrier ressona frequentemente;
  •  Por causa da cabeça grande e da pelvis pequena, o parto  não é fácil para a fêmea Boston Terrier;
  • Cães Boston Terrier podem ser bastante teimosos.

História e Origem da raça Boston Terrier

Muitos acreditam que o Boston Terrier passou a existir no final de 1800 em Boston, Massachusetts, porém, existem muitas histórias sobre como a raça surgiu.
Como são várias histórias, cada uma tem sua versão.
Uma história diz que cocheiros de famílias ricas desenvolveram a raça cruzando Buldoguês e o agora extinto Terrier Branco Inglês, para criar uma nova raça de cães de combate. Uma outra história conta, que um Bostoniano chamado Robert C. Hooper, levou para Inglaterra em 1865, uma cruza de Buldogue com Terrier Inglês que ele nomeou de Judge. Uma terceira história é que Hooper comprou o Judge de outro Bostoniano, por volta de 1870.
Por mais que possamos nunca saber qual é a história verdadeira da origem deste cão, o fato é que havia, na verdade, o cão Judge, e foi a partir dele, que veio a raça Boston Terrier que conhecemos hoje.
Judge foi colocado para a cruza apenas uma vez. O cão cruzou com uma fêmea branca de 20 quilos chamada Kate e que pertencia a Edward Burnett, de Southboro, Massachusetts, dessa cruza nasceu um filhote macho.
Segundo todos os relatos, a descendência de Judge e Kate não era de um cão bonito e atraente, mas eles tinham outras características que Hooper e seus amigos admiravam.
Ocorreram várias cruzas para o fortalemcimento da raça. No começo os cães não chamados de Boston Terrier. Eles eram chamados por vários outros nomes, como cabeças de bala, bull and terriers round headed, terriers americanos e buldogues de bosnto.
Em 1889, uns 30 tutores de Boston Bull Terriers formaram o American Bull Terrier Club, e chamaram-lhes Round Heads ou Bull Terriers, logo em seguida mudaram o nome do clube para Boston Terrier Club. A partir daí, as pessoas começaram a se referir à raça como Boston Bulls.
Em 1893 a raça foi reconhecida pelo AKC. 
Os Boston Terrier tornaram-se rapidamente populares nos EUA, sendo a raça mais popular em 1915.
Em 1976, o Boston Terrier foi escolhido como o cão bicentenário dos Estados Unidos. Três anos depois, ele foi nomeado oficialmente como o cão do estado de Massachusetts. 

Caracteristicas e Personalidade

O Boston Terrier é um cão animado, inteligente e afetuoso com um temperamento suave, porém às vezes ele pode ser um tanto teimoso. 
Assim como todo cão, o Boston Terrier precisa de socialização precoce. Então o tutor de um Boston deve expor seu cão a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes. 
O Boston Terrier tem uma expectativa mínima de vida de 11 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 25 a 40 centímetros, com peso entre 4 a 11 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães da raça Boston Terrier são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, eles são propensos a certas condições de saúde. Nem todos os Boston Terriers irão ter qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.

  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Prolápso da Glândula da Terceira Pálpebra (Olho de Cereja): É uma doença em que a glândula sob a terceira pálpebra sobressai e se parece com uma cereja no canto do olho;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Murmúrios cardíacos: Os murmúrios cardíacos são causados por disturbância no fluxo de sangue através das câmaras do coração. Eles são um indicador de que pode haver uma doença do coração que precisará ser monitorado e tratado.
  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer;
  • Tumores Cerebrais
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais;
  • Megaesôfago: É um defeito na estrutura do esôfago que faz o cão regurgitar seu alimento não digerido. Regurgitação difere do vômito em que geralmente não há aviso prévio de que irá ocorrer, enquanto que com vômitos há esforço visível envolvidos;
  • Espirro Reverso: Ocorre quando o cão está muito animado, engole sua comida muito rápido, ou quando alérgenos estão presentes. Secreções nasais caiem sobre o palato mole, fazendo-o fechar sobre a traqueia. O cão faz um som chiado e pode até ficar alarmado por não conseguir respirar pelo nariz. Fale suavemente com ele e tente fazê-lo relaxar. Alguns dizem que beliscar as narinas fechadas, assim que o cão é forçado a respirar através de sua boca, é a maneira mais rápida para parar o espirro reverso.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Boston Terrier fique sempre saudável.
O Boston Terrier é um cão bem animado, porém ele não tem requisitos de fazer muitos exercícios. Ele é bem inativo dentro de casa e é um ótimo cão para apartamento. Ele gosta de fazer uma caminhada e brincar no quintal. 
O tutor deve ter sempre em mente que os cães Boston Terriers não podem lidar com o calor ou frio excessivos.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Boston Terrier em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Boston Terrier possui uma pelagem lisa e fina.
As cores da pelagem podem vir em: preto, selo (olha preto mas tem um molde avermelhado quando visto na luz solar), ou rajado, completando com um focinho branco.
Boston Terriers não vêm em cores sólidas, como cinza, fígado ou branco. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Boston Terrier adora crianças e é um ótimo companheiro para brincdeiras. Ele se dá bem com outros cães e gatos, especialmente se o Boston crescer com eles desde pequenos.

 

Bouvier des Flandres

O Bouvier des Flandres foi criado para ser um cão de fazenda versátil, para ajudar os agricultores nas tarefas, incluindo pastoreio de gado e puxar carrinhos. Ainda hoje o trabalhador e inteligentíssimo Bouvier ainda é o cão ideal de fazenda, além de ser um ótimo competidor de esportes para cães que necessite de obediência e agilidade. E só para concluir é um excelente companheiro de família.

Apresentação da raça Bouvier des Flandres

Com sua poderosa construção e seu casaco todo desgrenhado, o Bouvier des Flandres é um cão robusto aventureiro cheio de força, resistência e vigor. Foi criado para ser um cão de fazenda trabalhador, mas também é um ótimo animal de estimação de família que fica muito feliz entre as pessoas que ama. 
Ele tem a tendência de fazer o rebanho de objetos em movimento, incluindo crianças, pessoas em bicicletas e corredores. Ele é naturalmente protetor, e defenderá sua família se for preciso. Porém, ele não é agressivo sem uma causa.
Corajoso, confiante e com uma personalidade forte, o Bouvier é um atleta natural ao ar livre. Por mais que não seja o tipo de cão com alta energia, ele precisa de exercício vigoroso para se manter saudável. Ele pode viver confortavelmente em pequenos quartos, como um condomínio ou apartamento, mas é importante que ele faça caminhadas ou exercícios várias vezes ao dia.

Destaques e Curiosidades

  • O Bouvier não é recomendado para pessoas exigentes que não suportam bagunça;
  • Devido à sua personalidade assertiva, esta raça não é recomendada para tutores de primeira viagem;
  • O Bouvier é o mais feliz quando está com sua família.

História e Origem da raça Bouvier des Flandres

O Bouvier des Flandres é de origem europeia, mais precisamente de Flandres. O nome da raça significa "pastor de vaca" ou "pastor de bois de Flandres".
O Bouvier foi usado para ajudar no rebanho de gado, guardar o rebanho, puxar carrinhos e ajudar os agricultores e suas famílias em uma infinidade de tarefas. O desenvolvimento do Bouvier como um trabalhador foi uma questão de praticidade. Sua ascendência não é exata, mas acredita-se que ele pode ser descendente dos primeiros Sheepdogs, o Griffon Holândes e o Barbet.
O Bouvier trabalhou durante as duas Guerras Mundiais, foi usado como um mensageiro, um sentinela e um cão de busca para localizar munições e minas.
O primeiro padrão para o Bouvier foi desenvolvido em 1912 pelo vice-presidente do Clube St. Hubert du Nord na Europa. Em 1920, a raça chegou aos Estados Unidos e foi reconhecida pelo American Kennel Club em 1929.

Características e Personalidade

O Bouvier é conhecido por ser um cão inteligente, protetor e com uma forte vontade de estar na ativa. Não surpreendentemente, este cão gosta de reunir e proteger sua família.
Ele é profundamente ligado e dedicado a família e é mais feliz quando faz parte das atividades em família. Se for deixado sozinho por longos períodos de tempo, ele ficará entediado e recorrerá a comportamentos irritantes como latir, perseguir e mastigar as coisas, ou seja, se tornará um cão muito infeliz.
O Bouvier possui uma personalidade forte, então ele precisa de um tutor que possa gentilmente e consistentemente mostrar-lhe liderança.
Assim como todo cão, o Bouvier precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Bouvier a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Bouvier des Flandres tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 59 a 68 centímetros, com peso entre 27 e 40 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Bouvier des Flandres é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os cães Bouvier des Flandres irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Glaucoma: O glaucoma é definido por uma pressão aumentada no olho, e pode ser encontrado em duas formas: primária, que é hereditária e secundária, que é causada pela diminuição do fluido no olho devido a outras doenças oculares;
  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Ectropion: É outra doença do olho. É o desenrolar ou a flacidez da pálpebra, deixando o olho exposto e propenso a irritações e infecções. Se for muito grave, a cirurgia é necessária, mas em casos leves, nenhum tratamento é necessário;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireóide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Epilepsia: Bouvier des Flandres são propensos a ter apreensões epilépticas. Em cães que são afetados, devido a condição é genética ou devido a uma queda ou um golpe duro na cabeça. Se o Bouvier des Flandres tem convulsões, deve ser levado ao veterinário para determinar qual tratamento é apropriado. Em muitos casos, a epilepsia pode ser controlada com medicação;
  • Estenose Aórtica Subvalvular: é um problema cardíaco causado por uma estreita conexão entre o ventrículo esquerdo (fluxo de saída) e a aorta. Pode causar desmaios e até morte súbita;
  • Torção Gástrica: Também chamado de inchaço, é uma doença potencialmente fatal que pode afetar cães grandes, de peito profundo, como os Bouvier des Flandres. Isto acontece quando eles são alimentados com uma grande refeição por dia, quando comem rapidamente, bebem grandes volumes de água depois de comer, e se exercitar vigorosamente depois de comer;
  • Doença de Addison: Esta doença que também é conhecida como hipoadrenocorticismo, é bastante grave e é causada por uma produção insuficiente de hormônios adrenais pela glândula adrenal. Os sintomas dessa doença são vagos e podem ser confundidos com outras doenças;
  • Doença de Cushing: Esta doença ocorre quando o corpo produz muito de um hormônio cortisol. Podendo ser devido a um desequilíbrio na glândula pituitária ou na glândula adrenal, ou pode ocorrer devido a outras condições. Os sinais mais comuns são excesso de micção e excesso de sede fazendo o cãozinho beber muita água.  

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Bouvier des Flandres fique sempre saudável.
O Bouvier des Flandres adora desfrutar do companheirismo de seus entes querido. Ele não é muito ativo, mas ele precisa de exercícios regulares. Ele vive confortavelmente tanto na área urbana quanto na área rural.
Um passo importantíssimo no treinamento de um filhote de cachorro Bouvier des Flandres é a socialização. A socialização é o processo pelo qual filhotes ou cães adultos aprendem a ser amigável e se dar bem com pessoas e outros cães.
O Bouvier pode ser desconfiado de estranhos e muito protetor de sua família, pode se dizer que estas características são ótimas qualidades para um cão de pastoreio. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Bouvier des Flandres em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Bouvier des Flandres é abençoado possui uma pelagem dupla e resistente. A pelagem exterior é grossa e comprida. A pelagem de baixo é fina e densa. Ele vem em várias cores, incluindo amarelo torrado, preto, sal e pimenta e tigrado.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Bouvier é um cão de família, maravilhoso, dedicado e protetor de todos da família, incluindo as crianças.
 Para melhor ensiná-lo a se dar bem com as crianças, ele deve ser criado com elas desde pequeno.
O Bouvier deve ser criado com outros cães e animais para ter a melhor chance de se dar bem com eles quando crescer. Se ele é socializado e treinado adequadamente, tudo ficará bem.

Boxer

A raça Boxer foi criada originalmente para formar cães de guarda de tamanho médio. Hoje, cães Boxers são encontrados na maior parte das casas como companheiros e amantes de famílias.

Apresentação da raça Boxer

O Boxer é um cão grande, musculoso, de cabeça quadrada, que aparenta ser imponente. Ele possui uma natureza lúdica e uma energia sem limites. 
É um cão inteligente, alerta, corajoso, amigável, leal e obstinado, mas que adora brincar com sua família.
 Cães Boxers são ótimos companheiros para famílias. São cães pacientes e gentis com crianças. Eles necessitam de exercícios físicos e estimulação mental. 
A raça Boxer é de origem alemã, cães da raça foram levados para os Estados Unidos após a I Guerra Mundial. 
Muitos cães Boxers têm caudas e orelhas cortadas. Se as orelhas não forem cortadas, elas ficaram penduradas para baixo. 
Os cães da raça Boxers são conhecidos pelo grande amor e lealdade às suas famílias. Eles desconfiam de estranhos no início, mas não serão agressivos, mas se perceberem uma ameaça a suas famílias eles não deixaram barato. 
Boxers são muito amorosos, espirituosos, felizes e enérgicos. 
Ver um Boxer correndo é uma delícia. Eles são tão exuberantes, felizes e graciosos, e isso deixará um sorriso no rosto de qualquer um.

Destaques e Curiosidades

  • Os Boxers são cães com muita energia e precisam de bastante exercícios;
  • Treinamento precoce para o Boxer é fundamental;
  • Por mais que seja grande, o Boxer não é o tipo de cão de ficar no quintal, pois ele tem um nariz curto e sua pelagem é curto fazendo o Boxer ficar desconfortável em climas quente e frio. Ele precisa ser mantido dentro de casa;
  • Boxers não apenas gostam de estar em torno de sua família, eles precisam estar em torno dela. Se deixado sozinho por muito tempo ou mantido no quintal longe das pessoas, eles podem se tornar e mal-humorados e destrutivos;
  • Boxers também ressonam;
  • Por mais que possui uma pelagem curta, o Boxer tem queda de pelos especialmente na primavera;
  • Alguns Boxers levam seus deveres de cães de guarda a sério, porém outros não podem exibir qualquer instinto de guarda.

História da raça Boxer

O Boxer tinha como antepassados o Bullenbeisser Alemão, que era um cão descendente dos Mastiffs e o Buldogue. 
O Bullenbeisser tinha sido usado como um cão de caça durante séculos, para caçar ursos, javalis e veados. Sua tarefa era pegar e segurar a presa até que os caçadores chegassem. Com o passar do tempo, os Bullenbeissers começaram a ser usados por fazendeiros e açougueiros para guardar e dirigir o gado. 
O Boxer que conhecemos hoje foi desenvolvido no final do século XIX. Georg Alt, criou uma cadela de cor branca, chamada Flora, cruzando um cão da raça Bullenbeisser com um cão local de origem desconhecida. 
Na ninhada de Flora teve um filhote macho branco chamado Lechner's Box. Acredita-se que este seja o início da linha que se tornaria o Boxer que conhecemos hoje. Mais um filhote dessa ninhada, agora uma fêmea foi chamada Schecken de Alt. Ela foi registrada como um Bierboxer ou Bullenbeiser Modern.
 Schecken cruzou então com um Buldogue Inglês chamado Tom para produzir um cão que chamaria Flocki, e que se transformasse no primeiro Boxer.
 A irmã de Flocki, uma fêmea branca, cruzou com Piccolo von Angertor, neto de Lechner's Box. Um de seus filhotes era uma fêmea branca chamada Meta von der Passage, que é considerada a mãe da raça Boxer.
 Em 1894, três alemães chamados decidiram estabilizar a raça e colocá-la em uma exposição de cães. Isso foi aconteceu em Munique em 1895, e no ano seguinte eles fundaram o primeiro Boxer Club. 
No final da década de 1890, a raça se tornou conhecida em outras partes da Europa. Por volta de 1903, os primeiros Boxers foram levados para os EUA. Em 1904, o primeiro Boxer foi registrado pelo American Kennel Club.
 Os Boxers começaram a se tornar populares nos Estados Unidos na década de 1940, quando os soldados que voltavam para casa da II Guerra Mundial levaram de volta para casa seus mascotes Boxer. 
Por meio deles, a raça foi introduzida a mais pessoas e transformou-se logo no animal favorito como companheiro, como cão da mostra e como cão protetor. 
Em 1935, foi fundado o American Boxer Club (ABC) e ganhou aceitação pelo AKC no mesmo ano. 

Características e Personalidade

O Boxer é descrito como um cão de guarda de "audição", o que significa que ele está sempre alerta e atento. Quando ele não está brincando, ele é digno e auto-confiante. Com crianças, ele é brincalhão e paciente. Estranhos são recebidos com uma atitude cautelosa, mas ele responde educadamente para pessoas amigáveis. 
Ele é agressivo apenas em defesa de sua família e casa. O temperamento é afetado por uma série de fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim, como todo cão, os Boxers precisam de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Boxer a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Boxer tem uma expectativa mínima de vida de 8 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 53 a 63 centímetros, com peso entre 25 a 30 quilos.

Saúde, Cuidados e Personalidade

Boxers são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Boxers irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Estenose Aórtica ou Estenose Sub-aórtica: É um problema cardíaco comum e por vezes visto em Boxers. A aorta se estreita abaixo da válvula aórtica, forçando o coração a trabalhar mais para fornecer sangue ao corpo. Esta doença herdada que pode causar desmaios e até morte súbita;
  • Cardiomiopatia de Boxer: Também chamado de Cardiomiopatia Artrítica Boxer, Arritmia Ventricular Familiar e Cardiomiopatia Ventricular Direita Arritmogênica. Cardiomiopatia é uma doença herdada. O coração do cão às vezes bate erraticamente (arritmia) devido a um distúrbio de condução elétrica. Isso pode causar fraqueza, colapso ou morte súbita. Porque é difícil detectar esta condição, pode causar uma morte inesperada. Os Boxers que apresentam sinais desta condição não devem ser criados.
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireoide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Distrofia Corneal: Esta doença afeta a córnea ou a parte externa transparente do globo ocular. É causada por uma coleção de lipídios na córnea;
  • Sarna Demodécica: Também conhecida como Demodicosis, acontece quando o cão carrega um passageiro pequeno chamado de ácaro do demodex. A mãe passa este ácaro para seus filhotes em seus primeiros dias de vida. O ácaro não pode ser passado para os seres humanos ou até mesmo outros cães - só a mãe pode passar esses ácaros para seus filhotes. Ácaros Demodex vivem em folículos pilosos e geralmente não causam problemas. 
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Boxer. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais.
  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Boxer fique sempre saudável.
O Boxer é tipo de cão que precisa ficar dentro de casa. Ele tem um nariz curto e uma pelagem curta que o torna inadequado para viver no quintal. 
Para manter os músculos do Boxer tonificados e satisfazer necessidade de fazer exercícios do cão, brincar com ele e leva-lo para fazer uma caminhada duas vezes por dia durante meia hora. Dando ao Boxer muito exercício diário é a melhor maneira de garantir que ele se comporte bem. Um Boxer cansado é um ótimo Boxer. 
O treinamento é essencial para o Boxer. Ele é grande e forte que pode acidentalmente machucar as pessoas.
 A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Boxerem boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Boxer tem uma pelagem curta e elegante, com a pele apertada sobre seu corpo atlético. 
A pelagem do Boxer vem em duas cores: fulvo, varia de tan claro a mogno ou rajado, com ou sem marcas brancas. Marcas brancas geralmente aparecem na barriga ou nos pés e não devem cobrir mais de um terço da pelagem. Quando o branco se estende para o pescoço ou rosto, a cor é chamada fulvo flashy ou rajado altivo. 
Boxers sem qualquer branco são referidos como Boxers simples. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Boxer adora criança e são grandes companheiros de brincadeiras para crianças mais velhas. O tutor deve ensinar sempre as crianças como aproximar e tocar cães, e supervisionar sempre todas as interações entre cães e crianças.
 Boxers podem se dar super bem com outros cães e gatos, desde que sejam criados juntos desde pequenos.

 

Página 4

Braco Alemão Pelo Curto

A raça Braco Alemão de Pelo Curto é de um cão versátil e excelente para caça, ele recupera a presa tanto na terra quanto na água, e ainda é  um companheiro afetuoso. Ele tem uma pelagem impressionante e fácil de cuidar, é um tipo de cão que precisa de exercícios vigorosos. 

Apresentação da raça Braco Alemão de Pelo Curto

O Braco Alemão de Pelo Curto é uma das raças esportivas mais versáteis, o elegante, régio e também conhecido como Pointer Alemão é um excelente cão de caça, além de ser um excelente companheiro de família. 
Durante o dia ele é um excelente caçador à noite, ele adora brincar com as crianças ou cachos ao seu lado no sofá. E o mais legal é que ele ficará muito feliz em caminhar ou correr com seu tutor.
Este cão enérgico, inteligente é entusiástico no trabalho e nas brincadeiras, gosta de estar com as pessoas e é um bom amigo para as crianças, porém é um pouco impaciente com crianças pequenas. 
Essa personalidade cheia de amor para dá, faz o Braco Alemão se sentir infeliz se for deixado sozinho por longos períodos, se isso acontecer ele poderá se tornar nervoso e destrutivo, por isso companheirismo e exercícios regulares são fundamentais para o Braco Alemão de Pelo Curto. 
Ele irá latir com estranhos, mas não é nada agressivo. Os machos tendem a ser mais extrovertidos e caçadores mais agressivos que as fêmeas que são mais dóceis.
O Braco Alemão de Pelo Curto é musculoso e precisa de muito exercícios. O ideal é que o tutor passa exercícios para o Braco com uma ou duas horas por dia.
 É o tipo de cão que ama agradar e fará o possível para que isso aconteça. Não é um cão teimoso e aprende novos exercícios rapidamente. 
O Braco Alemão de Pelo Curto pode ser um ponteiro e um retriever, ele pode caçar pássaros e aves aquáticas, assim como coelhos, guaxinins e cervos. 

Destaques e Curiosidades

  • Cães Braco Alemão de Pelo Curto possuem muita energia. O ideal é pelo menos uma hora de exercícios intensivos. Sem exercícios suficientes, eles poderão ficar nervosos e destrutivos;
  • Para as pessoas que não gostam de ficar sozinhos por longos períodos de tempo, o Braco Alemão é o cão ideal;
  • Se o Braco Alemão se sentir entediado ele se torna um ótimo artista de fuga, então é necessário ter no quintal de casa, uma cerca com no mínimo seis pés de altura.

História e Origem da raça Braco Alemão de Pelo Curto

As primeiras versões dessa raça datam do século XVII, mas o Braco Alemão de Pelo Curto, como o conhecemos hoje, foi criado para ser cão de caça em meados do século XIX. 
A origem do Braco Alemão de Pelo Curto é da cruza entre Pointers Espanhóis e Bloodhounds, tendo por resultado um cão grande com um nariz afiado. 
Caçadores foram selecionados para discutir qual a personalidade do novo cão. Assim eles decidiram em formar um cão com estilo e elegância para ir junto com uma natureza obediente e poderosa. Eles usaram Pointers importados da Inglaterra para adicionar o estilo, eles queriam criar um cão que iria trabalhar tanto na água quanto na terra. 
O resultado foi um cão de caça magro, atlético e responsivo que também é um cão de companhia inteligente e afetuoso.
O primeiro Braco Alemão de Pelo Curto a chegar nos Estados Unidos foi levado em 1925 pelo Dr. Charles Thornton de Montana, que começou a criação de cães. Cinco anos depois, a raça foi reconhecida pelo American Kennel Club
A criação de Braco Alemão de Pelo Curto foi afetada pela II Guerra Mundial. À medida que o fim da guerra se aproximava, muitos criadores esconderam seu ouro, seus diamantes, suas obras de arte e seus cães Braco Alemão. 
Os melhores cães foram enviados para a Iugoslávia para custódia e os criadores da Alemanha Ocidental não tiveram acesso a estes cães. Enquanto isso, nos EUA, os Braco Alemão de Pelo Curto estavam progredindo aos trancos e barrancos. 

Características e Personalidade

Inteligente, amigável e bem-disposto, o Braco Alemão de Pelo curto é entusiasmado em tudo que faz. Ele não gosta de ficar sozinho e se isso acontecer ele pode desenvolver ansiedade de separação. Ele amará todos na família, porém poderá escolher um favorito em especial. 
O temperamento do Braco Alemão de Pelo Curto é afetado por vários fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim, como todos os cães, o Braco Alemão também precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu cão a pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Braco Alemão de Pelo Curto são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Braco Alemão irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Linfedema: É um distúrbio no qual o bloqueio valvular do fluxo linfático ou dos ductos linfáticos torcidos faz com que os tecidos incham devido a um acúmulo de fluidos;
  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos.
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Braco Alemão de Pelo Curto. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Braco Alemão fique sempre saudável.
Os cães Braco Alemão de Pelo Curto não são recomendados para moradores de apartamentos. Eles são mais adequados para pessoas ativas que têm uma casa com um quintal grande. 
O Braco Alemão de Pelo Curto foi criado para ter energia e resistência para durar o dia todo no campo, por isso fazer exercícios é muito importante para ele. Se ele não fizer exercício suficiente, ele pode se tornar nervoso e destrutivo, porém, se dado o exercício suficiente, o Braco Alemão será um excelente cão. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Braco Alemão de Pelo Curto em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Braco Alemão é curta, grossa. É ligeiramente mais longa na parte inferior da cauda e as bordas traseiras da extremidade traseira. Na cabeça, a pelagem é mais macia, mais fina e mais curta.
A pelagem é fígado sólido ou uma combinação de fígado e branco. Pode ser marcado (áreas pequenas, isoladas de cabelos pretos sobre um fundo branco), remendado (uma mistura fina de cabelos coloridos com cabelos brancos). 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Braco Alemão de Pelo Curto pode se dar muito bem com crianças, desde que eles sejam criados juntos. Ele tem muita energia e é um excelente parceiro de brincadeira para crianças mais velhas. 
Braco Alemão de Pelo Curto adulto que não está familiarizado com crianças, é melhor em casas com crianças mais velhas que entendem como interagir com cães.
O Braco Alemão pode se dar bem com outros cães, embora alguns possam ser agressivos com os membros do mesmo sexo. Por ser cão de caça, ele também pode ser agressivo com pequenos animais peludos como gatos ou coelhos. 

Braco Alemão Pelo Duro

O Braco Alemão de Pelo Duro foi desenvolvido no final do século XIX e início do século X para ser uma raça de cão de caça versátil, um trabalho no qual ele ainda se destaca hoje. Ele pode caçar em qualquer terreno ele recupera a presa tanto na terra quanto na água. Seu excelente nariz e resistência são apreciados por caçadores em todo o mundo, ele também é um ótimo companheiro para famílias ativas que podem fornecer uma saída para seu alto nível de energia.

Apresentação da raça Braco Alemão de Pelo Duro

O Braco Alemão de Pelo Duro é o melhor amigo de um caçador, pois é um cão de tamanho médio que pode apontar e recuperar uma preza em terra ou na água. Ele possui uma pelagem que o protege de climas extremos, além de um nariz aguçado que o ajuda no rastreamento da preza.
O Braco Alemão de Pelo Duro, é conhecido como o Drahthaar em sua terra natal, a raça foi desenvolvida para ser um companheiro útil de caça.
Por causa de sua herança como uma raça de caça, o Braco Alemão de Pelo Duro necessita de muito exercício e pode ser um excelente companheiro de jogging. Ele adora nadar e essa atividade é ótima para ajudá-lo a queimar toda essa energia
O Braco Alemão de Pelo Duro é um cão muito versátil que se destaca em shows de ring, competições físicas dentre outros. Ele é inteligente, independente, ansioso para aprender, disposto a agradar e possui uma tonelada de energia para queimar.

Destaques e Curiosidades

  • O Braco Alemão de Pelo Duro pode ser independente e obstinado com tendência a vagar se não for mantido ativo e desafiado, então é sempre que ele esteja se exercitando;
  • Se ele ficar muito tempo sozinho pode desenvolver e sofrer de ansiedade de separação;
  • Eles podem ser agressivos com outros cães, especialmente a agressão de cães do mesmo sexo;
  • Têm um forte instinto de perseguir gatos e apreender gatos e outros animais de pequeno porte.

História e Origem da raça Braco Alemão de Pelo Duro

Caçadores alemães estavam em busca de um cão robusto que poderia caçar qualquer tipo de preza em qualquer terreno. Assim, eles criaram o Braco Alemão de Pelo Duro em 1800. 
No novo cão criado, eles misturaram as melhores qualidades do Pointer, Poodle e Foxhound, para que o cão viesse multifacetado, que poderia apontar e recuperar prezas em terra e em água, não importando o com o tempo ou ambiente.
O Braco Alemão de Pelo Duro se diferencia do Braco Alemão de Pelo Curto não só pelo seu casaco, mas também pelo seu tamanho, mas também por diferenças na forma do temperamento. As duas raças foram desenvolvidas separadamente, com o Shorthair sendo ligeiramente mais cabeça e velho e os cruzamentos das raças diferentes foram usados desenvolver cada um.
Em 1928, o Braco alemão de Pelo Duro foi admitido no alemão Kartell. Em 1920 foram levados alguns Braco Alemão para os Estados Unidos, mas só em 1953, o German Drahthaar Club of America foi fundado. A raça foi admitida no AKC em 1959.

Características e Personalidade

Carinhoso e leal a sua família, o Braco Alemão de Pelo Duro é amigável com as pessoas que ele conhece, mas distante com estranhos. Quando criado em uma família, ele é dedicado a todos, mas pode ter uma pessoa que é um favorito em especial. Mais do que apenas um cão de caça, ele ama a companhia humana e é um excelente e membro da família. Ele necessita de bastante exercícios físicos e mentais.
O Braco Alemão de Pelo Duro é um ótimo cão de guarda, ele latirá quando estranhos se aproximarem de sua casa. É possessivo com suas coisas e família e pode ser agressivo com cães estranhos. 

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães Braco Alemão de Pelo Duro são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bracos irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Braco Alemão fique sempre saudável.
O Braco Alemão de Pelo Duro foi criado para caçar o dia todo no campo e é isso que ele ficará feliz de fazer. Ele precisa de muitos exercícios diariamente. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Braco Alemão de Pelo Duro em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Braco Alemão de Pelo Duro tem uma pelagem dupla que o protege de climas úmidos e frios. A pelagem grossa, reta e áspera.

No inverno, a pelagem é densa e fornece isolamento eficaz contra o frio. A barba e as sobrancelhas espessas protegem o rosto do cão e os olhos de arranhões e lacerações.
A pelagem do Braco Alemão de Pelo Duro vem em vários padrões de fígado e do branco: manchado, com uma mistura de pelos avermelhados-marrons e brancos, manchados com áreas pequenas, isoladas de cabelos pretos em um fundo branco e na cor fígado, que é descrito como um profundo castanho avermelhado. A cabeça de cor de fígado, por vezes, tem uma chama branca, mas as orelhas são de cor de fígado.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Braco Alemão de Pelo Duro é um grande companheiro para crianças mais velhas. Não é aconselhável para famílias com crianças pequenas adotar um Braco Alemão de Pelo Duro, pois eles podem sem querer machucá-las.
O tutor deve estar consciente de sempre monitorar a interação entre crianças e cães.
Ele pode ser agressivo com cães estranhos, mas se ele é criado com eles, ele se dá bem com outros cães e gatos.

Braco Italiano

O Bracco Italiano é um cão nativo da Itália. É bem conhecido em seu país como uma raça de caça, mas está ganhando pontos como um companheiro de família doce e afetuoso. Com suas longas orelhas, lábios caídos e expressão de soul, o Bracco Italiano tem um olhar distinto. Acredita-se que a raça Bracco Italiano é muito antiga, que remonta ao quarto ou quinto século a.C.

Apresentação da raça Braco Italiano

Na Itália, o Bracco é antes de tudo um cão de caça, mas as pessoas estão começando a descobrir que este cão atrativo com a aparência nobre e a personalidade agradável é também um excelente companheiro.
O Bracco é capaz de caçar todos os tipos de caça. Em casa, ele é calmo e doce. É um cão muito inteligente e precisa ser treinado com gentileza e consistência. 
É um cão muito alerta, que irá latir quando pessoas se aproximarem da casa, mas é muito gentil para ser um cão de guarda. 

Destaques e Curiosidades

  • O Bracco Italiano desfruta de longas caminhadas e de nadar;
  • O Braco possui muita energia e se não for passado os exercícios suficientes, ele poderá ficar tedioso e ser barulhento.

História e Origem da raça Braco Italiano

O Braco Italiano é uma raça bastante antiga. Cães da raça foram vistos em pinturas nos séculos IV e V a.C. 
Estudiosos da raça acreditam que o cão Braco Italiano surgiu da cruza entre um cão Mastiff com um cão de percurso egípcio. 
No percurso do ano de 1700, caçadores italianos desenvolveram o Braco Italiano para a caça, seguindo e apontando preza. 
Antes de começarem a usar armas para caçar, cães Braco eram usados para auxiliar os caçadores na caça.
O primeiro Braco chegou no Reino Unido só no final dos anos 80 e hoje eles ainda são a minoria de cães dessa raça no país.

Características e Personalidade

O Braco Italiano é resistente, adaptável, confiável e dócil, além de ser um cão muito inteligente, fiel e amoroso. 
Ele pode se adaptar a viver em um apartamento, desde que os exercícios adequados sejam dados diariamente. 
Braco Italiano tem uma expectativa mínima de vida de 9 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 55 a 62 centímetros, com peso entre 25 a 40 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Bracos Italianos são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Bracos irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Braco Italiano duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Braco Italiano é curta, densa e brilhante. A cor pode ser branca, branco com marcas âmbar laranja ou escuro, branco com marcas de castanha, branco com manchas laranja pálido manchado ou branco com marcas roan-castanha. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Bracco Italiano se dá super bem com crianças, porém a interação entre cães e crianças deve ser sempre monitorada por um adulto.
Ele aceita outros cães e até mesmo gatos se ele for criado com eles.

Buldogue Americano

O Buldgogue Americano é um cãozinho forte, poderoso, compacto, ágil e rápido. Possui o peitoral largo que dá a sensação de capacidade atlética e poder. É um cão leal, confiável, corajoso, determinado que não é hostil. Alerta e auto-confiante, ele é conhecido por seus atos de heroísmo em relação a seu tutor. 

Apresentação da raça Buldogue Americano

O Buldogue Americano é um cão corajoso que possui fortes instintos de proteção, é fiel e amigável com sua família e com seu tutor, com estranhos ele é bem reservado.
O Buldogue é um cãozinho um tanto territorial, sendo um ótimo protetor de sua casa e família. Se ele for bem socializado e bem treinado desde pequeno, será obediente e será muito difícil que ele ataque estranhos.
É um cão que necessita de exercícios diários. Caso não tenha os exercícios diários necessários ele se tornará um cão tenso e rebelde.

Destaques e curiosidades

  • O Buldogue Americano possui uma aparência robusta que intimida e amedronta estranhos e invasores;
  • O Buldogue Americano é um cãozinho que tende a babar bastante.

História e Origem da raça Buldogue Americano

O Buldogue antigo da Inglaterra em torno do século XVII, é o ancestral do Buldogue Americano que tem por características seu corpo forte e robusto e por ser um cão muito valente.
No entanto na época os cães eram colocados para participar de esportes violentos como o bull bating, porém, logo estes tipos de esportes foram proibidos.
Assim muitos cães foram levados para os EUA. Os cães que ficaram na Inglaterra foram passando por transformações por meio de cruzas até chegar no atual Buldogue Inglês.
Os cães levados para os EUA pelos imigrantes também passaram por transformações até chegar ao padrão Buldogue Americano. 
Então o cãozinho Buldogue Americano passou a ser cão de combate a animais selvagens. Atualmente o Buldogue Americano é utilizado como cão de guarda de fazendas e caça de animais. 
A versão americana do buldogue tem pernas mais longas, é mais rápido e tem maior agilidade do que o Buldogue Inglês. 

Características e Personalidade

O buldogue americano é um cãozinho leal, confiável, corajoso e determinado. Não é um cão hostil, alerta e auto-confiante. Ele tem fortes instintos de proteção, por isso é muito protetor em relação a seu tutor.
Se bem socializado e treinado desde pequeno, o Buldogue Americano será obediente e não será agressivo com estranhos e outros cães. 
O Buldogue Americano tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 50 a 71 centímetros, com peso entre 27 a 58 quilos.

Relacionamento com crianças e outros animais

O relacionamento do Buldogue Americano com crianças é bom, porém a interação deve ser sempre supervisionada. Por mais que o Buldogue goste de crianças, é um pouco arriscado deixá-los sozinhos, pois por ser um cãozinho grande e pesado, existe um grande risco de ele derrubá-las ou até machucá-las com pulos ou com brincadeiras bruscas, em função de seu peso e de sua força.
Em relação a outros animais, não é bom deixar dois Buldogues Americanos ou dois cães do mesmo sexo juntos com o Buldogue, pois é um pouco temperamental em relação a cães do mesmo sexo e não suporta a presença deles, suporta apenas cachorros que sejam do sexo oposto.

Buldogue Campeiro

O Buldogue Campeiro é um cão de trabalho rústico brasileira, descendente do Buldogue Inglês, que levado para o Brasil, especificamente para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina por imigrantes europeus no século XVI.

Apresentação da raça Buldogue Campeiro

O Buldogue campeiro é forte e poderoso, seu físico indica força e agilidade. É um cão muito versátil e fácil de se adaptar em lugares diferentes.
É extremamente corajoso, leal e dócil com seu tutor e sua família, porém com estranhos ele é bem reservado.

Destaque e curiosidade

  • O bom do Buldogue Campeiro é que ele late muito pouco, só late quando ele acha ser necessário.

História e Origem da raça Buldogue Americano

A origem do Buldogue Campeiro vem dos Buldogues levados para o Brasil por imigrantes europeus desde o século XVI. Como a pecuária já era muito ativa no sul do Brasil, os buldogues então eram utilizados para espantar animais selvagens e também para capturar gado perdido. 
Porém, devido ao seu tamanho baixo, os Buldogues que foram levados para o Brasil e que passaram a ser cães de trabalho, tinham grandes desvantagens quando era necessário correr longas distâncias e imobilizar touros.
Por outro lado, tinha os então Buldogues altos, que foram resultados de cruzamentos do Buldogue com outras raças. E que também eram usados para capturar o gado, eram cães com precisão nos movimentos e vulneráveis ao chifre e coice. 
Assim a mais nova criação de raça, gerou um cão com o corpo forte, cabeça larga, mandíbula poderosa, focinho largo e forte, porém não tão curto como o focinho do Buldogue Inglês e nem tão longo como o Bullmastiff. A nova raça se simplicou em se chamar Buldogue Campeiro.

Características e Personalidade

O Buldogue Campeiro é um cão totalmente fiel ao tutor, é um cão que ama as pessoas que estão no seu dia-a-dia. É um cão corajoso, além de ser um ótimo cão de guarda bem atento. Possui um instinto protetor muito forte.
O temperamento do Buldogue Campeiro é bom, pois este cão é admirável, meigo, com boas pitadas de bravura.

Pelagem

O Buldogue Campeiro tem uma pelagem lisa, com uma textura média (nem macia e nem dura) e curta. Todas as cores são permitidas para a pelagem,  porém o que predomina é o dourado e o tigrado.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Buldogue Campeiro tem um ótimo convívio com crianças, porém durante a interação é sempre bom que um adulto esteja por perto. 
Quanto o relacionamento com outros animais, o Buldogue Campeiro é um tipo de cão que não suporta cães adultos ainda mais se for um cão que não seja muito familiar para ele. O ideal aqui é socializar o BC desde pequeno. A socialização e o treinamento precoce é o essencial para que o cãozinho se torne amigável com pessoas e cães estranhos.

Buldogue Francês

O Buldogue Francês vem desfrutando desde muitos anos como cão de companhia. A raça foi criada na Inglaterra, com o intuito de criar um Buldogue em miniatura. Muitos cãezinhos da raça acompanharam seus tutores dentistas até a França, onde adquiriu o apelido Frenchie. O Buldogue Francês, além de ser um ótimo companheiro, ele já foi um excelente caçador de ratos, mas hoje ele se concentra em ser um fabuloso amigo da família e participar de shows para cães. 

Apresentação da raça Buldogue Francês

É um cão orelhudo, porém é um cão estranhamente bonito, com um apelo original. O Buldogue Francês é belo a sua maneira, devido aos seus atributos ele se torna um dos melhores cães de companhia no mundo de hoje.
O Franchie é um cãozinho que gosta muito de brincar, mas gosta também de passar seus dias relaxando no sofá. São companheiros amorosos que se sentem no céu com o contato humano. 
O Buldogue Francês não é o tipo de cão para ser deixado muito tempo sozinho ou fora de casa, no quintal. É uma raça que geralmente se dá bem com todos, crianças e adultos. Porém o cãozinho Buldogue Francês pode ser territorial com sua família ou seu tutor, principalmente quando outros cães estiverem por perto.
Com uma natureza bem-humorada e travessa, o Buldogue Francês é um cão inteligente, e treiná-lo é bem fácil. Ele possui pensamentos livres e não é o tipo de cão para competir em esportes para cães que necessitam de obediência ou agilidade. 
Os Buldogues Franceses podem ser excelentes cães de guarda e sempre alertarão seus tutores que estranhos estão se aproximando, mas não são o tipo de cão que mordem sem uma causa. 
É um cão que não precisa de muito espaço, sendo um excelente cão para apartamento. 
Passeios de 15 minutos por dia deve ajudar a manter o Frenchie de ficar com excesso de peso. É necessário deixá-lo em ambiente fresco e confortável, pois ele é suscetível a exaustão de calor e precisa de um ambiente com ar condicionado. Buldogue Francês não é um cão que pode ficar fora de casa em um dia quente.
Os Buldogues Franceses são maravilhosos companheiros com uma natureza delicado. 

Destaques e curiosidades

  • O cãozinho Buldogue Francês não precisa fazer muito exercício, mas ele precisa caminhar diariamente para mantê-lo em um peso saudável;
  • Os Buldogues Franceses não se dão muito bem com o calor e precisam ser monitorados em dias quentes para garantir que eles não sofram de exaustão;
  • Buldoguês Franceses são fáceis, mas eles também podem ser muito teimosos;
  • O Buldogue Francês é propenso a babar, soltar flatulência e alguns derramamentos;
  • O Frenchie é um cãozinho quieto, não propenso a morder, só se tiver um grande motivo e é um excelente cão para apartamento;
  • É um cãozinho que ama ser o centro das atenções.

História e Origem da raça Buldogue Francês

O Buldogue Francês foi criado na Inglaterra. A raça era muito popular entre os trabalhadores na cidade de Nottingham e quando muitos trabalhadores emigraram para a France, naturalmente levaram seus Buldogues com eles.
O Buldogue Francês ficou muito popular na França e na Europa, seu charme e sua beleza exótica logo foram descobertos pelos americanos. 
Em 1896 o primeiro Buldogue Francês dos Estados Unidos foi visto na mostra do clube do canil de Westminster. 
A raça foi apelidada de "Frenchie," sendo um apelido muito afetuoso que é usado até hoje.

Buldogue Inglês

Os Buldogues foram usados para conduzir o gado e para competir em um terrível esporte chamado bull-baiting. Atualmente os cãezinhos dessa raça são companheiros, gentis e que amam crianças. Uma breve caminhada e um cochilo no sofá são as atividades mais prazerosas do Buldogue.

Apresentação da raça Buldogue Inglês

Muitas vezes é chamado de Buldogue Inglês ou  as vezes de Buldogue Britânico, o cãozinho desta raça teve sua origem na Inglaterra. Porém seu passado é um tanto sangrento pois o Buldogue Inglês participava de um terrível esporte para cães chamado bull-baiting. 
Atualmente, o cãozinho Buldogue se assemelha a seus antepassados apenas ​​na aparência. Apesar de ainda possuir uma aparência um pouco feroz, ele se tornou um cão muito doce e amoroso.
O que caracteriza bem um Buldogue Inglês é a pele da testa ser marcada por densas rugas. 
O Buldogue Inglês de hoje é criado para ser carinhoso e gentil. É um cão resoluto e corajoso, que não compra confusão, possui uma dignidade calma, é simpático, brincalhão, às vezes é um pouco teimoso e é muito protetor com seu tutor e sua família.
O Buldogue ama as pessoas. Gosta de chamar atenção e de desfrutar da companhia delas.
Infelizmente, devido a estrutura do corpo e da cabeça que é uma característica física exclusiva do Buldogue Inglês, faz com que ele seja propenso a sofrer de problemas de saúde, especialmente dificuldades respiratórias e de articulações. 
O Buldogue Inglês é um cão muito popular porém ele não é para todos. Ele é surpreendentemente pesado para seu tamanho
Dentro de casa, o Buldogue Inglês tende a ser muito inativo, prefere ficar dormindo até a hora de comer novamente. 
Buldogues Ingleses amam crianças, porém são cães que não curtem gastar horas atrás de uma bola ou correr com as crianças no quintal. 

Destaques e curiosidades

  • O Buldogue Inglês pode ser teimoso e preguiçoso. Ele não fica entusiasmado em fazer uma caminhada, mas é importante que ele seja exercite todos os dias para ficar em forma;
  • Buldogues Infleses não toleraram o calor e a umidade. Quando o Buldogue estiver ao ar livre, é importante que o tutor preste atenção aos sinais de superaquecimento de seu cão e levá-lo para dentro de casa rapidamente;
  • Os Buldogues são sensíveis ao frio;
  • Buldogues Ingleses são propensos a chiar, roncar, e a ter apnéia do sono;
  • Buldogues também são bem conhecidos por ter flatulência;
  • São propensos também a sofrerem de uma série de doenças respiratórias devido ao nariz ser curto;
  • Os Buldogues adoram comer, são comedores vorazes e se tiverem a chance irão comer demais. O tutor deve estar atento o buldogue é um tipo de cão que ganha peso fácil, podedo se tornar obeso se a injestão de alimentos não for controlada;
  • Por ter a cabeça um tanto grande, as fêmeas Buldogues Ingleses têm dificuldade de dar à luz. A maioria das fêmeas necessitam de cesarianas para seus filhotes nasçam. 

História e Origem da raça Buldogue Inglês

O Buldogue Inglês de hoje é um cão muito diferente de seus ancestrais. Eles são descendente de cães como os Mastiffs antigos. O Buldogue Inglês foi totalmente desenvolvido na Inglaterra.  Em 1.500 foi a primeira vez que a raça foi mencionada. 
Os primeiros Buldogues tinham suas características bem distintas dos Buldogues atuais. Eles eram mais altos e mais pesados e foram criados para participar de esportes brutos e sangrentos, voltados para cães, mais conhecido como bull baiting.
Depois de muitos anos ocorrendo o bull baiting, em 1835, este esporte foi banido da Inglaterra. Muitos pensaram que o então participante ativo do esporte, o Buldogue, desapareceria já que ele não tinha mais propósito.
Nesta época, o Buldogue não era um cão companheiro e afetuoso, pois eles foram criados para serem agressivos e corajosos para que pudessem enfrentar ursos e touros.
Apesar disso, muitas pessoas admiravam a resistência,  força e  persistência que o Buldogue possuía. Assim, estes poucos admiradores decidiram salvar a raça, sua aparência e criar novos Buldogues com um temperamento doce e gentil em vez de agressivo.
E assim o Buldogue foi recriado. Os criadores foram dedicados e pacientes, começando a selecionar apenas os cães que tinham um temperamento mais dócil para reprodução. Cães que possuíam um temperamento mais agressivo e neurótico não foram autorizados a reprodução. Com isso, os criadores concentraram no temperamento do Buldogue, esses criadores transformaram o aterrorizante Buldogue no cão gentil e afetuoso que vemos hoje.
Em 1860 aconteceu em Birmingham, Inglaterra, a primeira mostra de cachorro que permitiu que criadores mostrassem a mais nova criação do Buldogue.
O primeiro clube da raça Buldogue foi criado em 1864 com 30 membros inscritos. Em 1875, um outro clube foi fundado e este clube da raça Buldogue ainda está em funcionamento até hoje.

Características e Personalidade

O Buldogue Inglês é sociável e doce, porém possui uma reputação de coragem que o torna um excelente cão de guarda. O Buldogue é um cão amante e não um cão lutador. Ele é digno amigável e descontraído, se dá bem com todos. 
Como todo cão, o Buldogue Inglês também precisa de uma socialização precoce, o ideal é que o tutor deixa seu cãozinho conhecer pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes. 
O Buldogue Inglês tem uma expectativa mínima de vida de 8 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 30 a 40 centímetros, com peso entre 20 a 25 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Como todas as raças, o Buldogue Inglês também é propenso a sofrer de determinadas doenças. Nem todos os Buldogues vão ter qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.
Prolápso da Glândula da Terceira Pálpebra (Olho de Cereja): É uma doença em que a glândula sob a terceira pálpebra sobressai e se parece com uma cereja no canto do olho;

  • Olho seco: Esta doença é causada quando a produção natural de lágrimas é inadequada. Os sinais são aparência seca ou neblina azul para o olho;
  • Entropion: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Invertido ou Espirros Invertidos: Esta condição não é realmente um problema de saúde, mas geralmente ocorre quando fluidos nasais escorrem para baixo no palato mole do Buldogue, fazendo com que ele feche;
  • Síndrome Braquicefálica: Esta doença é encontrada em cães com cabeça curta, narinas estreitas ou com o paladar macio alongado. Suas vias aéreas são obstruídas em graus variados e podem causar respiração ruidosa ou trabalhada para colapso total da via aérea.
  • Tremor de Cabeça Idiopático: É um tremor involuntário da cabeça de lado a lado ou para cima e para baixo. Às vezes, pode ser violento. Esta condição afeta só a cabeça e pode estar ligada ao estresse e baixo nível de açúcar no sangue. 
  • Sarna Demodécica: Também conhecida como Demodicosis, acontece quando o cão carrega um passageiro pequeno chamado de ácaro do demodex. A mãe passa este ácaro para seus filhotes em seus primeiros dias de vida. O ácaro não pode ser passado para os seres humanos ou até mesmo outros cães - só a mãe pode passar esses ácaros para seus filhotes. Ácaros Demodex vivem em folículos pilosos e geralmente não causam problemas. 
  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação.
  • Problemas da Cauda: Alguns Buldogues têm caudas de parafuso, caudas invertidas ou outros tipos de caudas que podem causar-lhes alguns problemas de pele. O tutor deve manter a cauda do Buldogue Inglês sempre limpa e seca para evitar a infecção.
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Buldogue fique sempre saudável. 
O Buldogue Inglês é um cão totalmente inativo dentro de casa e não exige uma grande quantidade de exercício. É um cão de interior e prefere um estilo de vida mais descontraído. Depois de 15 minutos brincando, ele estará pronto para uma soneca. O Buldogue Inglês é um cãozinho adequado para qualquer tipo de casa. 
O Buldogue Inglês não se dissipa bem em temperaturas muito quente ou fria. Se estiver em um ambiente muito quente, sua  respiração poderá ficar pesada. É um cão totalmente suscetível a insolação. Apenas meia hora ao ar livre em temperaturas de 85 graus poderá matá-lo. Então o ideal é que o Buldogue fique em um ambiente climatizado.
Quanto a alimentação, o tutor deve cuidar da boa forma de seu cãozinho Bernese, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Buldogue é reta, curta, fina, lisa e brilhante. Ele tem a pele macia e solta, especialmente na cabeça, pescoço e ombros. Sua cabeça é coberta de rugas pesadas.
Buldogues são encontrados em várias cores: vermelho rajado, branco sólido, vermelho sólido e castanho-avermelhado. Não é comum e não é muito admirado encontrar Buldogues na cor preto sólido. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Por ter um temperamento muito amável faz o Buldogue Inglês ser um excelente companheiro para as crianças, mesmo as mais pequenas. 
Com sua natureza pacífica, o Buldogue também se dá bem com outros animais de estimação, como outros cães e gatos. Porém ele pode ser menos sociável com cães estranhos.

Bull Terrier

O Bull Terrier foi desenvolvido século XIX para ser um cão de combate. Mais tarde, se tornou um companheiro elegante para cavalheiros. Porém atualmente é um ótimo companheiro para famílias. É uma raça de cão distinta que se caracteriza por sua cabeça longa, com o formato de um ovo.

Caracterização da raça Bull Terrier

No final dos anos 80, um cão da raça Bull Terrier protagonizou anúncios publicitários da Budweiser, a raça acabou se tornando um ícone pop. Muitos foram cativados pelo formato único da cabeça e da natureza divertida. 
O Bull Terrier é um cão ativo e amigável, além de ser um dos cães mais palhaços do mundo canino. Ele tem uma personalidade inteligente, inovador e leal. 
Conviver com um Bull Terrier é sempre uma grande experiência. Ele é o tipo de cão que não se contenta em passar longos períodos sozinho. Ele quer estar com sua família e participar das atividades.
Como a maioria dos terriers, o Bull Terrier (mais especificamente os machos não castrados) podem ser agressivos com outros animais, especialmente com outros cães. Para que a relação com outros cães seja amigável, o Bull Terrier precisa de uma socialização precoce, com exposições e interações supervisionadas com outros cães. Os gatos e outros animais peludos que entram no seu território devem tomar muito cuidado.

Destaques e curiosidades

  • O Bull Terrier fica feliz por estar na companhia de sua família e devem viver dentro de casa com seus entes queridos. Ele ficará zangado e destruirá o que ver pela frente se for deixado sozinho por longos períodos;
  • Bull Terriers não são adequados para climas muito frios e úmidos. Assim, o tutor deve manter seu Bull Terrier bem aquecido no inverno;
  • Sem socialização precoce e treinamentos, o Bull Terrier pode ser agressivo em relação a outros cães, animais e pessoas que ele não conhece;

História e Origem da raça Bull Terrier

A origem do Bull Terrier foi aproximadamente em 1835, estudiosos acreditam que a raça surgiu provavelmente do cruzamento de um Buldogue com o um Terrier Inglês Branco, que atualmente está extinto. Estes cães "Bulls e Terriers" foram cruzados mais tarde com o Spanish Pointers para aumentar seu tamanho. 
Em 1860, apreciadores de touros e de terriers, dedicaram-se sobre a criação de um cão todo-branco. Os cães então impressionantes tornaram-se companheiros na moda para cavalheiros e foram apelidados de "Cavaleiro Branco". 
Em 1885, foi registrado no American Kennel Club o primeiro cão Bull Terrier. Em 1897, doze anos depois, foi fundado o Bull Terrier Club of America. 
Hoje, o Bull Terrier está na 61º posição da classificação de popularidade entre as raças e as variedades registadas pelo American Kennel Club.

Características e Personalidade

O Bull Terrier é um cão extrovertido, amigável e está sempre feliz. Ele é descrito como um cão corajoso. Porém sem o devido treinamento e sem a socialização precoce ele pode se tornar agressivo com outros animais. Com as pessoas, o Bull Terrier é muito doce.
Com sua cabeça em formato de um ovo, o Bull Terrier tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 53 a 56 centímentros, com peso entre 20 a 40 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O Bull Terrier é geralmente saudável, porém como qualquer outra raça, pode ter problemas de saúde, ou seja, também é propenso a sofrer de determinadas doenças. Nem todos os Bull Terriers vão ter qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.

  • Nefrite Hereditária: é uma doença renal grave encontrada em Bull Terriers. É causada por rins pequenos e não desenvolvidos ou quando ocorre um mau funcionamento dos filtros dos rins, resultando em altos níveis de proteína na urina. Assim, os cãezinhos Bull Terriers que sofrem desta doença geralmente morrem antes de completarem três anos de idade;
  • Surdez: A surdez em um ou em ambos os ouvidos é comum em cães brancos, porém alguns Bull Terriers que tem a pelagem de outra cor podem ser surdos em um ouvido. Todos os filhotes de cachorro de bull terrier devem submeter-se ao BAER (Teste Evocado Auditivo do Tronco Cerebral) que é um teste de surdez para cães; 
  • Doença Cardíaca: é causada por defeitos na estrutura do coração e é ocasionalmente encontrado em cães  Bull Terriers. Alguns casos são mais graves do que outros e geralmente são indicados pela presença de um sopro cardíaco. Em alguns casos, um ultra-som cardíaco (ecocardiograma) pode ser necessário para diagnosticar o problema. 
  • Problemas de Pele: Bull Terriers podem ser afetados por problemas de pele, especialmente os brancos, que possui a  pele mais sensível e pode ser propenso a erupções cutâneas, feridas e irritações. Eles também podem ser propensos a alergias de contato ou inalação, causada por uma reação a substâncias como detergentes ou outros produtos químicos ou alérgenos no ar, como pólen, poeira e mofo. 
  • Spinning: é uma condição obsessiva de perseguir a própria cauda, geralmente começa quando o cachorro está com seis meses de idade. O cão pode ficar por horas perseguindo a própria cauda,  deixando ele sem interesse em alimentos ou água. Spinning pode ser um tipo de convulsão e às vezes é tratado com sucesso com medicamentos como o fenobarbitol, anafranil ou Prozac.
  • Luxação da Lente: É quando a lente do olho é deslocada e o ligamento que a mantém no lugar se deteriora. É às vezes tratável com medicação ou cirurgia, mas em casos graves o olho pode precisar de ser removido.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Bull Terrier fique sempre saudável. 
O cãozinho Bull Terrier nunca deve ser deixado em casa sozinho, se isso acontecer, é bem provável que ele irá comer praticamente qualquer coisa que ver pela frente, por conta disso, muitos morrem de bloqueios gastrointestinais que não são descobertos até que seja tarde demais. Brinquedos de couro cru podem ser muito ruim para um Bull Terrier.
O Bull Terrier precisa de meia hora para uma hora de exercício físico diário. Ele ficará feliz indo passear ou brincar de perseguir uma bola. É um cão capaz de competir em esportes para cães que necessita de agilidade e obediência. 
Quanto a alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Bull Terrier duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Bull Terrier é curta, plana, brilhante e com uma textura dura. O Bull vem em duas variedades de cores na pelagem, como o branco e o colorido. White Bull Terriers são brancos sólidos, com ou sem marcas coloridas na cabeça, mas em nenhum outro lugar do corpo. O Bull Terrier que possui a pelagem colorida, o colorido pode ser de todas as cores,  à excepção do branco ou toda a cor com marcações brancas

Relacionamento com crianças e outros animais

Os Bull Terriers são cães muito ativos e quando estão brincando podem ser ásperos, por isso não são recomendados para famílias com crianças pequenas. Eles são grandes companheiros de brincadeiras com energia sem limites para crianças mais velhas ativas que entendem como interagir com cães.
Bull Terriers pode, no entanto, ser agressivo em relação a crianças que gritam muito enquanto brincamos que brincam de luta perto dele. O ideal é que a interação entre cães e crianças seja sempre supervisionada pelos adultos.
Em relação a outros animais, o Bull Terrier, especialmente os machos, podem ser agressivo com cães do mesmo sexo, mas gêneros opostos geralmente se dão bem. Os Bull Terriers não devem ser deixados na confiança perto de gatos ou outros animais peludos pequenos.

Bullmastiff

O Bullmastiff é um cão firme, destemido, além de ser um excelente guardião de família. Ele é um tanto distante com estranhos porém tem um ponto fraco por sua família.  

Apresentação da raça Bullmastiff

O Bullmastiff foi desenvolvido para ser guarda de caça nas grandes propriedades da Inglaterra. Os cães da raça Bullmastiff serviam como guardiões das propriedades e foram criados para serem corajosos, confiantes, fortes e rápidos.
É um cão grande e poderosamente construído, possui uma aparência formidável. É muito protetor e determinado quando necessário além de ser um companheiro amoroso com sua família.
Apesar de seu tamanho, o Bullmastiff não é um cão que possui uma alta energia. Caminhadas curtas ou e um brincadeiras no quintal por dia irá satisfazer as suas necessidades. Ele é suave e ótimo o suficiente para morar confortavelmente em um apartamento ou condomínio, desde que ele receba suas saídas diárias.
 O treinamento e a socialização precoce é essencial. O ideal é expor o cãozinho Bullmastiff a muitas pessoas, lugares, vistas, sons e experiências diferentes.
O Bullmastiff irá sempre querer proteger sua família, ele é um cão de guarda silencioso que detém visitantes indesejados com seu tamanho e presença, mordendo apenas conforme necessário.

Destaques e curiosidades

  • O cãozinho Bullmastiff não precisa de muito exercício. Ele ficará feliz em fazer curtas caminhadas todos os dias com seu tutor;
  • Bullmastiffs se dão bem em famílias onde ambos os pais trabalham. Eles não estão excessivamente preocupados em estar sozinhos. Porém enquanto filhotes eles não podem passar muito tempo sozinhos;
  • O Bullmastiff se dá bem morando em apartamentos ou condomínios;
  • Se ele não for devidamente socializado, ele poderá ser agressivo em relação a outros animais;
  • Bullmastiffs são propensos a exaustão de calor e insolação e devem ser mantidos dentro de casa durante o tempo quente ou úmido;
  • É um grande, porém é muito amoroso, o Bullmastiff gosta de passar tempo com seu tutor no sofá. Ele ocupa muito espaço, mas dá muito amor em troca;
  • Bullmastiffs podem ser determinados cães de guarda e irão proteger suas casas e famílias com a suas vidas, se necessário. Seu tamanho e confiança é um impedimento para intrusos.

História e Origem da raça Bullmastiff

A raça Bullmastiff foi desenvolvida em meados do século XIX, mais ou menos por volta de 1860, por caçadores ingleses que precisavam de um cão grande, silencioso, destemido, forte e com a velocidade para localizar caçadores furtivos.
Estudiosos acreditam que provavelmente esses caçadores experimentaram inúmeras raças em uma tentativa de encontrar o cão perfeito para suas necessidades, até que chegaram ao cruzamento do Mastiff e Bulldog. O Mastiff era grande, mas não agressivo o suficiente, enquanto o Bulldog, corajoso e tenaz, não tinha o tamanho necessário para derrubar e segurar um homem.
A cruz popular tornou-se conhecido como o Nightkeeper do Gamekeeper,  trabalhou e viveu ao lado do gamekeeper e de sua família. 
A caça diminuiu eventualmente, e o Bullmastiff assumiu um novo papel como um cão de guarda. Até que no início do século XX,  o Bullmastiff começou a ser criado como um tipo distinto e não como um cruzamento do Mastiff e Bulldog.
Em 1924, o Kennel Club da Inglaterra reconheceu a raça. O American Kennel Club seguiu o exemplo em 1933. Hoje o Bullmastiff ocupa o 40º lugar entre as 157 raças e variedades registradas pelo AKC.

Características e Personalidade

O Bullmastiff é um cão destemido, confiante e muito obediente. Ele é inteligente, confiável e adora agradar seu tutor.
É um guardião da sua casa e da sua família e irá responder instantaneamente se eles estiverem ameaçados. 
Os cães Bullmastiffs foram criados para serem silenciosos cães de guarda, por isso é incomum ouví-los latir.
Como todos os cães, o Bullmastiff também necessita de treinamento e socialização precoce, com isso o tutor deve expor seu cão a muitas pessoas, vistas, sons e experiências diferentes. 
O Bullmastiff tem uma expectativa de vida de no mínimo 8 anos e no máximo 12 anos, sua altura equivale entre 61 a 68 centímetros, com peso entre 41 a 59 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O Bullmastiff é geralmente saudável, porém como qualquer outra raça, pode ter problemas de saúde, ou seja, também é propenso a sofrer de determinadas doenças. Nem todos os Bullmastiffs vão ter qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireóide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Estenose Subaórtica: É um defeito cardíaco comum que ocorre quando a aorta se estreita abaixo da válvula aórtica, forçando o coração a trabalhar mais para fornecer sangue ao corpo. Esta condição pode causar desmaios e até morte súbita. É uma doença herdada, porém é diagnosticada como sopro cardíaco. Os cães com esta condição não devem ser criados.
  • Cistinúria: É uma doença genética causada por uma incapacidade de reabsorver cistina, um aminoácido, de volta para os túbulos renais. Isso resulta na formação de pedras nos rins ou na bexiga, que podem causar bloqueios do trato urinário, especialmente nos machos. 
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Bullmastiffs. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez,  quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 
  • Ruptura do Ligamento Cruzado: Esta lesão do joelho tende a ocorrer em cães grandes e jovens durante uma brincadeira e cães mais velhos que estão com sobrepeso. Esta lesão acontece quando ocorre uma torção com a perna traseira do cão, fazendo com que tenha a ruptura do ligamento cruzado resultando em uma claudicação repentina na perna traseira. Quando ocorre a ruptura do ligamento, a tíbia e o fêmur podem mover-se uns contra os outros. Isso pode levar à artrite com bastante rapidez. 
  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Panosteíte: Trata-se de uma doença indescritível às vezes vista em cães mais jovens. Seu principal sinal é a claudicação súbita. A claudicação pode ser leve ou grave e pode ser gerenciado com analgésicos caninos. A panosteíte é muitas vezes diagnosticada como displasia do cotovelo, displasia do quadril, luxação patelar ou distúrbios ainda mais graves. 
  • Problemas de pele: O Bullmastiff tem a pele bem sensível que pode ser propensa a erupções cutâneas, feridas e irritações. Ele também pode ser propenso a alergia de contato ou inalação, causada por uma reação a substâncias como detergentes ou outros produtos químicos ou alérgenos no ar, como pólen, poeira e mofo. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Bullmastiff fique sempre saudável. 
O Bullmastiff é um cão com pouca energia que pode se adaptar bem à maioria dos ambientes domésticos, embora por ser um cão grande o torne mais adequado para uma casa com um quintal espaçoso.
Seu focinho curto torna o Bullmastiff propenso a exaustão de calor e insolação. O ideal é caminhadas e brincadeiras durante o calor do dia, e mantê o Bullmastiff dentro de casa durante o tempo quente ou úmido. 
A alimentação, seu do cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também fazem a diferença.
Então mantenha seu Bullmastiff em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Bullmastiff é curta e densa, oferecendo a ele uma boa proteção contra chuva, neve e frio.
É encontrada em três cores: vermelho, fulvo e tigrado com o focinho e orelhas escuros. Ocasionalmente, um Bullmastiff terá uma pequena marca branca no peito. 

O Bullmastiffs não tem muita queda de pelo, sua pelagem é fácil de manter limpa e brilhante.

Relacionamento com crianças e outros animais

Bullmastiffs são pacientes e protetores com as crianças, mas por serem cães grandes, eles podem bater ou pisar acidentalmente em uma criança. 
Eles podem ser agressivos com cães que eles não conhecem. Porém se dá bem com cães do sexo oposto, especialmente se eles forem criados juntos.
O Bullmastiff pode se dar bem com gatos se ele forem criados juntos, mas alguns Bullmastiffs não resistem ao desejo de persegui-los. 

Cairn Terrier

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Cairn terrier, originário da Escócia, é uma raça de cães antes chamados de skyes terriers de pelo curto. Considerado dócil, apesar de ousado, e que não requer muitos cuidados, seu nome atual foi inspirado em sua função de afugentar pragas e presas escondidas nas pilhas de pedras denominadas cairns. Classificados comos animais alegres, travessos e autoritários, adaptam-se facilmente a famílias que vivem tanto no campo quanto na cidade e cujos membros sejam ativos. De pelagem dupla, dura, felpuda e de cores variadas, tem o corpo quadrado e robusto. Com predileção por latir, é um cão de fácil adestramento, apesar de precisar ser supervisionado em um primeiro contato com uma criança. Entre os cães mais famosos desta raça está Totó, companheiro de Dorothy em O Mágico de Oz.

Página 5

Cane Corso Italiano

Esta raça italiana velha do cão foi desenvolvida para proteger a propriedade e para caçar o jogo grande tal como o javali. Ele é poderoso e atlético e é mais adequado para um proprietário experiente, que tem um grande, bem cercado quintal.

Apresentação da raça Cane Corso Italiano

O cão Cane Corso Italiano possui uma personalidade séria e é respectivo para pessoas que também possuem uma personalidade séria, que necessita de um cão companheiro. É um tipo de cão apenas para famílias. 
Ele não é muito interessado em pessoas ou outros animais que não fazem parte de sua família, mas todos os membros de sua família terão sua lealdade e proteção.
Se o Cane Corso se sentir entediado ele irá latir, cavar buracos ou mascar os móveis da casa. Então o tutor deve sempre deixar seu Cane Corso ocupado, para que ele não encontre as suas próprias ocupações.
O Cane Corso é ótimo em esportes para cães. Esportes que necessitam de agilidade, obediência ou rastreamento serão ótimos para o Cane Corso.

Destaques e Curiosidades

  • As orelhas do Cane Corso podem ser cortadas;
  • O Corso é um cão de trabalho que precisa de muita estimulação mental e física;
  • Cane Corso não é um bom "primeiro cão". Ele requer muita socialização, treinamento e exercícios para ser um bom companheiro.

História e origem da raça Cane Corso Italiano

O Cane Corso é um dos muitos cães de tipo Mastiff. Ele é de origem italiana e é descendentes de cães de guerra romanos. 
O cão Cane Corso é mais levemente construído do que seu primo Mastiff Napolitano. Ele foi produzido para caçar, proteger as propriedades e auxiliar na exploração agrícola. 
A palavra "Cane", é latina para cachorro e deriva da palavra "Canis". A palavra "corso" pode vir de "Cohors", que significa guarda-costas, ou também pode vir de "Corsus", uma palavra italiana velha que significa robusto.
A raça teve uma decaída depois que a agricultura se tornou mais mecanizada e com isso a raça quase foi extinta, porém, no início dos anos 70, admiradores da raça trabalharam para reconstruir o Corso. 
Em 1983, foi formada a Sociedade Amatori Cane Corso e em 1996 a Federação Cynologique Internationale reconheceu a raça. Em 1988, Michael Sottile foi o homem que importou a primeira ninhada de cães Cane Corsos para os Estados Unidos. Em 1989, ele importou mais uma segunda ninhada. 
A International Cane Corso Association foi formada em 1993. Em 2010 o American Kennel Club reconheceu a raça.

Características e Personalidade 

A história descreve o cão Cane Corso como um cão de temperamento vigoroso e pronto para enfrentar qualquer desafio. 
Se o cão tiver um tutor confiável, consistente e que fornece boa liderança afetará para que o cãozinho Corso seja um excelente cão de família que nunca é agressivo.
O Cane Corso ideal é dócil e afetuoso com sua família, inclusive com crianças. Para levá-lo a esse ponto exige socialização e formação desde filhote. 
O Corso é muito inteligente, sensível e entende o tom de voz e responde bem ao louvor e recompensas.
Assim como todo cão, o Cane Corso também precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Corso a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes
O Cane Corso tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 60 a 68 centímetros, com peso entre 40 a 50 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães Cane Corsos são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, eles são propensos a certas condições de saúde. Nem todos os Corsos irão ter qualquer ou todas essas doenças, mas é importante estar ciente delas.
O Corso pode ser propenso a:

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;

Anormalidades das pálpebras tais como ectropião,

  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir; 
  • Olho de Cereja: É uma doença em que a glândula sob a terceira pálpebra sobressai e se parece com uma cereja no canto do olho;
  • Sarna Demodécica: Também conhecida como Demodicosis, acontece quando o cão carrega um passageiro pequeno chamado de ácaro do demodex. A mãe passa este ácaro para seus filhotes em seus primeiros dias de vida. O ácaro não pode ser passado para os seres humanos ou até mesmo outros cães - só a mãe pode passar esses ácaros para seus filhotes. Ácaros Demodex vivem em folículos pilosos e geralmente não causam problemas;
  • Torção gástrica: Também chamado de inchaço, é uma doença potencialmente fatal que pode afetar cães grandes, de peito profundo, como os Bernese Mountain Dogs. Isto acontece quando eles são alimentados com uma grande refeição por dia, quando comem rapidamente, bebem grandes volumes de água depois de comer, e se exercitar vigorosamente depois de comer.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cane Corso fique sempre saudável.
O Cane Corso é um cão de trabalho que precisa de muita atividade física para ficar em forma. O ideal é que o tutor leve seu cão para uma caminhada rápida ou correr, de manhã e à noite, todos os dias. 
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Cane Corso duas vezes ao dia

Pelagem

O Cane Corso Italiano tem uma pelagem curta e rígida com um sub pelo leve. A pelagem pode ser preta, cinza e vermelha. O Corso tem bastante queda de pelo duas vezes por ano, por isso tem um bom aspirador de pó na mão para sugar os tufos de pelo.

Relacionamento com crianças e outros animais

Se for devidamente criado, treinado e socializado, o Corso será amoroso e protetor das crianças. 
Como com cada raça, você deve sempre ensinar a crianças como aproximar e tocar cães. Porém a interação entre crianças e cães deve ser sempre monitorada.
Se for criado juntos, o Corso pode se dar bem com outros cães ou gatos.

 

Cão da Montanha dos Pirinéus

O Cão da Montanha dos Pirinéus é uma raça conhecida por ser de um cão simpático, poderoso e que carrega um apelido que o caracteriza muito bem, que é o Gigante Branco. Esse apelido foi dado pelo fato do Cão da Montanha dos Pirinéus ser grande de um jeito que deixa a maioria dos cães com um aspecto muito menor do que são, além de ter a pelagem predominantemente branca.

Apresentação da raça Cão da Montanha dos Pirinéus

O cachorro da raça Cão da Montanha dos Pirinéus possui uma extrema capacidade de aprender e é muito obediente. Se ele for bem treinado, ele será muito útil.
Por ser um cão bastante grande, o Cão da Montanha dos Pirinéus precisa estar sempre se exercitando. Ele precisa morar em uma casa que tenha um quintal grande e espaçoso para que ele possa se movimentar.

Destaques e curiosidades

  • Os criadores da raça colocavam nos Cães da Montanha dos Pirinéus coleiras de espinhos e com pontas de metal, para que eles conseguissem se proteger de lobos, que eram muito comuns na região dos Pirinéus;
  • Uma das primeiras famílias reais que adotou um cão da raça para fazer a guarda do castelo foi da época do famoso Lous XIV.

História e Origem da raça Cão da Montanha dos Pirinéus

Assim como acontece com muitas outras raças, estudiosos da raça Cão da Montanha dos Pirinéus tiveram dificuldades em conseguir apurar a história do desenvolvimento de raças muito antigas, porém alguns registros históricos encontrados permitiram compreender um pouco como esta raça chegou até aqui.
O Cão da Montanha dos Pirinéus é descendente de molossóides da Ásia Central, que foram levados para a Península Ibérica há mais de 5 mil anos atrás.
O primeiro registro histórico da raça surgiu no século XIV. Nesta época, a raça era descrita e apontada como sendo um cão de guarda, cuidando dos castelos, além de ser considerada a raça preferida das famílias reais.
Durante o desenvolvimento da raça, a concentração dos cães acontecia nas montanhas da região dos Pirinéus. Alguns estudiosos relatam que nestes locais os cães eram utilizados trabalhando na guarda de rebanhos. 
Em 1675, Lous XIV concedeu ao Cão da Montanha dos Pirinéus, o título de Cão Real da França. A partir daí o cão se tornou um símbolo da nobreza, todos que faziam parte ou que pretendia fazer parte desta classe, precisava ter um cachorro da raça Cão da Montanha dos Pirinéus.
Com as revoluções que derrubaram as monarquias em muitos países da Europa, fez com que a quantidade de Cães da Montanha dos Pirinéus se reduzisse nesta região. Porém, alguns exemplares da raça foram levados para os Estados Unidos. 
Nos EUA a raça foi criada e acabou dando origem a outras raças, como o Terra Nova. Por mais que a raça não seja considerada popular, Cães da Montanha dos Pirinéus podem ser encontrados em diversos locais da Europa e em alguns povoados nos Estados Unidos.

Características e Personalidade

O Cão da Montanha dos Pirinéus foi criado para ser e parecer forte devido a sua tarefa de cão de guarda e proteção. Durante o processo de seleção dos cães, as prioridades eram dadas aos cães que apresentavam um comportamento mais intimidatório, mas que ao mesmo tempo, apresentavam um comportamento afetuoso e fiel para com o seu tutor.
Outro traço importante da personalidade do Cão da Montanha dos Pirinéus está relacionado a sua independência que é bem marcante, mais do que em outras raças. 
O Cão da Montanha também é bastante corajoso e dedicado a sua família, ele tentará proteger a tudo e a todos que fizerem parte da família. 
Se ele perceber algo estranho, irá latir bastante, o que o torna um cão alerta além de cão de guarda.
Por ser um cão bem grande, ele não vai conseguir se adaptar a vida dentro de apartamentos. 
O Cão da Montanha tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 65 a 82 centímetros, com peso entre 36 a 54 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães da Montanha dos Pirinéus são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma  raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cães da Montanha dos Pirinéus irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cão da Montanha dos Pirinéus fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cão da Montanha dos Pirinéus duas vezes ao dia

Pelagem

Os pelos deste cão são densos, lisos e longos. Na parte dos ombros e também do dorso do cão ele possui os pelos mais crispados. Já na parte do pescoço e também na cauda eles são mais volumosos. Além disso o cachorro também apresenta uma camada de sub-pelos, também uma herança da época que ele precisava enfrentar temperaturas muito baixas.
A cor do pelo sempre será branca, sendo que ele poderá apresentar alguns elementos como manchas amarelas, laranjas ou cinzentas. Mas estas manchas, para que este cão realmente seja considerado da raça, só podem aparecer nas orelhas ou na cabeça.

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o cão da montanha é ideal para famílias com crianças mais velhas. Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cão da Serra da Estrela

A raça Cão da Serra da Estrela é de origem portuguesa, mais precisamente da região montanhosa Serra da Estrela. O cão desta raça é inteligente, leal e valente. De acordo com estudiosos o Cão da Serra da Estrela é uma das raças mais antigas da Península Ibérica.

Apresentação da raça Cão da Serra da Estrela

O Cão da Serra da Estrela é uma raça de cães rústicos, vivazes e imponentes. O Cão da Serra da Estrela possui um olhar vivo, calmo e expressivo, com uma aparência harmoniosa, que é como a raça tem sido reconhecida ao longo do tempo.

Destaques e curiosidades

  • Os pelos do Cão da Serra da Estrela devem ser escovados para realçar a beleza do cão;
  • O Cão da Serra da Estrela precisa de espaço suficiente para se movimentar à vontade e o tutor deve ter tempo disponível para se dedicar ao seu cão.

História e Origem da raça Cão da Serra da Estrela

A Cão da Serra da Estrela se desenvolveu e se fixou nas altas montanhas no norte de Portugal, região da Serra da Estrela, não se sabe exatamente o verdadeiro local de origem da raça, porém, estudiosos afirmam que o Cão da Serra da Estrela pode ser considerada uma das raças mais antigas da Península Ibérica.

Características e Personalidade

O Cão da Serra da Estrela é um companheiro inseparável dos pastores e fiel guardião de rebanhos, protege-os de predadores e ladrões. É também um ótimo cão de guarda para fazendas e casas, é desconfiado com estranhos e dócil com seu tutor.
O Cão da Montanha tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 65 a 82 centímetros, com peso entre 36 a 54 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães da Serra da Estrela são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cães da Serra da Estrela irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril;
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cão da Serra da Estrela fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cão da Serra da Estrela duas vezes ao dia.

Pelagem

O Cão da Serra da Estrela possui uma pelagem forte, abundante, ligeiramente grossa, sem muita aspereza, com uma textura similar ao da pelagem da cabra. Possui também um sub pelo formado por pelos finos, curtos, abundantes e entrelaçados, além de possuir duas variedades de pelo: pelos longos e pelos curtos. 
O Cão da Serra da Estrela vem nas cores sólidas como amarelo, fulvo e cinza e cinza lobo como fulvo, tons de amarelo ou cinza, com listras pretas.

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Cão da Serra da Estrela é ideal para famílias com crianças mais velhas. Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cão das Montanhas do Atlas

O Cão das Montanhas do Atlas é o tipo de cão que possui características distintas como guardião, defensor e ao mesmo tempo audacioso, tem a fama de possuir um olhar fixo e penetrante. 

Apresentação da raça Cão das Montanhas do Atlas

Chamado como Aïdi no Marrocos, seu país de origem, o Cão das Montanhas do Atlas é um cão rústico e notável por sua força. É o tipo de cão totalmente adaptável aos climas mais frios. Possui uma pelagem de comprimento que o protege do calor, do frio e até mesmo de mordidas.   

Destaques e curiosidades

  • O Cão das Montanhas do Atlas necessita de muito exercícios. Se a casa onde ele vice não tiver um quintal espaçoso, o tutor deve leva-lo para se exercitar diariamente;
  • Por ser um cão de montanha, que precisa se movimentar quase o tempo todo, o Cão das Montanhas do Atlas não é indicado para pessoas que moram em apartamentos e locais muito pequenos e fechados.

História e Origem da raça Cão das Montanhas do Atlas

O Cão das Montanhas do Atlas surgiu há milhares de anos atrás, nos planaltos e nas montanhas da África do Norte. 
Hoje em dia, cães da raça podem ser encontrados em uma quantidade grande nas Montanhas do Atlas de Marrocos. 
O Cão das Montanhas do Atlas é o tipo de cão ligado ao pastoreio, que trabalha defendendo a tenda e os pertences de seus tutores e ao mesmo tempo, proteger o rebanho dos animais selvagens. 

Características e Personalidade

O Cão das Montanhas do Atlas é muito afetuoso e dócil com seu tutor, além de ser um excelente cão de guarda. É o tipo de cão alerta que possui o instinto de medir o grau de perigo antes de agir e atacar. 
É um cão independente, fiel e afetuoso com os membros de sua família.
O Cão da Montanha tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 52 a 62 centímetros, com peso entre 20 a 25 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães das Montanhas do Atlas são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cães das Montanhas do Atlas irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cão das Montanhas do Atlas fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cão das Montanhas do Atlas duas vezes ao dia.

Pelagem

O Cão das Montanhas do Atlas possui uma pelagem densa, áspera e semilonga, no rosto e nas orelhas, encontra-se pelos curtos e finos.
 A pelagem do Cão das Montanhas do Atlas vem em cores variadas como fulvo: que vem em uma aparência de areia lavada até o vermelho escuro; Tigrado com preto; Marrom: que vem em uma aparência de bege ao tom do pão queimado e Preto. Todas estas cores podem ser manchadas com branco. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Cão das Montanhas é ideal para famílias com crianças mais velhas. Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cão de Castro Laboreiro

Cão de Castro Laboreiro é uma das raças mais antigas da Península Ibérica. O cão dessa raça é de grande porte, muito ligeiro, companheiro e dedicado.

Apresentação da raça Cão de Castro Laboreiro

A raça Cão de Castro Laboreiro é de um cão do tipo Mastiff, vigoroso, com uma aparência agradável e uma pelagem impressionante. Possui uma expressão facial severa e séria, mostrando a rusticidade de um cão da montanha.

Destaques e Curiosidades

  • A raça Cão de Castro Laboreiro não é muito famosa no Brasil, tendo mais popularidade em Portugal;
  • É o tipo de cão que não deve viver em locais pequenos e sem muito espaço, como apartamentos ou casas muito pequenas sem nenhum quintal, pois o Cão de Castro Laboreiro precisa de uma área ampla e espaçosa para que ele possa correr brincar e gastar toda sua energia;
  • O cãozinho da raça Cão de Castro Laboreiro possui um instinto protetor muito intenso e forte, devido a isso, ele pode ser muito agressivo com pessoas que não conhece e que se aproximam de sua família; 
  • No passado, o Cão de Castro Laboreiro foi utilizado pelos fuzileiros para trabalhar na segurança;
  • O Cão de Castro Laboreiro é um verdadeiro amigo de toda a família. É um cão companheiro, protetor, leal e dedicado.

História e Origem da raça Cão de Castro Laboreiro

O Cão de Castro Laboreiro é de portuguesa, mais precisamente da freguesia de Castro Laboreiro, Melgaço.
O Cão de Castro Laboreiro tem a sua origem na região que lhe deu o nome: a freguesia de Castro Laboreiro, no Concelho de Melgaço.
Os indivíduos que habitavam essa região de Castro Laboreiro, viviam da caça, da pesca, da pastorícia e da agricultura. 
Na procura de bons pastos para o gado eles realizavam migravam os rebanhos da planície para as montanhas, cães então acompanhavam o gado nestas migrações.
Com os anos, ocorreu uma diminuição dos rebanhos ovinos e caprinos, restando em grande número o bovino, o Cão de Castro Laboreiro, manteve a eficácia que tinha na proteção de cabras e ovelhas com vacas e bois. 
Durante a década de 70 muitos homens emigraram para a França, deixando as mulheres em casa sozinhas para cuidar das terras e dos animais. Com isso, os cães da raça Cão de Castro Laboreiro passaram a ter um papel muito importante: proteger o gado e fazer a guarda da casa, além de vangloriar seus tutores com sua inestimável companhia nas noites longas de Inverno e pela dedicação. 

Características e Personalidade

O Cão de Castro Laboreiro é um companheiro leal e dócil com sua família. 
Ele foi essencial na proteção de rebanhos contra ataques de lobos. Até hoje na área de origem do Cão de Castro Laboreiro esses ataques são muito frequentes. 
O cão dessa raça é o cão de guarda ideal. É o tipo de cão de natureza nobre, além de ser ágil e ativo.
O Cão de Castro Laboreiro tem como característica seu latido de alerta, que é forte e alertará a todos sobre o perigo.
O Cão de Castro Laboreiro tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 55 a 64 centímetros, com peso entre 25 a 40 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães de Castro Laboreiro são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cães de Castro Laboreiro irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cão de Castro Laboreiro fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cão de Castro Laboreiro duas vezes ao dia.

Pelagem

O Cão de Castro Laboreiro possui uma pelagem curta, sem subpelo, suave, plana na maior parte do corpo e grossa. Geralmente a pelagem é mais curta e densa na cabeça e nas orelhas. 
A cor mais comum da pelagem do Cão de Castro Laboreiro é a cor de lobo e a preferida é a cor da montanha, assim os nativos da área de origem do cão resignaram, sendo considerada uma característica racial pelos criadores da raça.

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Cão de Castro Laboreiro é ideal para famílias com crianças mais velhas. Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cão de Crista Chinês

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Cão de crista chinês que é uma raça de cão oriunda da China. De origem difícil de precisar, sabe-se que pertenceram a famílias da dinastia Han. À época, eram desenvolvidos como guardiões das casas de tesouro, eram maiores e mais pesados, parecidos com cães de caça. Já menores, foram vistos fora da China em exposições nos Estados Unidos entre o fim do século XIX e o início do século XX. Tendo desaparecido por quase cinquenta anos, foram "redescobertos" em meados de 1970. Fisicamente, é um cão de porte pequeno, que pode chegar a medir 33 cm na altura da cernelha; e tem duas variações: a pelada e a com uma fina e longa camada de pelo.

Cão de Santo Humberto

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Cão de Santo Humberto ou Bloodhound, é uma raça canina oriunda da Inglaterra e da Bélgica. Criados no convento de Santo Humberto, possuem sua origem e seu reconhecimento como farejadores, remotos. Todavia, seu nascimento é ainda fruto de debate: uns concordam que sua criação deu-se após o cruzamento de sabujos com os molossos pardos e pretos; enquanto outros propõem uma origem continental, na qual, através de cruzamentos seletivos realizados no convento geraram duas raças de sabujo distintas, sendo o bloodhound o preferido dos caçadores ingleses. Essas duas raças receberam da Federação Internacional de Cinofilia o mesmo standard, tendo classificado como local de nascimento a Bélgica, embora os exemplares ingleses estejam em maior número. Como raça única, estes cães receberam o nome de Chien de St. Humbert. Levados aos Estados Unidos, sua criação foi qualificada como extremamente satisfatória. Seu temperamento é descrito como tímido. É um animal que não aprecia os latidos e é tido ainda como muito limpo. Cão de porte grande, pode atingir os 69 cm e pesar 50 kg.

Cão Fila de São Miguel

O Cão Fila de São Miguel é um cão boiadeiro do tipo robusto com cara de durão. É muito inteligente independente e autoconfiante. 

Apresentação da raça Cão Fila de São Miguel

O Cão Fila de São Miguel é um cão boiadeiro do tipo molossóide, tem a sua história interligada ao extinto “Cão da Ilha Terceira”. 
É um cão rústico de porte médio com um grande poder físico, resumindo em um cão dominante.

Destaques e Curiosidades

  • O cão da raça Cão Fila de São Miguel é conhecido como “Cow Dog”, expressão em inglês que significa cão vaca.

História e Origem da raça Cão Fila de São Miguel

O Cão Fila de São Miguel é uma raça de origem portuguesa, mais precisamente da Ilha de São Miguel em Açores.
A existência do Cão Fila de São Miguel, como uma raça individualizada, está registada desde o início do século XIX, porém apenas em 1982 que é iniciado o seu registo.
Dois anos após o registo da então mais nova raça, foi publicado o primeiro estalão oficial. Em 1995 surge à FCI uma proposta de homologar a raça. Mas a raça só foi reconhecida em 2008.

Características e Personalidade

O Cão Fila de São Miguel é um cão boiadeiro, como também um cão de guarda de propriedade e defesa pessoal. 
Com estranhos ele tem um temperamento, mas é dócil e amável com seu tutor. É também muito inteligente e receptivo. 
O Cão Fila de São Miguel tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 48 a 60 centímetros, com peso entre 20 a 35 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães Fila de São Miguel são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cães Fila de São Miguel irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cão Fila de São Miguel fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cão Fila de São Miguel duas vezes ao dia.

Pelagem

O Cão Fila de São Miguel possui uma pelagem curta, lisa, denso, com uma textura áspera. A pelagem vem na cores fulvo; fulvo claro com capa preta; cinza, passando pelas tonalidades claras para as escuras; sempre tigrado.

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Cão Fila de São Miguel é ideal para famílias com crianças mais velhas. Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cão Lobo Checoslovaco

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Cão lobo checoslovaco que é uma raça canina originária da Tchecoslováquia (Atual República Tcheca e Eslováquia). Considerada relativamente nova, surgiu a partir de 1955 do cruzamento entre um pastor-alemão e uma loba da cordilheira dos Cárpatos. Pelagem reta e bem assentada. As pelagens de inverno e a de verão são bem distintas. No inverno predomina um imenso subpêlo e junto com o pelo de cobertura, forma uma grossa pelagem sobre todo o corpo. As colorações comuns são do cinza-amarelado ao cinza-prateado com uma máscara clara característica. Pêlos claros também na base do pescoço e no antepeito. A cor cinza escuro com máscara clara é permitida. Fisicamente, os machos devem possuir pelo menos 65 cm na altura da cernelha e pesar no mínimo 26 kg, podendo atingir cerca de 36 kg; as fêmeas devem possuir no mínimo 60 cm na altura da cernelha e pesar no mínimo 20 kg. Possui grande semelhança com o lobo.

Cavalier King Charles Spaniel

O cão Cavalier King Charles Spaniel foi criado para ser de companhia, porém os cães dessa raça possuem uma natureza desportiva, que foi herdade de seus antepassados. Se o Cavalier não estiver sentado em volta de seu tutor ou deitado de barriga para cima para obter carinho, ele estará brincando de tentar pegar os pássaros. É um cão atlético que gosta de caminhadas, correr na praia, além de ser bom em esportes para cães que necessite de agilidade. Alguns Cavaliers possuem algumas proezas como cães de caça. Já os Cavaliers mais tranquilos são ótimos amigos da família e excelentes cães de terapia.

Apresentação da raça Cavalier King Charles Spaniel

O Cavalier King Charles Spaniel é um cão pequeno e bonito que está sempre seguindo os passos de seu tutor, é o tipo de cão apegado à família.
Quando se trata de treinamento, Cavaliers geralmente são inteligentes e dispostos a tentar fazer o que o tutor gostaria que fizessem. Cavaliers tem uma personalidade suave, por isso gritar ou ser rude com eles será péssimo.

Destaques e Curiosidades

  • Cavaliers tem uma personalidade dependente. Eles adoram estar junto das pessoas e não devem ficar sozinhos por longos períodos de tempo;
  • O Cavalier tem bastante queda de pelo na primavera e no outono. Nesta época pentear e escovar os pelos serão necessários;
  • Porque ele ser um Spaniel, ele pode tentar perseguir pássaros, coelhos e outras pequenas presas se ele não for mantido na coleira ou em um quintal cercado;
  • Cavaliers podem latir quando alguém chega em sua casa, mas por causa de sua natureza amigável, eles não são bons cães de guarda.

História e Origem da raça Cavalier King Charles Spaniel

A raça Cavalier King Charles Spaniel é uma raça relativamente nova, pois foi recriada há menos de um século atrás.
Estes pequenos Spaniels foram os favoritos das famílias reais e nobres na Inglaterra. A rainha dos escoceses, Mary tinha um Spaniel seu neto Charles I e seu bisneto Charles II - que deram seu nome à raça - também amavam os cachorrinhos Spaniel. 
Após a morte de Charles II, a popularidade dos Cavalier King Charles Spaniel diminuiu, e os Pugs e outras raças pequenas transformaram-se nos novos favoritos reais. Os Cavalier King Charles Spaniels foram criados com estes cães e com a cruza desenvolveram muitas de suas características, tais como o nariz mais curto e a cabeça abobadada.
Desde que não havia nenhum padrão para a raça e nenhuma mostra de cães, o tipo e o tamanho dos Spaniels que eram produzidos variavam. No entanto, no início do século XIX, criadores ingleses começaram a realização de shows de cães e tentar refinar diferentes raças de cães. 
Assim, modificações passaram a ser feitas na raça e em 1928 o interesse nos cães Cavaliers reviveu e um clube da raça foi criado. O clube elaborou um padrão de raça, uma descrição por escrito de como a raça deveria olhar. 
O Kennel Club relutou em reconhecer a nova raça, mas finalmente, em 1945, após anos de trabalho dos criadores, o Cavalier King Charles Spaniel foi reconhecido como uma raça separada.

Características e Personalidade

O Cavalier é o tipo de cão ansioso para estar com todos que cruzam seu caminho. Como qualquer cão, o Cavalier vem em uma variedade de personalidades, de calma e sedante a turbulenta e indisciplinada. Ele pode ou não latir quando alguém chegar à porta, então ele acaba sendo uma escolha ruim se o tutor pensar que ele possa ser um excelente cão de guarda. Obviamente existem exceções, alguns Cavaliers poderão informar seus tutores sobre cada evento que acontece em volta de sua casa e assim, irá latir ferozmente quando estranhos abordarem. 
O Cavalier King Charles Spaniel tem uma expectativa mínima de vida 9 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 25 a 34 centímetros, com peso entre 5 a 8 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Cavalier King Charles Spaniel é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cavaliers King Charles Spaniel irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas. 

  • Doença da Valva Mitral: É uma condição comum em Cavaliers. Começa com um sopro cardíaco que se torna cada vez mais grave até que o cão tem insuficiência cardíaca. Doença cardíaca em cães mais velhos de qualquer raça é bastante comum, mas Cavaliers são propensos a desenvolver a doença da Valva Mitral em uma idade precoce;
  • Siringomielia: Esta condição afeta o cérebro e a coluna vertebral e parece ser comum em Cavaliers. Os sintomas variam de leve desconforto a dor intensa e paralisia parcial. É causada por uma malformação do crânio, que reduz o espaço para o cérebro. Os sintomas geralmente aparecem entre as idades de 6 meses e 4 anos;
  • Queda Episódica: Esta condição muitas vezes é confundida com epilepsia, mas o cão permanece consciente durante a queda ou apreensão. É provocado porque o cão não pode relaxar seus músculos. Os sintomas podem variar de leve, episódios ocasionais de queda para crises como episódios que duram horas. Os sintomas geralmente começam antes de cinco meses, mas só podem ser notados mais tarde;
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril, causando dor e claudicação;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar; 
  • Olho seco: Esta doença é causada quando a produção natural de lágrimas é inadequada. Os sinais são aparência seca ou neblina azul para o olho.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cavalier King Charles Spaniel fique sempre saudável.
O tamanho e natureza tranquila faz o cão Cavalier King Charles Spaniels se tornar um ótimo candidato para tutores que vivem em apartamentos ou condomínios. Ele é moderadamente ativo dentro de casa, um quintal pequeno é adequado para suas necessidades de exercícios.
O Cavalier irá desfrutar de caminhadas diárias ou brincar no quintal, é certo evitar andar com ele durante o calor do dia e nunca deixá-lo em um quintal quente, sem acesso à sombra ou água fresca.
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Cavalier King Charles Spaniel duas vezes ao dia.

Pelagem

Cavaliers são adornados com pelagens de comprimento médio que são sedosas ao toque e podem ser ligeiramente onduladas. 
Os Cavaliers vêm em quatro cores: Blenheim, que é uma cor castanha rica em um fundo branco perolado; Tricolor, marcações pretas em uma pelagem branca com marcações tan sobre os olhos, nas bochechas e na parte inferior da cauda; Preto e Tan, preto com marcas de bronzeado sobre os olhos, nas bochechas, dentro das orelhas e no peito, pernas e parte inferior da cauda; Rubi, um sólido rico castanho avermelhado, sem manchas brancas ou marcas

Relacionamento com crianças e outros animais

Cavaliers podem ser ótimos brincalhões para as crianças que queiram brincar de jogar bola com eles, ensinando-lhes truques, ou simplesmente ter os cães por perto delas enquanto lêem ou assistem televisão. Devido ao seu tamanho pequeno, no entanto, eles devem ser supervisionados quando estiver brincando com crianças pequenas que possam lesioná-los acidentalmente.
O Cavalier se dá bem com outros cães e pode aprender a se dar bem com gatos e outros animais de estimação se forem criados juntos desde pequenos. Alguns Cavaliers vivem pacificamente com aves de estimação, enquanto outros tentam comê-las. As interações do Cavalier com pássaros e outros animais pequenos devem ser sem supervisionadas.

Página 6

Cesky Terrier

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça terrier checo (em checo: cesky terrier) que é uma raça criada pelo geneticista Frantisek Horak na década de 1940 para ter o tamanho reduzido e caçar em tocas. Misturando o terrier escocês com o selyham terrier, obteve um cão de orelhas caídas para que não entrasse terra e de pelagem mais escura, para que não fosse facilmente identificado. Considerado um cão destemido, é um bom animal de guarda com tendência para morder. Podendo chegar aos 8 kg, tem o adestramento reconhecidamente difícil bem como o trato com sua densa pelagem.

Chesapeake Bay Retriever

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Chesapeake bay retriever que é uma raça canina oriunda dos Estados Unidos. Sua origem data dos idos de 1807, e, de acordo com teorias, estes caninos são o resultado dos cruzamentos entre alguns retrivers, tais como o curly-coated e o flat-coat. Originalmente criado para trabalhar tanto na terra quanto na água, foi considerado um eficiente caçador, recolhendo inúmeros pássaros por cada caçada.

Chihuahua

O Chihuahua é um cãozinho maravilhoso. Ele encanta a todos com seu tamanho pequeno, sua personalidade e pela variedade nos tipos e nas cores de sua pelagem. É um cão, inteiramente capaz de competir nos esportes para cães, ele pode competir em modalidades que necessitam de agilidade e obediência, e está entre os 10 cães de guarda recomendados por peritos. Ele ama nada mais do que estar com sempre envolvido com sua família.

Apresentação da raça Chihuahua

O Chihuahua é conhecido por ser o cão mais pequeno do mundo, mas ele pode muito bem ter a maior personalidade do mundo escondida dentro daquele corpinho minúsculo. Essa personalidade maior do que a vida torna-o atraente para todos os tipos de pessoa.
Chihuahuas amam nada mais do que estar perto de sua família. Eles seguem-los em todos os lugares da casa. 
Além de carinhoso, o Chihuahua é um aprendiz inteligente e rápido. Ele pode competir em testes de agilidade e obediência com tanto entusiasmo e sucesso como cães maiores. O Chihuahua é um explorador curioso e ousado. Ele consegue escapar por meio de pequenas lacunas no cercado, além de se espremer em lugares que outros filhotes e cachorros não seriam capazes de se encaixar. 
Chihuahuas não são recomendados para casas com crianças com menos de oito anos, simplesmente porque por eles serem tão pequenos, eles correm o risco de sofrer alguma lesão por conta das brincadeiras das crianças pequenas. 
É importante lembrar de socializar desde pequeno o Chihuahua com crianças, adultos e outros animais. Chihuahuas desconfia muito de estranhos, o que os torna bons cães de guarda, mas eles precisam aprender a conhecer as pessoas de forma amigável. Também é importante lembrar que Chihuahuas tendem a esquecer que são pequenos e de cães maiores. O ideal é que o tutor esteja sempre supervisionando seu Chihuahua para que nada de errado aconteça com ele.

Destaques e curiosidades

  • O Chihuahua é uma raça de vida longa. Ele terá os mimos de seu tutor por até 18 anos;
  • Chihuahuas são propensas a tremer quando estão frios, animados, ou com medo;
  • Se não for socializado desde pequenos Chihuahuas podem ser hostis e até agressivos com outros cães;
  •  O Chihuahua não pode ser deixado sem vigilância no quintal pois ele poderá ser atacado por falcões, outras aves de rapina, ou cães maiores e coiotes;
  • Chihuahuas não são os melhores cães para famílias com filhos pequenos. Por serem frágeis os Chihuahuas poderão se machucar enquanto brincam com as crianças; 
  • As orelhas do Chihuahua podem ser propensas a acumular cera de ouvido;

História e Origem da raça Chihuahua

Como acontece com muitas raças, as origens do Chihuahua não são muito claras, mas há duas teorias de como ele surgiu. 
A primeira teoria fala que ele é descendente de um cão da América Central ou América do Sul conhecido como o Techichi.

Algumas evidências foram encontradas nas pesquisas sobre a civilização tolteca. Existem esculturas toltecas datadas com o século IX que retratam um cão semelhante ao Chihuahua, com as mesmas orelhas grandes e cabeça redonda. Estes cães eram chamados Techichi.

Quando os astecas conquistaram os toltecas, eles reivindicaram os Techichi em sua sociedade. Os Techichi passaram a ser usados ​​em rituais astecas. Os astecas acreditavam que os Techichi tinham poderes místicos, incluindo a capacidade de ver o futuro, curar os doentes e guiar com segurança as almas dos mortos para o submundo. Era costume matar um Techichi vermelho e cremá-lo com os restos do falecido. Os astecas também usaram o Techichi como fonte de alimentos e peles. Assim, no final de 1500, os espanhóis conquistaram os astecas e os Techichi desapareceram.
Já a segunda teoria fala que os pequenos cães sem pêlos da China foram levados para o México pelos comerciantes espanhóis e depois criados com pequenos cães nativos.
Independentemente de qual teoria é a verdadeira, o Chihuahua de pêlo curto que conhecemos hoje foi descoberto na década de 1850 no estado mexicano de Chihuahua. Logo em seguida, americanos que visitavam o México levaram alguns desses cães com eles. 
Os Chihuahuas começaram a ser mostrado em 1890, e em 1904 o primeiro cãozinho Chihuahua foi registrado no American Kennel Club. A variedade de pêlo comprido foi criado por meio de cruzamentos com Papillons ou Lulu da Pomerania.
Desde a década de 1960, o Chihuahua tem sido uma das raças mais populares registrados pelo AKC. Hoje eles ocupam o 11º lugar entre as 155 raças e variedades que o AKC reconhece.

Características e Personalidade

O Chihuahua é ousado e confiante. Sua natureza alerta e suspeita de estranhos fazem dele um excelente cão de guarda. Ele é muito sensível e prospera em afeto e companheirismo.
Chihuahuas, muitas vezes podem ser tímidos se eles não estão devidamente socializados. Por isso a socialização precoce é essencial para todos os cães. O ideal é que o tutor exponha seu Chihuahua a pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Chihuahua tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 20 anos, sua altura equivale entre 16 a 20 centímetros; com peso entre 1 a 3 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Os Chihuahuas são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Chihuahuas irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar.
  • Hipoglicemia: Como muitos cães de raças pequenas, Chihuahuas podem sofrer de hipoglicemia quando estão estressados, especialmente quando são filhotes. A hipoglicemia é causada por baixa de açúcar no sangue. Alguns dos sintomas podem incluir fraqueza, confusão, um andar cambaleante, e crises convulsivas. Se o seu cão é suscetível a isso, converse com seu veterinário sobre as opções de prevenção e tratamento.
  • Murmúrios Cardíacos: Os murmúrios cardíacos são causados ​​por disturbância no fluxo de sangue através das câmaras do coração. Eles são um indicador de que pode haver uma doença do coração que precisará ser monitorado e tratado.
  • Estenose Pulmonar: Esta doença cardíaca congênita ocorre quando o sangue não flui corretamente através do coração porque a válvula pulmonar é malformada, causando uma obstrução. Isso significa que o coração deve trabalhar mais, levando à insuficiência cardíaca. 
  • Traquéia colapsada: Não é muito compreendido como isso ocorre, mas uma rápida inalação do ar faz com que a traquéia aplana e torna difícil a entrada do ar nos pulmões.
  • Hidrocefalia: O líquido cefalorraquidiano (LCR) pode acumular-se no cérebro por causa de um defeito congênito, obstrução ou resultado de trauma durante o nascimento, colocando pressão no cérebro. A cabeça parece inchada ou aumentada, mas o diagnóstico pode ser confirmado com um ultra-som, se necessário. 
  • Fontanel aberto: Os chihuahuas são carregados com um ponto macio na parte superior de sua cabeça. Normalmente, o ponto fraco fecha, mas às vezes pode não fechar completamente. Trate estes cães cautelosamente. Um golpe acidental na cabeça pode matá-los.
  • Tremores: Tremores é bem comum em Chihuahuas. A mecânica do por que eles tremem não é clara, mas geralmente ocorre quando o cão está animado, estressado ou com frio.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Bullmastiff fique sempre saudável. 
Apesar do tamanho pequeno do Chihuahua, como todos os cães ele precisa de exercício e treinamento. A quantidade de energia que um adulto Chihuahua tem pode ser surpreendente. Ele vai perseguir infinitamente esquilos no quintal e está sempre disposto a brincar. Chihuahuas desfrutam de passeios e brinquedos. Eles vão brincar e correr até que eles cansem.
Chihuahuas adoram brincar ao ar livre, porém eles nunca devem ser deixados sozinhos por muito tempo no quintal, pois eles correm o risco de serem surpreendidos  por aves de rapina, como falcões, coiotes e outros cães maiores que poderão ir para o quintal e machucar o cãozinho.
A alimentação, depende muito do tamanho tamanho, da idade, da construção, do metabolismo e do nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também fazem a diferença.
Então mantenha seu Chihuahua em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

Chihuahuas são encontrados com dois tipos de pelagens diferentes: liso e longo. O Chihuahua liso-revestido tem uma pelagem lisa e brilhante que é rente corpo. Já o Chihuahua longo-revestido tem uma pelagem macia que é liso ou ligeiramente curly. No corpo é quase tão suave como o de um Chihuahua liso-revestido,
Além de vir em dois tipos de pelagem, os Chihuahuas também são encontrados em uma variedade de cores. Como nas cores sólidas preto, branco, castanho, chocolate, cinza e prata, bem como tricolor (chocolate, preto ou azul com tan e branco, por exemplo), tigrado, manchado, Merle e uma variedade de outras marcas . As máscaras podem ser muito pálidas a muito escuras para todas as cores.
Os pelos do Chihuahua caem em pequenas quantidades durante todo o ano e pode pode ter um pouco mais pesadamente na primavera e no outono. 

Relacionamento com crianças e outros animais

A maioria dos Chihuahuas amam crianças, mas a combinação de um cão minúsculo e de uma criança pequena pode ser uma receita para um desastre. Por serem tão pequenos, enquanto estão interagindo com uma criança eles podem se machucar. Chihuahuas é fica melhor em famílias com crianças quietas e mais velhas que entendem como interagir com eles.
Chihuahuas se dão bem com outros animais de estimação na família, incluindo gatos, se forem criados juntos. 

Chow-chow

Esta raça de olhar distinto possui um espírito orgulhoso e independente. É um tanto distante e suspeito de estranhos. Mas para a pessoa certa, ele é um companheiro ferozmente leal.

Apresentação da raça Chow Chow

Com seus olhos profundos, cabeça grande e acentuada por uma juba de pelos, o Chow Chow é um cão que possui uma aparência impressionante. Seu olhar às vezes pode fazer as pessoas pensarem que ele é malvado ou mal-humorado, mas um Chow Chow bem criado, treinado e socializado não é agressivo.
O Chow Chow possui a nobreza de um leão, o apelo de um urso, a graça e a independência de um gato e a lealdade e devoção de um cão. 
O Chow é um cão um tanto distante, ele não é pegajoso e não gosta muito de ser abraçado, mas será um companheiro tranquilo e atencioso com sua pessoa favorita, porém sua lealdade se estende aos outros membros da família. Se ele for criado com crianças, ele irá aceitá-las de bom grado. No entanto, ele é melhor para casas com crianças mais velhas que sabem como tratar um cachorro.
É uma raça altamente territorial e protetora, que vai dar uma advertência clara a qualquer pessoa estranha que se aproximar.
A característica mais memorável do Chow Chow é sua língua que todos acreditam ser da cor rocha, mas que na verdade é azul-preta. De acordo com uma lenda chinesa, a língua adquiriu essa tonalidade, no momento da criação do cão, quando um Chow Chow lambeu gotas da cor enquanto o céu estava sendo pintado. 
O Chow não é um cão rápido, então ele não é a melhor escolha para aqueles que gostam de levar seus cães para fazerem jogging, mas ele tem uma excelente resistência e pode ser um bom companheiro de caminhada.

Destaques e Curiosidades

  • O cão Chow Chow é muito independente e distante, não é um cão muito amoroso;
  • O Chow deve ser bem socializado, desde pequeno, o tutor deve introduzi-lo a novas pessoas, cães e situações começando;
  • Chow Chows  são muito desconfiados de estranhos;
  • A pelagem do Chow Chow precisa ser escovada de duas a três vezes por semana para manter seus pelos em boas condições;
  • O Chow Chow pode viver em apartamentos ou condomínios, porém, ele deve receber seus exercícios diariamente;
  • O Chow possui olhos bem profundos, isso limita sua visão periférica.

História e Origem da raça Chow Chow

Estudiosos da raça há muito tempo especularam que o Chow Chow é uma das raças de cães mais antigas. Testes genéticos provaram que isso é verdade. De acordo com as pesquisas, a raça antiga tenha se originado na Mongólia e no norte da China, movendo-se para o sul com as tribos nômades da Mongólia.
Um imperador chinês disse ter mantido 2.500 pares de Chow Chow como cães de caça. Além da caça, os cães eram usados como cães de guarda, cuidando das posses de seus tutores. A pele do Chow foi usada como casacos e sua carne foi considerada uma iguaria.
A raça teve vários nomes na China, como: cão de língua negra (hei shi-tou), cão lobo (gou lang), cão de urso (xiang gou) e cão Cantão (Guangdong gou). 
Assim, no século XIX, Chow Chows foram importados para a Inglaterra. A popularidade da raça aumentou, quando a Rainha Victoria ficou interessada no Chow. Em 1895, um clube da raça foi criado na Inglaterra.
O American Kennel Club (AKC) reconheceu a raça em 1903.

Características e Personalidade

Muitos comparam a disposição do Chow Chow com a disposição de um gato: distante, reservado, independente, digno, inteligente e teimoso.
Um bom Chow nunca deve ser agressivo ou tímido.  Ele irá brincar com os membros de sua família.
O Chow Chow deve ter uma socialização precoce. Então o tutor deve introduzir o Chow a novas pessoas, cães e situações diferentes.
O Chow Chow tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 45 a 56 centímetros; com peso entre 20 a 25 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cães Chow Chow são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Chows irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia Canina do Quadril: é uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril. Alguns cães mostram dor e claudicação em uma ou ambas as pernas traseiras, mas podem não ser notados quaisquer sinais de desconforto em um cão com displasia da anca;
  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Chow fique sempre saudável.
O Chow Chow pode se adaptar a uma variedade de casas, de palácios a apartamentos. Mas ele deve sempre viver dentro de casa com sua família, ele não deve ficar preso em um quintal ou um canil. Ele é o tipo de cão que não tolera muito bem o calor, então ele deve ser mantido dentro de casa quando o clima estiver muito quente.
Como qualquer cão adulto, o Chow Chow adulto também precisa de exercícios diariamente para ficar saudável e feliz, ele vai ficará satisfeito com um par de caminhadas de 15 minutos diariamente ou uma caminhada mais longa.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Chow Chow em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Chow Chow pode ter dois tipos de pelagem, áspero e liso. A pelagem áspera, que é a pelagem que a maioria das pessoas estão acostumadas a ver, é grossa e abundante, e fica fora do corpo como uma parka. Debaixo dessa pelagem exterior encontra-se uma outra pelagem porém, macio e  grossa. O pelo é mais espesso ao redor da cabeça e pescoço, formando crina. 
O Chow Chow de pelo liso possui uma pelagem externa dura e densa. 
Ambos os tipos de pelagem vem em cinco cores: vermelho (que pode variar de luz dourada a profunda de mogno) preto, azul, canela (fawn claro a canela profunda) e creme. Essas cores podem ser sólidas ou sólidas com matizes mais claros no pavão, cauda e emplumação.

Relacionamento com crianças e outros animais

Se forem criados com crianças desde pequenos, a interação entre eles será ótima. Porém o Chow Chow é melhor em famílias com crianças mais velhas que entendem como tratar um cão.
O tutor deve ficar sempre atento nas interações entre crianças e cães.
Chow Chows que são bem socializados e treinados podem ficar junto com outros cães e gatos. A interação do Chow com outros cães se dá melhor se for cães do sexo oposto.

Cimarrón Uruguayo

O Cimarrón Uruguayo é uma raça rara e bem pouco conhecida no Brasil e como o próprio nome diz, é originária do Uruguai. 

Apresentação da raça Cimarrón Uruguayo

O cão Cimarrón Uruguayo é do tipo molosso, com uma altura média, forte, compacto, musculoso e bastante ágil.
Os cães Cimarróns precisam ser criados em locais que tenham um amplo espaço, para que eles possam correr e brincar. 

Destaques e Curiosidades

  • O cão da raça Cimarrón Uruguayo, longe do Uruguai e do sul do Brasil não é muito conhecido. O reconhecimento internacional da raça ainda está em um longo processo de finalização;
  • O Cimarrón Uruguayo costuma ter muito ciúme de sua residência;
  • Os cuidados com a pelagem do Cimarrón Uruguayo são fáceis e simples, não é necessário que a pelagem seja escovada todos os dias.

História e Origem da raça Cimarrón Uruguayo

A origem da raça Cimarrón Uruguayo é um tanto incerta. Estudiosos da raça relatam que o Cimarrón descende de cães introduzidos em uma colônia no Uruguai pelos exploradores espanhóis e portugueses. 
Do cruzamento desses cães que os exploradores abandonaram no país, começou a ocorrer uma grande reprodução destes cães nas matas do país e por meio de uma seleção natural que apenas sobreviviam os cães mais aptos, astutos e fortes é que deu origem ao Cimarrón Uruguayo.
 A população da época, reconhecendo o valor dos cães Cimarróns, passaram a domesticá-los e começaram a utilizá-los como guardiões de suas propriedades e no trabalho com o gado.

Características e Personalidade

O Cão Cimarrón Uruguayo é equilibrado, sagaz, corajoso, elegante, robusto e forte. Ele pode trabalhar tanto na função de cão de pastoreio quanto na função de cão de guarda. 
Como cão de guarda, ele é bem criterioso, só irá latir se realmente necessitar.
No Uruguai o Cimarrón é muito conhecido pela sua habilidade, agilidade, coragem e determinação na caça.
Os cães desta raça são tranquilos, leais e muito apegados a família, além disso, são muito inteligentes e conseguem aprender facilidade.
O Cimarrón Uruguayo tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 55 a 61 centímetros, com peso entre 33 a 45 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cimarróns Uruguayo são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cimarróns Uruguayo irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cimarrón Uruguayo fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Cimarrón Uruguayo duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Cimarrón Uruguayo é curta, lisa, bem rente ao corpo e com subpelo. A pelagem pode ser tigrada ou baio em todas as tonalidades.

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Cimarrón Uruguayo é ideal para famílias com crianças mais velhas, ele gosta de se socializar com crianças, buscando sempre protegê-las.
Quanto a outros cães e animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Cirneco do Etna

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça cirneco do Etna que é uma raça quase desconhecida fora da Itália, já que permaneceu isolada na Sicília por praticamente 2 000 anos. Em 1939 foi reconhecida como raça. Comum aos cães de raças antigas, estes têm dificuldade de adaptação ao mundo urbano, pois precisam de constante atividade e são difíceis de adestrar, embora sejam vistos como animais muito fiéis. Podendo pesar até 12 kg, tem como peculiaridade as grandes orelhas largas e eretas, o longo pescoço e a cabeça estreita.

Clumber Spaniel

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Clumber spaniel que é uma raça canina oriunda da Inglaterra. É um cão considerado um dos mais antigos spaniels, tendo seu surgimento datado do século XVIII. Apreciado pela aristocracia local, foi batizado em homenagem ao castelo de Clumber, em Nottinghamshire. De acordo com as lendas que envolvem esta raça, sua origem não seria inglesa, mas sim francesa: alguns anos antes da Revolução Francesa, o Duque de Noailles, criador destes caninos, os enviou ao Duque de New Castle em Clumber Park, onde puderam perpetuar. Todavia, apesar da imprecisão de sua real origem e dos cruzamentos que resultaram neste animal robusto, seu surgimento foi atribuído à Grã-Bretanha. Fisicamente é um cão eficiente para caçadas, ainda que lento, já que é descrito como excelente localizador. Com o surgimento de spaniels mais velozes, sua criação começou a declinar, e hoje este canino sobreviveu graças a sua adaptação para cão de companhia.

Cocker Spaniel Americano

O Cocker Spaniel é uma raça amável, companheira, bonita e com uma disposição alegre. O Cocker fica mais que satisfeito quando está agradando seu tutor, fica feliz quando aconchega no sofá com sua pessoa favorita e adora no quintal com as crianças.

Apresentação da raça Cocker Spaniel Americano

O cãozinho da raça Cocker Spaniel é o queridinho de muitos proprietários de animais de estimação dos E.U.A. 
Do final dos anos 1930 até 1950, o Cocker Spaniel foi a raça número um registrado com o American Kennel Club. Sua popularidade caiu por quase 30 anos, mas disparou voltando a ser a raça queridinha de outra vez durante meados dos anos 1980. Somente em 1992 que as raças Labrador e Golden Retriever, tomaram a frente do Cocker. Hoje, o Cocker permanece dentro do top 15 das raças registradas.
O Cocker Spaniel é conhecido por um temperamento alegre e sadio. Sua pelagem é extremamente bonita, compondo um cão amoroso e gentil que só quer fazer sua família feliz.
Comparado a outros cães no grupo de Sporting, o Cocker é pequeno, cabendo confortavelmente em um apartamento, em um condomínio, ou em uma casa pequena. Ele é ótimo companheiro e um ótimo competidor, ele é facilmente treinado para as competições de esportes para cães que necessite de, obediência e agilidade. Ele também é um excelente cão de terapia.
O Cocker Spaniel Americano se assemelha bastante com o Cocker Spaniel Inglês, antes as duas raças eram consideradas uma só. No entanto, alguns criadores de Spaniel perceberam as diferentes estirpes do Cocker e procurou preservar as raças separadas e desencorajar o cruzamento das variedades Cocker Inglês e Cocker Americano. Em 1946, o American Kennel Club reconheceu as duas raças separadamente.
O Cocker Spaniel típico é gentil, um companheiro de família amoroso e confiável que é bom com crianças, outros animais de estimação e os idosos. 

Destaques e Curiosidades

  • O Cocker Spaniel é sensível e pode ser um pouco nervoso, mesmo se ele for devidamente socializado. Não se surpreenda se o seu Cocker exibe urinar submissa (xixi quando animado);
  • O Cocker é ansioso para agradar e gosta de estar sempre perto de sua família;
  • O Cocker tem uma personalidade "fofa". Métodos de treinamentos brutos e severos irão torná-lo temeroso, por isso certifique-se de ser suave nos treinamentos;
  • As orelhas longas de Cocker Spaniel faz parte de sua beleza como também, poderá causar a ele problema de saúde como infecção.

História e Origem da raça Cocker Spaniel Americano

O Cocker Spaniel é descendente da família Spaniel, um grande grupo que existiu a muitos anos atrás. A palavra Spaniel significa "cão espanhol". Estudiosos acreditam que ele realmente se originou na Espanha.
Em meados de 1800, os Spaniels foram divididos em dois grupos de cães: cães para companhia (cães pequenos) e cães de caça (cães grandes). Os cães de caça foram divididos em Spaniel Terra e água Dpaniel Spaniels. 
Na Inglaterra, os Spaniels foram uma categoria funcional, ao invés de uma raça de cão individual, por várias centenas de anos. O primeiro canil a ganhar reconhecimento para o Cocker Spaniel como uma raça distinta na Inglaterra foi o Obo Kennel do Sr. James Farrow. Em 1892, o Cocker Spaniel foi reconhecido como uma raça na Inglaterra.
No final da década de 1870, criadores americanos começaram a importar Cockers Ingleses para os Estados Unidos. Em 1881, Clinton Wilmerding e James Watson formaram o American Spaniel Club. 
O Cocker Spaniel rapidamente ganhou popularidade tanto com os criadores e quanto com o público. Com o tempo, alguns criadores começaram a favorecer um tipo menor de Cocker Spaniel Americano, com uma conformação diferente do Cocker Inglês original. 
Em 1936, um grupo de criadores de Cocker Inglês formou o English Cocker Spaniel Club of America, e eles ganharam reconhecimento do AKC para um tipo Inglês do Cocker Spaniel.
Em 1946, o American Kennel Club reconheceu o Cocker Spaniel Americano e o Cocker Spaniel Inglês como duas raças distintas.

Características e Personalidade

O Cocker Spaniel bem-criado, socializado e treinado, tem um temperamento doce, é afetuoso e fofo e adora participar de atividades familiares. É brincalhão, alerta e ativo, desfruta de qualquer exercício e de uma caminhada rápida.
O Cocker é conhecido por ser um cão sensível, mentalmente e fisicamente. Ele tem uma personalidade "suave" e não responde bem ao tratamento severo. Socialização precoce e treinamento é essencial para ensinar o Cocker maneiras caninas adequadas. Ele precisa ser tratado com cuidado e gentilmente para trazer o melhor de sua personalidade.
O Cocker Spaniel Americano tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 34 a 39 centímetros, com peso entre 12 a 14 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cocker Spaniel são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cockers irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Problemas Oculares: podem atingir o Cocker de várias maneiras, incluindo a Atrofia Progressiva da Retina, uma doença degenerativa das células da retina que progride para a cegueira; Catarata, uma película nebulosa que se forma sobre o olho; Glaucoma, uma condição em que a pressão se acumula dentro do globo ocular; E anormalidades oculares;
  • Anemia hemolítica auto-imune: é uma doença em que o sistema imunológico do cão ataca suas próprias células sanguíneas. Os sintomas incluem gengivas pálidas, fadiga e, por vezes, icterícia. Um abdômen inchado também é indicativo, pois sinaliza um fígado aumentado. Cockers mais afetados até se dão bem com o tratamento, mas não devem ser criados;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireoide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais.
  • Epilepsia idiopática: Está doença é muitas vezes herdada e pode causar crises leves ou graves. É importante lembrar que as convulsões podem ser causadas por muitas outras coisas além da epilepsia idiopática, como distúrbios metabólicos, doenças infecciosas que afetam o cérebro, tumores, exposição a venenos, lesões graves na cabeça e muito mais;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cocker fique sempre saudável.
O Cocker Spaniel é bem adequado para viver em um apartamento ou condomínio, porém, ele adora compartilhar uma casa e um quintal. Ele precisa de atividade diariamente. Uma brincadeira diária no quintal, juntamente com uma rápida caminhada de 30 minutos pode mantê-lo satisfeito e feliz. O Cocker não fica satisfeito por ser deixado sozinho ao ar livre vários dias. Ele está mais contente quando está com sua família, participando das atividades do grupo.
O Cocker é um caçador no coração. Ele também é um bom candidato para muitos esportes caninos, como competições que necessite de agilidade, obediência e rastreamento. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Cocker Spaniel em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

Existem poucas raças tão bonita o Cocker Spaniel. Sua pelagem grossa, às vezes ondulada é curta na cabeça e nas costas e longo sobre as orelhas, peito, barriga e pernas. A pelagem é de uma cor sólida (preto ou creme claro a vermelho a castanho), ou parti-cor (duas ou mais cores, uma das quais é branca).

Relacionamento com crianças outros animais

Uma das razões pelas quais o Cocker Spaniel é tão popular é que ele é um ótimo cão de boa família. Ele se dá bem com as crianças, contanto que ele seja criado com elas desde pequeno. Mas por ele ser um cão sensível, todas as interações entre o Cocker e as crianças devem ser supervisionadas por um adulto responsável.
O Cocker Spaniel também se dá bem com outros animais de estimação da família (dado treinamento adequado e apresentações), incluindo cães, gatos e pequenos animais.

Cocker Spaniel Inglês

O Cocker Spaniel Inglês é um cão de tamanho médio com orelhas compridas e uma disposição feliz. O nome Cocker vem de seu uso para caçar galinheiro na Inglaterra, embora o Cocker Spaniel Inglês tem sido usado para caçar muitos outros tipos de aves também. O Cocker é um grande cão de companhia para as pessoas que podem dar a ele o exercício de que necessita.

Apresentação da Cocker Spaniel Inglês

A muito tempo atrás, Cockers Americanos e Ingleses eram considerados a mesma raça. A decisão de separar as raças foi feita na década de 1930, quando se tornou evidente que os Cockers Spaniel dos Estados Unidos eram diferentes dos Cockers da Inglaterra.
Uma das diferenças entre as raças é o tamanho. O Cocker Spaniel Inglês é maior que o Cocker Spaniel Americano. Eles também se diferem no corpo. E ao contrário do Cocker Americano, o Cocker Inglês é bem provável ser encontrado no campo ao lado de seus primos o Spaniel de Campo e os Spaniels Springer Ingleses e de Gales.
O Cocker Spaniel Inglês é feliz e afetuoso. É robusto, com um longo focinho quadrado, olhos expressivos, longas orelhas que chegam até a ponta do nariz quando puxado para a frente, e uma cauda ancorada. 
Como cães esportivos, Cockers Ingleses tem um monte de resistência e energia. Eles também são cães curiosos e gostam de investigar as coisas. São excelentes retrievers com bocas delicadas que caçam bem em terreno difícil.
Enquanto Cockers Ingleses são inteligentes, eles podem ser teimosos também, um treinamento de obediência é uma boa ideia com qualquer cão.
Os talentos de um Cocker Inglês não se limitam ao campo sendo apenas um bom cão de caça. Ele também pode se dar bem em esportes para cães que necessitam de rastreamento, testes de obediência e agilidade.
O Cocker Inglês prospera por estar em torno de sua família e pode se tornar destrutivo se deixado muito tempo sozinho ou sem atividades. Ele se dá bem com a criança e é um ótimo companheiro para pessoas de todas as idades.
O Cocker é muito amigável para ser um cão de guarda. Se ele escutar um ruído irá latir, porém acaba lambendo as mãos de todos os estranhos que encontrar.

Destaques e Curiosidades

  • Alguns Cockers Ingleses latem muito;
  • O Cocker Inglês é sempre ansioso para agradar e gosta de estar sempre perto de sua família. Mas ele é cão de caça e pode começar a perseguir pássaros ou pequenos animais quando estiver do lado de fora; 
  • Cockers têm uma personalidade "suave". Métodos de treinamento severos podem torná-los temerosos;
  • Se o Cocker Inglês não tiver exercícios suficiente, ele pode tornar-se obeso e destrutivo;
  • As orelhas compridas de Cocker Spaniel Inglês são suscetíveis à infecções;

História e Origem da raça Cocker Spaniel Inglês

Spaniels de vários tamanhos estiveram ao redor por séculos. Existem referências sobre os Spaniels desde as obras de Shakespeare. 
Os Spaniels vêm em dois tipos: os Spaniels da terra e os Spaniels da água. O Cocker Inglês é membro da família Spaniel da terra. 
Não era incomum e nem estranho em uma única maca de Spaniels ter filhotes de diferentes tamanhos. Porém, no final do século XIX, criadores britânicos começaram a dividir os Spaniels em raças específicas, como: Springer Inglês, Springer Gales, Cocker, Field, Sussex, Clumber e Irish Water Spaniel.
Todos os Spaniels que pesaram menos de 11 quilos foram classificados como Cocker Spaniels. Houve alguma disputa, entretanto, sobre algumas das designações do peso, assim que eventualmente foi decidido que o tipo deve ser mais importante do que o peso em determinar a raça do cão. Em 1885, o England's Spaniel Club foi formado. Uma das primeiras tarefas do clube foi criar padrões de raça para cada um dos diferentes tipos de Spaniel.
Já do outro lado, nos Estados Unidos, o desenvolvimento dos Cockers tomou uma direção diferente. Criadores americanos selecionavam cães menores com um crânio mais arredondado, focinho mais curto e casaco mais pesado. Em 1935, ficou claro que os Cockers Spaniel Americano e Inglês eram dois tipos muito diferentes.
Em 1936, o English Cocker Spaniel Club of America foi formado, e o American Kennel Club reconheceu as duas variedades como raças separadas em 1946.
 Por mais que o Cocker Spaniel Americano se tornou muito popular nos E.U.A., o Cocker Inglês é uma das raças as mais populares no Reino Unido. Nos EUA, sua relativa falta de popularidade tem ajudado a raça a permanecer saudável e fiel às suas raízes como um cão de caça e companheiro agradável. 

Características e Personalidade

O Cocker Spaniel Inglês é descrito como alegre e afetuoso com uma disposição alegre e afetuosa. Ele é brincalhão, treinável e amigável com as pessoas e outros cães. 
Ele irá latir para avisar que alguém está se aproximando, porém ele será bem amigável com o estranho.
Como todos os cães, os Cockers Spaniels Ingleses também precisam de socialização precoce. Então, o tutor deve expor seu Cocker Inglês a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Cocker Spaniel Inglês tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 14 anos, sua altura equivale entre 38 a 41 centímetros, com peso entre 12 a 14 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Cockers Spaniel Ingleses são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Cockers irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Problemas Oculares: podem atingir o Cocker de várias maneiras, incluindo a Atrofia Progressiva da Retina, uma doença degenerativa das células da retina que progride para a cegueira; Catarata, uma película nebulosa que se forma sobre o olho; Glaucoma, uma condição em que a pressão se acumula dentro do globo ocular e anormalidades oculares;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Insuficiência Renal: Está doença é uma falha dos rins entre as idades de 9 e 24 meses, ocorre ocasionalmente e pode ser herdada;
  • Surdez Sensorineural Congênita: É uma doença que é encontrada atualmente somente em Cockers Ingleses parti-coloridos. Está presente no nascimento para filhotes afetados com degeneração de sua audição progredindo para surdez até a idade de 4 semanas;
  • Cardiomiopatia dilatada: Trata-se de uma doença em que o músculo cardíaco fica excessivamente distendido. Parece afetar principalmente Cockers Ingleses de cor sólida. Sinais incluem perda de peso, fraqueza, distensão abdominal, tosse, desmaio e batimento cardíaco rápido. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Cocker Inglês fique sempre saudável.
Os Cockers Spaniels Ingleses são adaptáveis e pode até viver bem em um apartamento, porém devem receber os exercícios diários para mantê-los em forma. 
O Cocker Spaniel é uma raça com uma grande dose de resistência, para que ele possa desfrutar de caminhadas longas, rápidas, jogos de busca ou esportes como agilidade ou flyball.
O Cocker Inglês deve ser ensinado com delicadeza. Ele tem um temperamento sensível e não vai responder bem à aspereza. Como todos os cães, Cockers Ingleses também tem um lado travesso. 
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Cocker Spaniel Inglês em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Cocker Spaniel Inglês possui uma pelagem média-longa que é plana ou ligeiramente ondulado, com uma textura sedosa. As pernas, peito e barriga são cobertos com pelos mais longos.
A pelagem do Cocker Inglês vem em muitas cores. Entre elas estão parti-color (branco com preto, fígado, ou tons de vermelho); Sólido preto, fígado, ou tons de vermelho; Preto e tan; E fígado e tan. Qualquer das cores ou padrões podem vir com pontos de bronzeado nas sobrancelhas, focinho, garganta, nádega e pés. De todas as cores do Cocker Inglês, o azul roan é a cor mais popular.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Cocker Inglês é simpático, divertido e gentil, é ótimo com crianças, especialmente se cresceram juntos. O Cockers Inglês adulto que não é familiarizado com crianças pode ser melhor em uma casa com crianças mais velhas que entendem como interagir com cães. Porém a interação entre crianças e cães devem ser sempre monitoradas por um adulto. 
O Cocker Inglês desfruta bastante da companhia de outros cães e também pode se dar bem com os gatos, especialmente se estão juntos desde pequenos.

 

Collie pelo curto

O Collie pelo curto é um cão de origem escocesa, foi produzido nas planícies escocesas e no norte da Inglaterra, onde foi usado como cão de pastoreio. É um cão sensível, inteligente, leal e companheiro.

Apresentação da raça Collie pelo curto

Collie é uma raça de cão muito inteligente e sensível. É dedicado e protetor de sua família, além de ser amigável com pessoas que não são do seu convívio. É um cão conhecido por ser lúdico e gentil, sendo um excelente companheiro para as crianças.
Pode-se dizer que o Collie também é um bom cão de guarda, se ele ver ou sentir algo estranho vai latir, mas não irá agredir, irá apenas avisar seu tutor que algo está errado.
Atualmente o Collie é mais um animal de estimação do que um cão de pastoreio. Ele se adapta bem aos ambientes domésticos, desde que ele pratique exercícios diários. 
O Collie pelo curto gosta de relaxar junto de sua família, como também correr e brincar com as crianças. Seus instintos de pastoreio ainda são fortes, por isso enquanto estiver brincando, ele poderá reunir crianças, animais de estimação e se deixar tentará reunir até carros.

Destaques e Curiosidades

  • O Collie possui dois aspectos distintos: Collie Pelo Curto e Collie Pelo Longo;
  • O Collie é quase sempre quieto a menos que tiver uma razão para se revoltar e morder alguém. No entanto, se ele for deixado com muita frequência sozinho ou se ele estiver entediado, ele irá latir excessivamente.
  • Muitos Collies são sensíveis a medicamentos, incluindo ivermectina. Certifique-se de conversar com seu veterinário antes de dar qualquer medicamento a seu Collie Pelo Curto. 

História e Origem da raça Collie Pelo Curto

O Collie é um cão nativo da Escócia, mais precisamente das regiões Highland. Antes de ter chegado no nome Collie a raça também foi chamada de Collis, Colley, Coally e Coaly. Porém muitos estudiosos acreditam que o nome da raça vem do colley, a ovelha escocesa que tinha a face negra e que um cão Collie costumava fazer a guarda.
Os Collies originais eram mais próximos em tamanho e na forma dos cães Border Collies de hoje, e eram predominantemente pretos. A capacidade de pastoreio era mais importante do que a aparência, então os cães passaram por muitas modificações em sua aparência.
Os nômades da Idade da Pedra levaram cães para o que agora é o sul da Inglaterra, e destes veio um cão robusto e inteligente usado para rebanho de ovelhas, gado, cabras e porcos. Estudiosos dizem que os ancestrais particulares do Collie foram levados às ilhas britânicas por conquistadores romanos, há uns dois mil anos.
A primeira moda de Collie começou quando em 1860 a rainha Victoria em visita a Escócia, levou para Inglaterra um cão Collie. 
Não demorou muito para que os cães fossem mostrados e criados para terem uma boa aparência e não uma boa capacidade de trabalho. Eles foram exibidos pela primeira vez em 1860 em um show de cães em Birmingham, na Inglaterra, na classe genérica conhecida como "Scotch Sheep-Dogs".
E assim criadores começaram a fazer cruzas e a criar o Collie Pelo Curto.
O primeiro Collie foi importado para os Estados Unidos em 1879. O Collie Club of America foi formado em 26 de agosto de 1886, o que o torna um dos mais antigos clubes caninos de especialidade.

Características e Personalidade

O Collie Pelo Curto é um cão alegre, amigável, inteligente, jamais nervoso ou agressivo. Seu temperamento é afetado por muitos fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. 
Como todo cão, o Collie Pelo Curto também precisa de socialização precoce, então o tutor deve expor seu Collie a pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Collie Pelo Curto tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 16 anos, sua altura equivale entre 51 a 61 centímetros, com peso entre 18 a 30 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Collies Pelo Curto são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Collies Pelo Curto irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Dermatomiosite: É uma doença de pele herdada. Esta doença causa lesões e problemas musculares; 
  • Nariz do Collie: Também conhecida como Dermatite Solar Nasal, é uma doença que faz a pele do nariz descascar e consequentemente pode perder a cor. Se a doença não for tratada, pode ser dolorosa e até desenvolver câncer no nariz; 
  • Anatomia do olho do Collie: Esta doença é herdada e às vezes pode ocasionar à cegueira. A doença causa alterações e anormalidades no olho. Estas alterações podem incluir hipoplasia coróide; Coloboma; Staphyloma e descolamento da retina;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perde da visão;
  • Episclerokeratite Granulomatosa Nodular: Também conhecida como Fascite Nodular, Histiocitoma Fibroso ou Granuloma de Collie, esta doença é um um distúrbio imune que causa danos à córnea; 
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril. 
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais;
  • Sensibilidade à Droga: O Collie é conhecido por reagir a drogas tais como ivermectina, anestesia e inseticidas. Consulte seu veterinário antes de dar ao Collie qualquer medicação.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Collie Pelo Curto fique sempre saudável. 
O Collie vive confortavelmente em uma casa na cidade ou no campo, contando que na casa tenha bastante espaço para que ele faça exercício, já é o suficiente. Uma caminhada rápida diariamente e brincadeiras no quintal são o bastante para ele se divertir. Porém o Collie não é um candidato para um estilo de vida quintal.
A alimentação dos cães depende muito do tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Collie pelo Curto em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Collie Pelo Curto possui uma pelagem curta, reta, com pelos ásperos e subpelos densos. 
O Collie Pelo Curto pode vir em três cores, sable e branco, tricolor e azul merle.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Collie é brincalhão é sábio e amoroso com as crianças, mesmo aquelas crianças que não cresceu com ele. Ele é um cão protetor das crianças e de sua família, vigiando-as e mantendo-as a salvo do perigo.
O Collie também é protetor e gentil com outros animais de estimação que faz parte de sua família. Ele é um afetuoso, o guardião, dispostos a assistir bebês coelhos, pintinhos e até cabritinhos.

Página 7

Collie pelo longo

O Collie é um nativo da Escócia, foi produzido nas planícies escocesas e no norte da Inglaterra, onde foi usado como cão de pastoreio. O Collie é sensível e inteligente, conhecido por sua lealdade eterna e incrível capacidade de prever as necessidades de seu dono, além de ser um grande companheiro.

Apresentação da raça Collie

Collie é uma raça de cão muito inteligente, sensível e possui uma estranha capacidade de saber quando algo está errado. As histórias sobre a raça relatam sobre o cão Collie que salvou pessoas e animais.
O Collie é um cão de tamanho médio, que é muito fácil de treinar, é dedicado e protetor de sua família, além de ser amigável com pessoas que não são do seu convívio. É um cão conhecido por ser lúdico e gentil, sendo um excelente companheiro para as crianças.
Embora o Collie seja um pouco amigável com desconhecidos, às vezes ele pode suspeitar deles, especialmente se o desconhecido se aproximar das crianças em sua família. Assim, pode-se dizer que o Collie também é um bom cão de guarda, se ele ver ou sentir algo estranho vai latir, mas não irá agredir, irá apenas avisar seu tutor que algo está errado.
Atualmente o Collie é mais um animal de estimação do que um cão de pastoreio. Ela se adapta bem aos ambientes domésticos, desde que ele pratique muitos exercícios diários. O Collie gosta de relaxar junto de sua família, como também correr e brincar com as crianças. Seus instintos de pastoreio ainda são fortes, por isso enquanto estiver brincando, ele poderá reunir crianças, animais de estimação e se deixar tentará reunir até carros.
Além de sua capacidade de ser um cão de pastoreio, o Collie é leal e se destaca como um cão de terapia. Ele também é ótimo em esportes para cães que necessite de, agilidade e obediência.
Devido a um filme e uma série de TV que tinham como protagonista um cãozinho da raça Collie, acabaram fazendo o Collie um cão popular nos Estados Unidos. Porém, infelizmente, a extrema popularidade que o Collie teve na época, fez com que pessoas sem escrúpulos reproduzissem cães Collie sem ter em conta o temperamento, a saúde ou a conformação.
Como resultado desse escrúpulo, muitos Collies têm graves problemas de saúde e temperamento. 

Destaques e curiosidades

  • O Collie possui dois aspectos distintos: Collie Pelo Longo e Collie Pelo Curto;
  • O Collie é quase sempre quieto a menos que tiver uma razão para se revoltar e morder alguém. No entanto, se ele for deixado com muita frequência sozinho ou se ele estiver entediado, ele irá latir excessivamente.
  • Muitos Collies são sensíveis a medicamentos, incluindo ivermectina. Certifique-se de conversar com seu veterinário antes de dar qualquer medicamento a seu Collie. 

História e Origem da raça Collie

O Collie é um cão nativo da Escócia, mais precisamente das regiões Highland. Antes de ter chegado no nome Collie a raça também foi chamada de Collis, Colley, Coally, e Coaly. Porém muitos estudiosos acreditam que o nome da raça vem do colley, a ovelha escocesa que tinha a face negra e que um cão Collie costumava fazer a guarda.
Os Collies originais eram mais próximos em tamanho e na forma dos cães Border Collies de hoje, e eram predominantemente pretos. A capacidade de pastoreio era mais importante do que a aparência, então os cães passaram por muitas modificações em sua aparência.
Os então nômades da Idade da Pedra levaram cães para o que agora é o sul da Inglaterra, e destes veio um cão robusto e inteligente usado para rebanho de ovelhas, gado, cabras e porcos. Estudiosos dizem que os ancestrais particulares do Collie foram levados às ilhas britânicas por conquistadores romanos,  há uns dois mil anos.
A primeira moda de Collie começou quando em 1860 a rainha Victoria em visita a Escócia, levou para Inglaterra um cão Collie. 
Não demorou muito para que os cães fossem mostrados e criados para terem uma boa aparência e não uma boa capacidade de trabalho. Eles foram exibidos pela primeira vez em 1860 em um show de cães em Birmingham, na Inglaterra, na classe genérica conhecida como "Scotch Sheep-Dogs".
O primeiro Collie foi importado para os Estados Unidos em 1879. O Collie Club of America foi formado em 26 de agosto de 1886, o que o torna um dos mais antigos clubes caninos de especialidade.

Características e Personalidade

O Collies Pelo Longo é doce, amigável e delicado. Ele é um cão de família e gosta de fazer parte de todas as atividades domésticas. É um cão que adora crianças, além de gostar de brincar com elas e protegê-las. É inteligente, leal e esperto. O Collie é muito devoto a seu tutor. O seu temperamento é afetado por muitos fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Filhotes com temperamento agradável são curiosos e brincalhão, dispostos a abordar as pessoas.

Como todo cão, o Collie precisa de socialização precoce, então o tutor deve expor seu Collie a pessoas, vistas, sons e experiências diferentes desde pequeno.
O Collie Pelo Longo tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 14 anos, sua altura equivale entre 51 a 61 centímetros, com peso entre 18 a 30 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Collies Pelo Longo são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Collies Pelo Longo irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Dermatomiosite: É uma doença de pele herdada. Esta doença causa lesões e problemas musculares. 
  • Nariz do Collie: Também conhecida como Dermatite Solar Nasal, é uma doença  que faz a pele do nariz descascar e consequentemente pode perder a cor. Se a doença não for tratada, pode ser dolorosa e até desenvolver câncer no nariz; 
  • Anatomia do olho do Collie: Esta doença é herdada e às vezes pode ocasionar à cegueira. A doença causa alterações e anormalidades no olho. Estas alterações podem incluir hipoplasia coróide; Coloboma; Staphyloma e descolamento da retina;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perde da visão;
  • Episclerokeratite Granulomatosa Nodular (NGE): Também conhecida como Fascite Nodular, Histiocitoma Fibroso ou Granuloma de Collie, esta doença é um um distúrbio imune que causa danos à córnea; 
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril. 
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais;
  • Sensibilidade à Droga: O Collie é conhecido por reagir a drogas tais como ivermectina, anestesia e inseticidas. Consulte seu veterinário antes de dar ao Collie qualquer medicação.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Collie Pelo Longo fique sempre saudável. 
O Collie vive confortavelmente em uma casa na cidade ou no campo, contando que na casa tenha bastante espaço para que ele faça exercício, já é o suficiente. Uma caminhada rápida diariamente e brincadeiras no quintal são o bastante para ele se divertir. Porém o Collie não é um candidato para um estilo de vida quintal.
A alimentação dos cães depende muito do tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também fazem a diferença.
Então mantenha seu Collie em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Collie é encontrado com dois tipos de pelagem: a pelagem áspero que é o pelo longo e a pelagem lisa que é o pelo curto. O Collie Pelo Longo tem uma pelagem exterior abundante, reta e áspera ao toque e uma pelagem abaixo da pelagem exterior que é macio e bem peludo. 
O Collie vem em quatro cores: cor de areia, tricolor (preto com marcas brancas e sombreado tan), azul merle (azul prateado e preto) e branco (predominantemente branco com marcações).

Relacionamento com crianças e outros animais

O Collie é brincalhão é sábio e amoroso com as crianças,  mesmo aquelas crianças que não cresceu com ele. Ele é um cão protetor das crianças e de sua família, vigiando-as e mantendo-as a salvo do perigo.
O Collie também é protetor e gentil com outros animais de estimação que faz parte de sua família. Ele é uma afetuoso, o guardião, dispostos a assistir bebês coelhos, pintinhos e até cabritinhos.

Coton de Tulear

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Coton de Tulear que é uma raça canina nativa de Madagascar, descendente de cães franceses da época colonial. Sua origem é ainda nebulosa, embora saiba-se que descendam de bichons levados à ilha e dados de presente às pessoas influentes. Adotado pela família real local no século XVII, foi considerado proibido para as pessoas comuns. Popular na França, sofreu com a mixigenação, que pouco manteve seu padrão. Fisicamente, é bastante assemelhado aos bichons, podendo chegar a medir 28 cm na altura da cernelha e pesar 6 kg.

Dachshund

 Os cães da raça Dachshund foram produzidos para caçar texugos, coelhos, raposas e outros animais. Os Dachshunds foram usados até para rastrear javalis. Hoje a sua versatilidade da raça torna-os excelentes cães, companheiros de famílias.

Apresentação da raça Dachshund

O Dachshund é pequeno e possui as orelhas caídas, além de ser suficientemente resistente para caçar texugos. Ele foi criado mesmo para caçar texugos e daí veio seu nome, pois Dachs significa texugo e hund .
Não importa o seu pequeno tamanho, Dachshunds são uma soma deliciosa para toda a família. Sua aparência fofa e seu jeito animado inspirou muitos apelidos afetuosos e carinhosos para a raça, como: Cão do Wiener, Cachorro Quente, Cão Salsicha, Doxie, Dashie, e especialmente na Alemanha Teckels, Dachels, ou Dachsels.
É uma comédia e ninguém cansa de sorrir quando vê um Dachshund confiante, orgulhosamente carregando seu longo e musculoso corpo em pernas curtas, sua cabeça alongada erguida com um olhar audaz. 
Devido a sua aparência quase cômica, Dachshunds tem sido um tema favorito dos cartunistas e fabricantes de brinquedos. Mas sua aparência fofa foi desenvolvida por razões muito mais sérias e práticas. Seus pés curtos permitem que eles cavem e façam túneis para encurralar e mesmo ou até mesmo lutar com texugos e outros animais. Dachshunds são valentes, mas também são teimosos.
É em casa que surge a natureza lúdica do Dachshund. Ele adora estar perto de seu tutor. Os Dachshund são inteligentes e muitas vezes tem suas próprias idéias sobre o quando se trata de brincar. Eles são conhecidos por serem animados e por desfrutarem de perseguir outros pequenos animais, pássaros e brinquedos.
Os Dachshunds eram vistos frequentemente como um símbolo da Alemanha. Devido a esta associação, os Dachshunds perdeu popularidade nos Estados Unidos durante a Primeira e a Segunda Guerra Mundial. 
Dachshunds são uma boa escolha para moradores de apartamentos e pessoas que não tem um quintal. Eles são populares entre pessoas que moram em casas e apartamentos por causa de seu tamanho pequeno. 
O Dachshund é um cão ativo e também desfrutar de passeios. 
Embora foram criados para caçar texugos e outros animais, os Dachshunds de hoje são companheiros ideais para as famílias. São ótimos para participar de competições para cães que necessite de obediência e, agilidade. O Dachshund é um companheiro versátil. Com sua variedade dos tamanhos, das cores, dos tipos do revestimento, e das personalidades, há um Dachshund para servir quase qualquer um.

Destaques e curiosidades

  • O cãozinho Dachshund pode ser muito teimoso, por isso é recomendado que ele seja treinado desde pequeno para que acostume com as regras;
  • Dachshunds são cães inteligentes com uma natureza independente e com um espírito brincalhão;
  • Porque ter sido criado para a caça, o Dachshund pode exibir alguns comportamentos que estão relacionados com isso. Ele foi projetado para cavar em tocas de texugo, e esse instinto pode levá-lo a cavar em quintais de terra; 
  • Dachshunds adoram latir.

História e Origem da raça Dachshund

O Dachshund foi criado na Alemanha e era chamado de cão do texugo, pois em alemão dachs significa texugo e hund significa cão. Era conhecido por lá também como Teckel.
A raça foi refinada ao longo de muitos anos por silvicultores alemães nos séculos XVIII e XIX. Eles queriam desenvolver um cão corajoso, alongado, que poderia cavar em tocas de texugo e se necessário lutar contra eles até a morte. 
Basset Hound francês, que é uma pequena raça francesa e o Pinscher, que é um pequeno perseguidor terrier podem ter desempenhado um papel no desenvolvimento do Dachshund. 
Os Dachshunds de pelo longo, foram criados provavelmente por meio de cruzamentos com diversos Spaniels e os peludos por meio de cruzamento com terriers.
Hoje o Dachshund é a única raça reconhecida pelo AKC, que caça acima e abaixo da terra. 
Seus pés curtos e poderosos permitiam que penetrassem profundamente em túneis estreitos para perseguir suas presas. A cauda longa e resistente forneciam aos caçadores um "punho" para puxar o Dachshund para fora da toca. A pele solta do Dachshund liso não rasgaria enquanto o cão atravessava em tocas apertadas. Seu peito profundo com capacidade pulmonar ampla dava-lhe resistência para caçar e seu nariz comprido permitia que fosse um bom cão farejador. Até mesmo seu latido profundo e alto teve uma razão. E, claro, tinha que ser um cão ousado ​​e tenaz. 
Os Dachshunds alemães originais eram maiores que os Dachshunds que conhecemos hoje.
A partir de 1800, os Dachshunds começaram ser produzidos mais como animais de estimação do que como caçadores, especialmente em Grâ Bretanha. Devido a tendência que o cão passou a ser na época, seu tamanho foi reduzido em cerca de 10 quilos. 
Em 1879, um padrão da raça foi escrito, nove anos depois, em 1888, o clube alemão do Dachshund foi fundado. Em 1895, foi fundado o Dachshund Club of America.

Características e Personalidade

O Dachshund é descrito como inteligente, animado e corajoso. Ele gosta muito de estar com sua família.
O temperamento é afetado por uma série de fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. 
Como todos os cães, os Dachshunds precisam de uma socialização precoce, o tutor deve expor seu Dach a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes. 
Com uma variedade de tamanhos, cores, tipos de revestimento e personalidade, o Dachshund tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 30 a 35 centímetros, com peso entre 3 a 9 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Dachshunds são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dachs irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Doença do Disco Intervertebral: Os cãezinhos Dachshunds são propensos a ter problemas nas costas. Isso pode ser devido à genética ou cair e saltar se estiver em cima de móveis. Os sintomas do problema incluem a incapacidade de se levantar nas pernas traseiras, paralisia e, por vezes, perda do controle do intestino e da bexiga. 
  • Epilepsia: Dachshunds são propensos a ter apreensões epilépticas. Em cães que são afetados, devido a condição é genética ou devido a uma queda ou um golpe duro na cabeça. Se o Dachshund tem convulsões, deve ser levado ao veterinário para determinar qual tratamento é apropriado. Em muitos casos, a epilepsia pode ser controlada com medicação.
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Bullmastiffs. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez,  quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 
  • Doença de Cushing: Esta doença ocorre quando o corpo produz muito de um hormônio cortisol. Podendo ser devido a um desequilíbrio na glândula pituitária ou na glândula adrenal, ou pode ocorrer devido a outras condições. Os sinais mais comuns são excesso de micção e excesso de sede fazendo o cãozinho beber muita água. 
  • Canine Diabetes Mellitus: Diabetes é ocasionalmente visto em Dachshunds, especialmente se eles estão acima do peso. Diabetes pode ser tratado com dieta e injeções diárias de insulina. Sinais incluem micção excessiva, sede e perda de peso por mais que o cãozinho sinta muita fome;
  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Dachshund fique sempre saudável. 
Dachshund é um cãozinho cheio de energia e muita resistência. Ele gosta de passear, brincar ao ar livre com outros cães, de caçar e inclusive de cavar. Ele é bem ativo dentro de casa e para suprir toda essa energia 10 minutos de passeios por dia é o essencial. 
O Dachs não é adequado para ficar no quintal, o ideal é o cãozinho ficar dentro de casa. Ele é muito inteligente e pode aprender rapidamente se devidamente motivado. 
A alimentação dos cães depende muito do tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também fazem a diferença.
Então mantenha seu Dachshund em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Dachshund liso é curta e brilhante. Os dachshunds lisos de uma única cor podem ter a pelagem vermelha ou creme, talvez com alguns pelos pretos. Os Dachshunds lisos com mais cores podem ter a pelagem no preto, chocolate, javali selvagem (cinzento), cinzento (azul) ou Isabella (fawn) com marcas creme. Dachshunds peludos têm um revestimento muito diferente dos Dachshunds lisos, seu pelo é curto, grosso e duro. A cor mais comum dos Dachshunds peludos é o javali selvagem (cinzento). Já os Dachshunds de pelagem longa, possui pelos reluzentes, ligeiramente ondulados. Eles vêm nas mesmas cores encontradas no Dachshund liso.

Relacionamento com crianças e outros animais

Os Dachshunds são ótimos com crianças de sua própria família se for criados com elas desde pequenos. Eles podem não ser tão afeiçoado por crianças, porém se dão bem com outros animais de estimação.

Dálmata

Conhecida como a estrela do filme 101 Dálmatas da Disney, os cães desta raça são elegantes e atléticos, que possuem muitas capacidades, que inclui trabalhar como cão de caça. São cães encantadores, são tanto galantes quanto patetas voltando a ser galantes novamente em um piscar de olhos, adoram fazer parte de tudo o que suas famílias fazem.

Apresentação da Raça Dálmata

O Dálmata é provavelmente uma das raças mais conhecidas no planeta. Muitas pessoas são atraídas por sua boa aparência, mas ele definitivamente não é para todos.
Dálmata ama estar com as pessoas e participar de qualquer atividade em família, seu elevado nível de energia pode ser cansativo para viver.
O Dálmata foi criado para correr ao lado de carruagens, ajudando a afastar possíveis bandidos. Não é de se surpreender que o Dálmata hoje tem uma capacidade infinita de exercício e é o companheiro ideal para pessoas que gostam de jogging, skate ou bicicleta. Ele também é um ótimo competidor de esportes caninos, e se sai muito bem em esportes que necessita de agilidade e flyball. 
O Dálmata deve fazer exercícios diariamente, para que ele fique satisfeito, além de impedir que ele tenha problemas de comportamento. O cãozinho Dálmata é altamente ativo e altamente inteligente. Ele precisa de treinamentos no início da vida para estabelecer regras para o comportamento. Porém, o Dálmata é um cão bem sensível e não responde bem aos métodos de treinamentos brutos. 
Dálmatas se dão bem com outros animais de estimação e com crianças desde que desde filhotes eles já se socializam com todos os tipos de animais de estimação e pessoas. Para os adultos, o Dálmata é um grande companheiro de caminhada. É um ótimo amigo e companheiro de família.

Destaques e Curiosidades

  • Os Dálmatas precisam de exercícios diários para que eles não se tornem destrutivos;
  • Os Dálmatas têm bastante queda de pelo. O ideal é o tutor escovar o pelo do seu Dálmata com frequência, pois isso poderá ajudar a manter a queda de pelo sob controle;
  • A socialização precoce para o Dálmata é uma obrigação;
  • Dálmatas não gostam de passar longos períodos de tempo sozinhos. Eles gostam quando podem ser incluídos em todas as atividades da família, como também dormir e viver junto de sua família humana;
  • Os filmes de animação e live-action "101 Dalmatians", ambos da Disney, causaram um aumento extremo na popularidade da raça. 

 História e Origem da raça Dálmata

Assim como de muitas outras raças, as origens do Dálmata são desconhecidas. Os cães manchados são conhecidos por terem viajado com as bandas nômades de romani, às vezes chamados de ciganos, e não se sabe onde eles podem ter aparecido pela primeira vez. 
A raça obteve este nome durante a estadia dos cães na Dalmácia, uma província na costa oriental do Mar Adriático, a área que é agora conhecida como a Croácia.
Dálmatas foram utilizados para uma variedade de trabalhos durante sua longa história, nunca se especializando em uma área só. Eles foram usados como cães de guarda na Dalmácia, pastores, perseguidores de ratos, retrievers, cães de circo e cães treinadores.
Então, na Inglaterra que o Dálmata foi desenvolvido como o cão treinador definitivo. Ele foi usado para limpar os caminhos antes dos cavalos, correr ao lado dos ônibus ou sob os ônibus entre os eixos. Guardava os cavalos quando estavam em repouso. Até hoje, o Dálmata tem uma afinidade natural por cavalos.
Esta afinidade levou o Dálmata a ter uma carreira diferente nos Estados Unidos. Ele se tornou um cão de bombeiro, correndo com os cavalos para o fogo, vigiando o equipamento durante um incêndio, e às vezes até mesmo resgatando pessoas de edifícios em chamas. 
Atualmente a maioria dos dálmatas são companheiros e membros de famílias, mas muitos corpos de bombeiros em todo o país ainda têm Dálmatas como mascotes.

Características e Personalidade

O Dálmata é um cão com uma altíssima energia, com uma capacidade infinita para fazer exercícios. Ele adora atenção e tem um forte desejo de agradar, tornando-o fácil de se treinar.
É um cão esperto com um sentido manhoso no humor, ele fará seu melhor para fazer todos de sua família rir. O Dálmata é um cão alerta e interessado em tudo o que acontece em torno dele, com isso ele se torna um excelente cão de guarda.
Como todo cão, o Dálmata precisa de socialização precoce. Então o ideal é o tutor expor seu Dálmata a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Dálmata tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 54 a 61 centímetros, com peso entre 24 a 32 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Dálmatas são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dálmatas irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Surdez Hereditária: A surdez hereditária é herdada como um traço poligênico e todas as linhagens Dálmatas podem transmitir a surdez à sua descendência. Aproximadamente 8% dos Dálmatas nascem completamente surdos. Dê 22% a 24% nascem com audição em apenas uma orelha. Todos os filhotes nascem com os ouvidos fechados. As orelhas devem abrir por 12 a 16 dias de idade;
  • Urolitíase: O Dálmata possui um sistema único do sistema urinário que os torna suscetíveis à formação de pedras do trato urinário (Urolithiasis). A urina de um Dálmata contém ácido úrico em vez de ureia ou alantoína. As pedras são formadas a partir dos sais do ácido úrico. Pedras grandes se alojarão na uretra; Pedras pequenas também chamado de cascalho pode passar com a urina. Se o trato urinário fica completamente bloqueado e a condição não é tratada prontamente, será fatal. Dálmatas devem ter água suficiente em todos os momentos;
  • Alergias da pele: Muitos Dálmatas sofrem de alergias de pele. Existem três tipos principais de alergias: alergias alimentares, que são tratadas por um processo de eliminação de certos alimentos da dieta do cão; Alergias de contato, causadas por uma reação a uma substância tópica, como cama, pós de pulgas, xampus para cães e outros produtos químicos e tratada removendo a causa da alergia; E alergias inalantes, causadas por alérgenos aéreos, como pólen, poeira e bolor;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Displasia da Iris Esfíncter: É uma complicação ocular hereditária que pode causar sensibilidade à luz brilhante, má visão noturna, cegueira parcial ou total e catarata. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Dálmata fique sempre saudável.
O Dálmata é um cão muito ativo e precisa de muitos exercícios. Ele é rápido quando corre e possui muita resistência. 
Os Dálmatas prosperam com o companheirismo humano. Eles se sentirão bem se forem deixados largados no quintal. 
Devido ao seu metabolismo único ácido úrico, é importante observar se o seu Dálmata está urinando regularmente. Pela mesma razão, não se esqueça de fornecer-lhe com fácil acesso a água fresca o tempo todo.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Dálmata em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Dálmata é bonita ao toque, sendo curta, acetinada e fina. A cor de base é branca com manchas redondas bem definidas, densas pretas ou profundas (cor de fígado) que variam de tamanho de moeda de dez centavos a meio tamanho de dólar uniformemente distribuídas sobre a pelagem. 
De onde vieram as manchas dos dálmatas é um mistério, pensa-se que elas podem ter sido causadas por uma mutação no gene tique-taque.
Os filhotes de Dálmata nascem brancos puros e as manchas aparecem à medida que envelhecem. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Qualquer criança consegue conhecer um Dálmata de longe. O amor que este cão sente pela atividade faz com que o Dálmata seja um grande companheiro de brincadeiras para crianças mais velhas, mas sua natureza brincalhona e sua cauda esbranquiçada podem ser esmagadoras para crianças pequenas. Com a socialização precoce, os Dálmatas podem se dar bem com outros cães e gatos.

Dandie Dinmont Terrier

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Dandie dinmont terrier que é uma raça de pequenos cães da família dos terriers oriunda da Escócia. Sua origem é pouco conhecida, mas sabe-se que seu nome foi inspirado em um personagem do romance de Walter Scott, chamado Guy Mannering, séculos depois de suas primeiras aparições em pinturas que retratavam a aristocracia escocesa. Diferente dos terriers na aparência e no comportamento, é descrito como um canino leal, calmo e tolerante com outros cães, embora brigue quando instigado. Conhecido por sua força, tem muitos problemas de saúde relacionados a sua coluna, em decorrência de suas pernas curtas e seu dorso longo. Podendo atingir os 28 cm e pesar 11 kg, tem seu adestramento qualificado como de dificuldade moderada para donos inexperientes.

Dobermann

O Doberman é de origem alemã e foi desenvolvido durante o final do século XIX, para ser um cão de guarda. Assim como muitas outras raças, sua ascendência exata é desconhecida, mas acredita-se ser uma mistura de muitas raças de cães, incluindo cães das raças Rottweiler, Terrier Preto e Tan e Pinscher Alemão. Com sua pelagem lustrosa, construção atlética, orelhas e cauda acoplada, o Doberman aparenta um aristocrata. É um cão altamente energético e inteligente, adequado para o trabalho policial e militar, esportes caninos, cão de guarda e um grande companheiro.

Apresentação da raça Doberman

O Doberman (em muitos países a grafia é Dobermann) passou a existir no final do século XIX. Porém, isso não impediu o Dobie, como ele é carinhosamente chamado, de se tornar uma das raças mais populares e reconhecidas nos Estados Unidos.
Possui um visual elegante e esbanja de um estilo atlético. É um cão inteligente, alerta e leal, além de ser um corajoso cão de guarda, bem como um amado companheiro de família.
A reputação feroz do Dobeman precede-o. Ele é muito temido por aqueles que não o conhecem, muitos acreditam que é um cão altamente agressivo. É um guardião formidável, mas geralmente é um cão gentil, atento e amoroso. Ele não procura problemas, mas é destemido e defenderá sua família e seu território se perceber o perigo.
O Doberman gosta de fazer parte da família. Ele gosta de estar perto daqueles que ama e, quando este amor está presente, ele é um protetor natural. Ele é confiável com crianças, amigos e convidados, desde que seja tratado com bondade.
Apesar de suas qualidades positivas, o Doberman não é a raça certa para todos. Ele é grande e extremamente ativo, tanto física como mentalmente. É o tipo de cão que precisa de muito exercício.
Na verdade, as orelhas de Dobermans foram cortadas para aumentar sua habilidade de localizar sons.
O Dobermann bem-criado, socializado e treinado corretamente é um ótimo companheiro e um excelente animal de estimação, ele é apropriado para famílias com tem outros cães, é delicado com crianças novas, leal e devoto de cada membro de sua família.

Destaques e Curiosidades

  • O Doberman possui uma grande quantidade de energia e precisa de muitos exercícios;
  • É uma raça protetora, por isso não se surpreenda quando ele assume o papel de guardião da casa;
  • O Doberman é sensível ao frio e precisa de um abrigo adequado no inverno;
  • O Dobie é um cão de família e não deve ser deixado sozinho. Ele prospera quando está incluído nas atividades de sua família;
  • O Doberman ganhou uma reputação como sendo um cão muito agressivo. Mesmo que seu Doberman possa ter uma personalidade doce, os vizinhos e os desconhecidos podem ficar receosos com ele.

História e Origem da raça Doberman

No final do século XIX, havia um cobrador de impostos chamado Louis Dobermann, que morava na cidade de Apolda, no distrito da Turíngia, na Alemanha. Seu trabalho de coleta de dinheiro era perigoso porque havia bandidos na área que poderiam atacá-lo.
Desde que Dobermann era também o imobilizador de cães dispersos da cidade, então ele passou a levar com ele frequentemente um cão para a protejê-lo. Assim, Dobermann começou a criar cães com a ideia de desenvolver um companheiro leal e protetor em mente. O resultado de suas experiências de criação foi o início do Doberman.
Não há registros sobre quais cães o Dobermann usou para criar a raça, mas especula-se que foram cães das raças Rottweiler, Pinscher Alemão e Terrier Preto e Tan. 
O cão Doberman foi exibido pela primeira vez em 1876, onde foi recebido com grande entusiasmo.
Quando Louis Dobermann morreu,18 anos depois, o verdadeiro conhecimento das raças, que foram combinadas para criar o Dobie foi com ele para o seu túmulo. Por causa de suas contribuições no desenvolvimento da raça, entretanto, a raça foi nomeada com seu nome em sua honra.
No final do século XIX, criadores alemães que continuaram o trabalho de Dobermann estavam preocupados principalmente com a função e não com a aparência. Eles queriam desenvolver o Doberman para ser um "super cão". No início, eles criaram apenas os cães mais corajosos, mais inteligentes, mais rápidos e mais duros. Devido a isso, a raça tornou-se conhecida por formar um cão obstinado e agressivo.
Otto Goeller era criador e foi creditado com a formação do Doberman, transformando-o em um cão mais utilizável. 
Em 1900, o Kennel Club Alemão reconheceu o Doberman como uma raça.
Por volta de 1908, Dobies foram levados para os Estados Unidos, e em 1921, o Dobermann Clube da América foi formado. Um ano mais tarde, o clube adotou o padrão da raça que tinha sido escrito na Alemanha.
Os próximos 15 anos foram críticos no desenvolvimento da raça. Durante a I Guerra Mundial, o número de Doberman na Europa caiu severamente, muitos morreram, e os cães que sobreviveram eram de propriedade dos militares, da polícia e de pessoas muito ricas. Criação era um luxo; Apenas os melhores foram criados.
Depois de 1921, quase todos os principais cães progenitores alemães foram levados para os Estados Unidos. Então veio a II Guerra Mundial e o Doberman ficou novamente em perigo na Alemanha. Muitos acreditam que se os americanos não tivessem levados os cães para os Estados Unidos, a raça teria sido extinta.
Ao longo dos anos, os criadores têm trabalhado duro para tirar a borda da personalidade afiada do Doberman original. 

Características e Personalidade

Um cão super-inteligente, super-ativo, extremamente leal e confiável que é divertido e diverte sua família. Ele é um cão protetor natural que não hesitará em agir quando pensar que sua família está sob ameaça, mas não é agressivo sem qualquer razão.
O Dobie gosta de estar ocupado, física e mentalmente. Ele aprende rápido por isso treiná-lo é fácil. Ele pode ter suas próprias idéias sobre as coisas, por mais que ele não seja teimoso ou obstinado. 
O temperamento do Doberman é afetado devido a vários fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Como todo cão, o Dobie precisa de socialização precoce. Então o tutor deve expor seu Doberman a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Doberman tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 13 anos, sua altura equivale entre 63 a 72 centímetros, com peso entre 32 a 45 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Dobermans são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dobie irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireóide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Síndrome de Wobbler: a suspeita é que está sindrome seja hereditária em Dobermans. Os cães afetados sofrem de compressão da medula espinhal causada pela instabilidade vertebral cervical ou de um canal espinal malformado. Sintomas extremos são dores de garganta e paralisia das pernas;
  • Cardiomiopatia: é uma doença do músculo cardíaco, que se torna fina e fraca. É caracterizada por uma expansão ou dilatação das câmaras do coração, resultando em um coração anormalmente grande. Esta doença eventualmente resulta em insuficiência cardíaca, uma vez que o músculo do coração danificado é muito fraco para bombear o sangue com eficiência para o resto do corpo. O tratamento varia, mas inclui oxigênio, fluido terapia e medicação que melhora a função cardíaca;
  • Albinoísmo: é uma doença genética que afeta o Doberman. Um cão albino não é apenas um cão branco, mas um cão com pele e nariz rosa e olhos azuis ou claros. Albinos são sensíveis à luz solar e podem sofrer de uma variedade de condições de saúde, incluindo câncer e problemas oculares. Cães albinos não devem ser criados;
  • Cor Alopecia Mutante: é uma doença da pelagem associado com cores de pelagem azul ou castanho. A doença afeta os Dobermans da cor azul e ocasionalmente da cor vermelho. A maioria dos cães que desenvolvem esta condição nascem com pelagens normais. Os sintomas geralmente começam a aparecer em quatro meses a três anos de idade. Como o cão cresce e amadurece, ele desenvolve uma pelagem  frágil, seguido por perda de pelo irregular;
  • Narcolepsia: é um distúrbio neurológico causado pela incapacidade do cérebro de regular os padrões de vigília-sono. Um cão com narcolepsia pode de repente ficar sonolento e de fato adormecer;
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Dobermans. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Doberman fique sempre saudável.
O Doberman é mais adequado para uma casa que tenha bastante espaço para ele brincar. Ele precisa de muito exercício todos os dias. 
Ele não deve ser deixado sozinho por longos períodos de tempo ou exilado no quintal, ele também não deve estar acorrentado por muito tempo. O Dobie precisa ser parte da família, participando de todas as atividades.
O Dobeman precisa de socialização e treinamento precoces. Como qualquer outro cão, ele pode se tornar tímido ou briguento se ele não é devidamente socializado quando ainda pequeno. 
A reação pública ao Doberman é muitas vezes de medo. O tutor deve entender isto e manter seu Dobie preso na coleira em lugares públicos.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Doberman em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem lisa, suave do Doberman é curta e fica perto da pele. As cores da pelagem pode ser preto, vermelho, azul, e castanho. Ele tem marcas de ferrugem acima de cada olho, no focinho, na garganta, no peito e em suas pernas e pés.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Doberman bem-criado, treinado e socializado é um cão maravilhoso. Ele é confiável e protetor das crianças que fazem parte da sua família, porém está prteção será boa desde que ele tenha passado por uma boa socialização e treinamentos. As crianças devem ser respeitosas e gentis com o Dobie, e ele será apenas isso em troca.
Ele também é amigável com outros cães e animais que estejam em sua casa, especialmente se eles foram criados juntos. Porém, ele pode ser agressivo em relação aos cães fora de sua família.

Dogo Argentino

O cãozinho Dogo Argentino é descendente das raças tipo Molosser, que foram criados e usados em lutas e brigas, devido a isso, o Dogo Argentino herdou um temperamento dominante e teimoso.

Apresentação da raça Dogo Argentino

O Dogo Argentino é um cão muito versátil. Foi criado para ser um cão de luta e de caça e exercia o papel muito bem. 
Na Argentina, muitos Dogos são utilizados pela Polícia Federal como cão de guarda e de patrulha e é usado também como cão guia.
O Dogo Argentino na sua função de guarda, se caracteriza pela postura independente e silenciosa.
É um cão muito fiel a seu tutor, ele responde com bastante facilidade aos comandos.
O ideal para famílias com Dogos Argentino e morar em uma casa com um quintal grande, pois devido ao porte físico do Dogo e a descendência de cães de luta, ele precisa de espaço para se exercitar. Caminhadas e brincadeiras com o tutor e a família fazem o Dogo se desenvolver adequadamente. Não se deve isolar o Dogo Argentino no quintal, ele precisa de estar sempre em contato com os membros de sua família para ser um cão equilibrado e comportado.

Destaques e curiosidades

  • O cãozinho Dogo Argentino não tolera que estranhos invada seu espaço;
  • Por possuir um aspecto feroz, o Dogo Argentino entra na lista de raças proibidas em alguns países, como exemplo a Inglaterra;
  •  A raça ainda não é reconhecida oficialmente nos EUA.

História e Origem da raça Pug

A origem do Dogo Argentino é bem recente. A origem começa quando dois irmãos argentinos queriam desenvolver um cão que fosse imbatível tanto nas arenas de luta quanto nas caçadas de javali. Então depois de muita conversa e de decidirem as características do cão ideal para eles, os irmãos iniciaram a criação a partir de fêmeas de uma raça chamada Viejo Perro de Pelea Cordobés. Os cães dessa raça eram sempre brancos, já possuíam uma tradição nos combates, porém frequentemente morriam lutando.
Os irmãos então cruzaram o cão Viejo Perro de Pele Cordobés com cães de outras raças como o Dogue Alemão, com o objetivo de aderir o peso e o tamanho; Com o Bull Terrier e o Buldogue Inglês, para aderir a resistência, a insensibilidade e a dor; Com o Boxer, para aderir a inteligência; Com o Mastim dos Pirineos, para auxiliar no tamanho, na rusticidade, no olfato, no manto branco e na capacidade de adaptar em todos os climas; Com o Pointer Inglês para aderir um bom olfato na hora da caçada. Com o Irish Wolfhound que auxiliou no tamanho. E o Dogue de Bordeaux, que contribuiu com a força da mandíbula, da potente cabeça e da aptidão para o combate.
As cruzas foram feitas durantes anos e nunca chegava no cão perfeito para a visão dos irmãos. Porém em 1928 em uma reunião de caçadores, um dos irmãos apresentou pela primeira vez o primeiro padrão da raça. E a partir daí passou a ser feito a tarefa de consolidação da raça, para que o Dogo Argentino se popularizasse de início entre os caçadores.

Características e Personalidade

As principais características do Dogo Argentino que é a agilidade e a combatividade, fizeram com que o cão fosse rapidamente aderido como principal cão entre os caçadores de javalis, tornando o Dogo Argentino um sucesso na Argentina. 
Uma das qualidades que os caçadores argentinos mais apreciavam no do Dogo, é a forma de farejar a presa. Devido a cruza, o Dogo herdou do pointer a habilidade de farejar o ar, para encontrar sua presa.
O Dogo Argentino possui uma expectativa de vida de mínima 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 60 e 68 centímetros, com peso entre 40 e 50 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Dogos Argentinos são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dogos irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
O Dogo apresenta pouquíssimos problemas genéticos. O que o tutor deve sempre observar é a pele do cão, pois por ser bastante branca pode com facilidade sofrer com o 
sol em excesso e apresentar dermatites.
Outro problema que pode ser bem frequente é a surdez congênita.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável. 
Um dos cuidados também para todos os cães é a socialização desde pequeno. Então passear com cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.
Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Dogo Argentino em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Dogo Argentino é bem curta, lisa e macia. A cor da pelagem é branca, manchas pretas ou de uma cor mais escuras são encontradas ao redor dos olhos. Dogo Argentino de outras cores não é aceitável.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Dogo Argentino é bastante paciente com crianças, mas como é um cão grande, quando for interagir com elas, é necessário que um adulto esteja supervisionando a interação para que não ocorra nenhum imprevisto. Porém, para que tenha uma boa relação com outros cães é necessário que ele seja acostumado desde cedo tanto com outros cães quanto com animais domésticos para que possam conviver com eles bem. Os instintos de luta e de caça que o Dogo possui, faz com que raramente se consiga uma harmonia entre dois machos juntos.

Dogo Canário

O Dogo Canário é um cão dócil e afetuoso. Foi criado para ser companheiro e um guardião protetor das famílias. 

Apresentação da raça Dogo Canário

O Dogo Canário é um cão amigável e companheiro, além de ser um grande protetor de sua família. É o tipo de cão desconfiado de estranhos, mas aceita os estranhos se seu tutor os aceitar. 
Ele está muito alerta e pronto para defender sua família e sua casa se necessário. É geralmente um cão quieto, mas tem um jeito muito intimidante. 
Dogo Canários são excelentes cães de guarda. Apenas a sua aparência é um impedimento, para não mencionar a sua capacidade de enfrentar qualquer intruso. 
O Dogo Canário é um excelente competidor em esportes para cães e é ótimo em esportes que necessitam de obediência e agilidade. 
O tutor de um Dogo Canário deve sempre levar seu cão para caminhadas diariamente, assim seu fará exercícios e não ficará tedioso.
O Dogo Canário se sairá morando em um apartamento, mas desde que ele seja devidamente levado para seus exercícios. Dentro de casa ele é relativamente inativo.

Destaques e Curiosidades

  • O Dogo Canário também é conhecido como Presa Canario;
  • O Dogo Canário é um cão de origem espanhola.

História e Origem da raça Dogo Canário

Assim como muitas outras raças a origem do Dogo Canário também tem muitas controversas, porém estudiosos da raça acreditam que o Dogo Canário provavelmente possui extintos nativos e indígenas do Bardino Majero cruzado com Mastins Ingleses. 
O cão foi desenvolvido nas Ilhas Canárias no século XIX como um cão utilitário agrícola. 
De início, os Dogos trabalhavam pegando gado e javalis indisciplinados. Depois foram usados para proteger o gado de predadores selvagens e humanos. Mais tarde, foram usados por um breve período como cão de caça.
Alguns agricultores entediados passaram a usar os cães em ring de luta como forma de entretenimento. A luta dos cães foi proibida mais tarde. 
Mas ainda muitos fazendeiros continuaram mantendo seus cães trabalhando na área agrícola.

Características e Personalidade

O Dogo Canário é um cão de caráter forte e dominante, que requer socialização precoce e treinamento de obediência. 
É uma raça inteligente e muito sensível e fácil de ser treinada.
O Dogo Canário tem uma expectativa mínima de vida de 9 anos e máxima de 11 anos, sua altura equivale entre 56 a 60 centímetros, com peso entre 38 a 59 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Os Dogo Canários são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dogo Canários irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Como uma raça grande, o Dog Canário pode ser suscetível à:

  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;

Outros problemas de saúde relatados incluem:

  • Evulsões Patelar;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Custos Cutâneos;
  • Epilepsia: Dogos Canários são propensos a ter apreensões epilépticas. Em cães que são afetados, devido a condição é genética ou devido a uma queda ou um golpe duro na cabeça. Se o Dogo Canário tem convulsões, deve ser levado ao veterinário para determinar qual tratamento é apropriado. Em muitos casos, a epilepsia pode ser controlada com medicação;
  • Ostercondrodisplasias;
  • Sarna Demodécica: Também conhecida como Demodicosis, acontece quando o cão carrega um passageiro pequeno chamado de ácaro do demodex. A mãe passa este ácaro para seus filhotes em seus primeiros dias de vida. O ácaro não pode ser passado para os seres humanos ou até mesmo outros cães - só a mãe pode passar esses ácaros para seus filhotes. Ácaros Demodex vivem em folículos pilosos e geralmente não causam problemas;
  • Criptorquidia;
  • Leishmaniose: A leishmaniose é um parasita do sangue que tem um longo período de incubação (de vários anos) e, muitas vezes, leva à morte.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Dogo Canário fique sempre saudável.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Dogo Canário em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Dogo Canário tem uma pele grossa, com uma pelagem curta e áspera, porém fácil de arrumar. 
As cores da pelagem do Dogo Canário incluem castanho e vários rajados. As vezes são vistas marcas brancas.

Relacionamento com crianças e outros animais

Muitos Dogo Canários são criados com outros cães, gatos, pássaros e répteis. Em algumas situações, o Dogo pode ser agressivo em relação a outros cães. Uma vez que ele for devidamente socializado e treinado isso se torna a exceção e não a regra. 
Muitos Dogos Canários compartilham suas casas com crianças, outros cães, gatos, cavalos e outros animais de fazenda e desde que sejam criados juntos a interação será boa.

Dogue Alemão

O Dogue Alemão é de uma raça alemã que forma um cão gigante, forte, conhecido como o "Apollo dos Cães", em referência a sua estatura majestosa e elegante.

Apresentação da raça Dogue Alemão

O Dogue Alemão é um cão muito esperto e inteligente. Ele se transforma em um excelente cão de guarda se for treinado corretamente.
Ele ama estar com sua família, sendo calmo, tranquilo e obediente com eles.
O Dogue Alemão não é o tipo de cão que ama brincar o tempo todo, além disso, o dogue é um cão que possui um nível baixo de agilidade.
Com pessoas desconhecidas, ele é um tanto desconfiado. Dependendo de como for a abordagem do estranho, ele poderá atacar para proteger sua casa e sua família.
Assim como todas as raças, o Dogue Alemão também necessita de uma boa criação, treinamentos e socialização precoce. Então desde pequeno o tutor deve expor seu Dogue a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.

Destaques e Curiosidades

  • Em muitas outras línguas a raça é conhecida como Mastiff alemão; Dogue Allemand (em francês); Deutsche Dogge (em alemão) e Dogo Alemán (em espanhol);
  • Ao contrário da maioria das outras raças Mollossos, o Dogue Alemão não tem pele solta na região do pescoço.; 
  • A raça prende o registro para o cão o mais alto no mundo. Entretanto, como uma raça, o Dogue Alemão não é a raça a mais alta do cão entre caninos. O Wolfhound Irlandês é ligeiramente a raça mais alta com 80 a 86 cm.

História e Origem da raça Dogue Alemão

O Dogue Alemão é um cão de origem alemã. Os antepassados deste cão foram os antigos Bullenbeisser (bull-biter), que por sua vez foram descendentes do Saupacker (que caçava javalis). Estes cães eram mais pesados e ferozes, já o Dogue Alemão foi seletivamente produzido para ser um cão dócil.
Muitos estudiosos acreditam que Otto von Bismarck, cruzou Molossos da Baviera com os cães do Norte da Alemanha para produzir o Dogo Alemão de hoje. 
Porém, estudiosos da raça acreditam que, na teoria do naturalista francês Conde Buffon, que considerou o Dogue Alemão, o Hound, o Mastiff e o Wolfhound Irlandês como variedades de uma mesma raça que evoluíram sob diferentes condições climáticas. Sua teoria era que o Mastiff (francês) produziu uma variedade mais esticada de cães, sob a influência do clima mais frio do Norte, gerando o Dogue Alemão. Buffon alegou também que o Grand Danois também é ancestral do Dogue Alemão.
Mas esta teoria permanece um tanto obscura. 
No início do século XX, alguns autores, consideravam o Dogue Alemão e o Great Dane (Danske Hund) como duas raças diferentes. Porém em 1937 a raça foi reconhecida pela FCI sob o nome de Dogue Alemão. O Clube de Raça Alemão já havia reconhecido a raça bem antes em 1877. 
O Great Dane contribuiu muito para o desenvolvimento da raça do Dogue Alemão. 
Em 1885 foi fundado o clube da raça na Inglaterra e dois anos depois, foi fundado o clube nos Estados Unidos.

Características e Personalidade

Apesar da sua impressionante aparência robusta e do seu tamanho gigante, o Dogue Alemão é um cão de natureza livre, ou seja, é dócil, leal e ama estar em torno de sua família.
O Dogue Alemão tem uma expectativa mínima de vida de 7 anos e máxima de 10 anos, sua altura equivale entre 72 a 80 centímetros, com peso entre 50 a 70 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Dogue Alemão é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dogues Alemães irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Como uma raça grande, o Dogue Alemão pode ser suscetível à:

  • Torção Gástrica: Também chamado de inchaço, é uma doença potencialmente fatal que pode afetar cães grandes, de peito profundo, como os Dogues Alemães. Isto acontece quando eles são alimentados com uma grande refeição por dia, quando comem rapidamente, bebem grandes volumes de água depois de comer, e se exercitar vigorosamente depois de comer;
  • Doença Arterial Coronariana;
  • Cardiomiopatia: é uma doença do músculo cardíaco, que se torna fina e fraca. É caracterizada por uma expansão ou dilatação das câmaras do coração, resultando em um coração anormalmente grande. Esta doença eventualmente resulta em insuficiência cardíaca, uma vez que o músculo do coração danificado é muito fraco para bombear o sangue com eficiência para o resto do corpo. O tratamento varia, mas inclui oxigênio, fluido terapia e medicação que melhora a função cardíaca;
  • Síndrome de Wobbler: a suspeita é que está síndrome seja hereditária em Dogues Alemães. Os cães afetados sofrem de compressão da medula espinhal causada pela instabilidade vertebral cervical ou de um canal espinal malformado. Sintomas extremos são dores de garganta e paralisia das pernas;
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Osteossarcoma: O osteossarcoma é um câncer de osso maligno que é comum em raças grandes e gigantes;
  • Problemas Ósseos;
  • Glaucoma: O glaucoma é definido por uma pressão aumentada no olho, e pode ser encontrado em duas formas: primária, que é hereditária e secundária, que é causada pela diminuição do fluido no olho devido a outras doenças oculares;
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Dogue Alemão fique sempre saudável.
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença. Porém o Dogue Alemão por possuir um corpo grande e musculoso necessita de uma grande quantidade de alimento para viver adequadamente. 
Então mantenha seu Dogo Canário em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

A pelagem do Dogue Alemão é curta, lisa e brilhante. O padrão original do Dogue Alemão menciona cinco cores de pelagem: preto, harlequin (preto e branco), castanho, tigrado e azul. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Dogue Alemão ama crianças, porém ele não é indicado para famílias com crianças menores, pois ele é muito grande e poderá machucá-las acidentalmente, já com outros animais, o Dogue Alemão se dá bem com outros cães e se for criado junto desde pequeno, também se dá super bem com gatos.

Dogue de Bordeaux

O cão da raça Dogue de Bordeaux é autoconfiante e territorial, porém, é um cão que precisa de muita formação e socialização desde pequeno.

Apresentação da raça Dogue de Bordeaux

O Dogue de Bordeaux é conhecido por ter sua cabeça maciça, por ser corajoso e por possuir um corpo poderoso. 
Em 1989 a raça Dogue de Bordeaux chamou a atenção de todo público americano com o lançamento de um filme que tinha como protagonistas Tom Hanks e um cão da raça.
O Dogue de Bordeaux é um cão de família dedicado e afetuoso, além de ser doce às vezes teimoso e arrogante. Leal, autoconfiante e territorial, ele é um excelente cão de guarda e também é capaz de competir em muitos esportes e atividades para cães.

Destaques e Curiosidades

  • Um cãozinho Dogue de Bordeaux chamou a atenção do público americano em 1989 por fazer uma participação no filme Turner e Hooch ao de Tom Hanks.

História e Origem da raça Dogue de Bordeaux

O Dogue de Bordeaux, surgiu a mais ou menos 600 anos atrás na região de Bordeaux na França. Sua origem é cheia de controversa, estudiosos acreditam que o Dogue de Bordeaux é descendente dos Alanos.
Os Alanos eram cães Molossos e acompanhava o povo alão, que são de origem indo-europeia e que habitavam a região do Cáucaso. De acordo com os estudiosos, os alãos disseminaram seus cães nesta região acasalando seus cães com os cães nativos, que deu origem a muitas raças Molossos como Mastiff Inglês e Mastim Napolitano.
Outros estudiosos da raça acreditam que o Dogue de Bordeaux é descendente de cruzamentos entre Bulgue Inglês e Mastiff.
O Dogue de Bordeaux era chamado de Dogue da Aquitânia, foi utilizado como cão de guarda, caçador de animais grandes e como cães de rinha.
Em 1863, foram apresentados os primeiros Dogues de Bordeaux
A raça não é reconhecida pelo American Kennel Club e só é internacionalmente aceita pela FCI, que é o órgão internacional que organiza a criação nos países da Europa (menos Reino Unido) e na América Central e do Sul.
Devido à valentia como cão de guarda, ao comportamento leal ao tutor, aliados à sua exótica aparência, a raça expandiu-se pelo mundo e ganhou muita notoriedade com a participação de Dogues de Bordeaux em filmes.

Características e Personalidade

O Dogue de Bordeaux não é um cão agressivo e também não costumam latir sem nenhuma causa. 
O instinto de proteção que o Dogue de Bordeaux possui é suficiente para que desempenhe bem suas funções de cão de guarda. Apesar de seu tamanho, é um cão bastante tranquilo. Com pessoas estranhas, é bem reservado.
O Dogue de Bordeaux tem uma expectativa mínima de vida de 5 anos e máxima de 8 anos, sua altura equivale entre 57 a 67 centímetros; com peso entre 54 a 65 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Dogues de Bordeaux são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Dogues de Bordeaux irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Bullmastiffs. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição. 

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
Um dos cuidados que os tutores devem ter com seus cães é a socialização desde pequeno. Então passear com cãozinho para que ele veja pessoas diferentes, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.
Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Dogue de Bordeaux em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Dogue de Bordeaux é fina, curta e macia. A cor varia de uma sombra rica de luz vermelha escura e do fulvo ao acaju.

Relacionamento com crianças e outros animais

Dogues de Bordeaux são bastante pacientes com crianças, porém como todos os cães, estes também precisam ser corretamente socializados desde pequenos. 
Com outros animais e outros cães, se forem criados juntos desde pequenos o relacionamento poderá ser bom, porém, como o Dogue de Bordeaux possui um senso territorial muito grande, faz sua convivência com outros cães muito difícil, especialmente com machos.
Possuem grande senso de território e, apesar de ser uma característica desejável num cão de guarda, torna sua convivência com outros cães bastante difícil, especialmente no caso dos machos.
Então o tutor deve estar sempre atento tanto em interações entre crianças e o Dogue de Bordeaux quanto entre outros animais e o Dogue de Bordeaux. 

Página 8

Elkhound Norueguês Cinza

Elkhound ou norueguês cinza é uma raça de cães oriunda da Noruega. Considerado social e independente, se apega a seus donos e aqueles que considera amigáveis, embora seja conhecido por reconhecer a diferença entre falsas e sinceras intenções. Facilmente adestrável, destaca-se ainda por seu instinto e pré-disposição à atividades sem receber comandos. Animal de porte grande, requer exercícios, sendo a caça um de seus preferidos. Podendo chegar a medir 52 cm na altura da cernelha, tem a pelagem espessa e abundante na coloração acinzentada.

Fila Brasileiro

Com muita determinação e coragem, o Fila Brasileiro é um cão dócil, obediente e fiel com seu tutor e sua família, porém tem uma certa aversão por estranhos.

Apresentação da raça Fila Brasileiro

O Fila Brasileiro foi a primeira raça brasileira a ser reconhecida internacionalmente. O padrão da raça de início valorizava um cão destemido e agressivo. Essas características fizeram a imagem do Fila ficar associada à um cão muito perigoso. 
A partir da década de 70, a CBKC introduziu mudanças no padrão do Fila Brasileiro, para tentar diminuir a agressividade da raça. Muitos criadores aderiram as mudanças e passaram a selecionar os menos violentos e a promover a socialização dos cães. Porém, muitos outros criadores não aceitaram as mudanças e criaram um clube onde mantiveram as características violentas do Fila.

Destaques e curiosidades

  • O Fila Brasileiro passou por um processo de desmistificação de sua imagem, para deixar de ser visto como um cão muito bravo e agressivo;
  • Criadores criaram o Cafib (Clube de Aprimoramento do Fila Brasileiro) que mantem as características violentas do antigo Fila.

História e Origem da raça Fila Brasileiro

A raça Fila Brasileiro surgiu por volta do século XIX, quando os europeus trouxeram seus cães para auxiliá-los na guarda, na captura de escravos e no manuseio com o rebanho. 
Estudiosos afirmam que o Fila Brasileiro foi desenvolvido a partir de cruzamentos entre Mastiff Inglês, Bloodhound e Buldogue Inglês, que foram levados pelos europeus para a região do triângulo mineiro onde eles se fixaram. Assim, o Fila Brasileiro herdou do Mastiff Inglês a estrutura corpórea que é bem sólida e pesada além do formato da cabeça. Do Bloodhound o Fila herdou a pele solta, as orelhas baixas e o latido. Já do Buldogue Inglês, o Fila herdou a resistência à dor.
Em 1968 o fila foi reconhecido pela FCI, sendo a primeira raça brasileira a ser reconhecida internacionalmente.

Características e Personalidade

O Fila Brasileiro é um bastante popular no Brasil, é um cão forte, robusto, com um temperamento bem marcante e com um excelente faro. 
É um cão que possui uma coragem nata, além de ser muito fiel, procurando estar sempre na companhia de seu tutor. O cão Fila é esperto e atento, absorvendo perfeitamente ambientes e ruídos estranhos. É muito leal e fiel à guarda da propriedade, sendo um excelente cão de guarda.
O Fila Brasileiro tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 60 a 75 centímetros; com peso entre 40 a 50 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Os cães Filas Brasileiro são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Filas irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Fila. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;
  • Complicações de parto: Essas complicações são causadas devido ao grande número de filhotes que nascem em cada ninhada. Como são muitos filhotes, expõe a cadela a adquirir infecções uterinas;
  • Gastroenterite Hemorrágica Canina: É uma doença que provoca vômitos e diarreia, com sangue fresco ou digerido. É um transtorno que ataca o cão muito rapidamente e a causa ainda é desconhecida. É uma doença que necessita de tratamento médico urgente, quando os sintomas são presenciados.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
Um dos cuidados que os tutores devem ter com seus cães é a socialização desde pequeno. Então passear com o cãozinho para que ele veja pessoas, visões, lugares e animais diferentes fará bem para que ele se torne um cãozinho adulto amigável.
Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Fila Brasileiro em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O Fila Brasileiro apresenta uma variedade de cores na pelagem, podendo ser sólido ou tigrado.
A única restrição quanto à cor do Fila é em relação ao branco ou malhado. 

Relacionamento com crianças e outros animais

O Fila Brasileiro é bastante tolerante com crianças. Porém a interação entre um cão Fila e uma criança deve ser monitorada por um adulto para que não ocorra nenhum acidente indevido.
Quanto o relacionamento com outros animais, se forem criados juntos a interação até poderá ser boa, mas também é sempre bom ser monitorada.

Flat-Coated Retriever

A flat-coated retriever, oriunda do Reino Unido, é uma raça criada no século XIX através de cruzamentos entre terra-novas e cães do tipo setters. Popular até a virada do século XX, perdeu espaço para os golden e labrador retrievers, chegando quase à extinção na Segunda Guerra Mundial. Sua popularidade foi reconquistada como animal de trabalho, enquanto perito em levantamento e recolhimento de caça, e companhia. Podendo chegar aos 36 kg, tem seu temperamento classificado como meigo, afável e sociável, além de seu adestramento ser considerado fácil. Sua pelagem longa e lisa, apresenta-se nas cores preta ou chocolate, o que o tornou, para alguns, um belo cão de estimação.

Fox Paulistinha

Terrier brasileiro

Fox Terrier Pelo Duro

O Fox Terrier Pelo Duro foi criado para tirar raposas de seus esconderijos durante a caçada de raposas. Atualmente o Fox Terrier é um exelente companheiro de famílias, por mais que ocasionalmente poderá ser encontrado ainda trabalhando com a caça no nordeste dos Estados Unidos

Apresentação da raça Fox Terrier Pelo duro

Fox Terriers são cães clássicos que mudaram pouco desde o seu surgimento no final do século XVIII. 
A raça é formada por dois tipos distintos: o Fox Terrier Pelo Duro, que são cães bonitos, felizes e muito elegante se for cuidado corretamente e o Fox Terrier Pelo Liso, que são cães elegantes e inteligentes.
Chamados também de Foxys, os cãezinhos dessa raça são extrovertidos, ativos e inquisidores. Eles vivem o momento, curtindo tudo o que está acontecendo.
Historicamente, Fox Terriers foram usados para tirar as raposas de seus esconderijos, quando elas corriam para se esconder. Os Foxys pegavam as raposas e as levavam para os caçadores que estavam com os Foxhounds. 
Os Foxys são cães corajosos e enérgicos que gostam de brincar com crianças. Eles são leais a suas famílias, mas impulsivamente desconectado com outros cães, nunca hesitando em se sair de uma luta, mesmo com cães muito maiores. A menos que tenham sido treinados e socializados para se dar bem com outros animais de estimação da família, porém os Foxys não devem ser confiáveis sozinhos com eles.
Fox Terriers Pelo Duro são excelentes cães de guarda. Enquanto os seus latidos não forem desencadeados por serem deixados sozinhos por muito tempo no quintal, o Fox Terrier irá avisar se ele ouvir ou vê algo errado em seu território. Seu Fox Terrier estará sempre no trabalho de guardar sua casa e família.

Destaques e Curiosidades

  • Fox Terriers gostam de comer e podem ficar com excesso de peso. O tutor deve monitorar a ingestão de alimentos de seu cão, além de e dar a ele exercícios regulares para mantê-lo em forma;
  • •    Fox Terriers são propensos a perseguir coelhos, pássaros, gatos e até mesmo outros cães. Eles são encrenqueiros e irão procurar brigas com outros cães, mesmo aqueles que são muito maiores do que eles. Certifique-se de manter seu Fox Terrier na coleira quando ele não estiver em uma área segura;
  • Fox Terriers não devem ser deixados sozinhos com outros animais de estimação não sejam cães, a menos que tenham sido treinados para se dar bem com eles;
  • Fox Terriers são altamente energéticos e precisam de cerca de 30 a 45 minutos de exercício vigoroso por dia. Se eles não tiverem a chance de queimar sua energia natural, eles podem se tornar destrutivos;
  • Os Foxys são leais a suas famílias e amam brincar, porém são ásperos e energéticos com crianças novas;
  • Fox Terriers são ótimos artistas de fuga. Eles podem saltar bem alto, além de cavar buracos pelo quintal.

História e Origem da raça Fox Terrier Pelo Duro

Enquanto criadores não mantem muitos registros sobre o desenvolvimento da raça, acredita-se que o Fox Terrier Pelo Duro, tem descendência de cães Terriers Preto e Tan de Gales, Derbyshire e Durham. 
Muitos criadores cruzaram Fox Terrier Pelo Duro com Foz Terrier Pelo Liso, para dar mais pigmentação branca, uma cabeça mais limpa-cortada e um esboço mais clássico. Porém, esta mestiçagem toda já não existe mais.
Por muitos anos, Fox Terrier Pelo Duro e Fox Terrier Pelo Liso foram considerados uma raça de duas variedades. Sua principal diferença é o tipo de pelagem e, em certa medida, a forma da cabeça. Apesar de suas semelhanças de tamanho, forma e temperamento, eles provavelmente tinham ascendência diferente. 
Fox Terriers Pelo Liso começaram a participar de shows para cães cerca de 15 a 20 anos antes dos Fox Terriers Pelo Duro. No início eles foram classificados com cães esportivos. 
Fox Terrier Club da Inglaterra foi fundado em 1876. Os membros elaboraram um padrão de raça que permaneceu inalterado por décadas, com a exceção de reduzir o peso de um cão macho.
Registros afirmam que cães Fox Terriers Pelo Duro foram levados para os EUA anos depois de 1879, bem depois do Fox Terrier Pelo Duro. 
O American Fox Terrier Club, foi fundado em 1885 e tem a distinção de ser o primeiro clube especializado a se tornar um membro do American Kennel Club. 
O American Fox Terrier Club adotou o padrão da raça inglesa quando foi formado. Um século mais tarde os padrões separados para as duas raças entraram em vigor. Porém ambas as raças ainda são bastante semelhantes em suas descrições.
Em 1985, o AKC reconheceu formalmente o Fox Terrier Pelo Liso e o Fox Terrier Pelo Duro como raças separadas, mas os padrões para ambas as raças ainda são mantidos pelo American Fox Terrier Club. 

Características e Personalidade

Os Fox Terriers Pelo Duro são cães alertas, vivos e espertos. São propensos a travessuras, sendo encantador, mas astuto. Um Fox Terrier fará todos rirem de suas palhaçadas. Sua natureza vigilante torna excelentes cães de guarda, mas também significa que eles latem bastante. Extrovertidos e inquisitivos, Fox Terriers são amigáveis com as pessoas, mas não hesitará em entrar em uma briga com outros cães. 
Assim como todos os cães, o Fox Terrier também precisa de socialização precoce. Então o tutor dever expor seu Foxy a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Fox Terrier Pelo Duro tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 37 a 39 centímetros, com peso entre 7 a 8 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Foxy Terriers Pelo Duro são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Foxys irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer; 
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Sindrome de Legg-Calvé Perthes ou Doença de Perthes: Geralmente também é uma doença que dá em raças pequenas. É causada por uma deformidade da bola da articulação do quadril. Quase sempre acontece entre 6 e 9 meses de idade e as vezes é confundida com displasia da anca. Essa deformidade provoca desgaste e artrite;
  • Luxação da Lente: É quando a lente do olho é deslocada e o ligamento que a mantém no lugar se deteriora. É às vezes tratável com medicação ou cirurgia, mas em casos graves o olho pode precisar de ser removido;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Fox Terrier fique sempre saudável.
Só porque é uma raça pequena não significa que o Fox Terrier é adequado para a vida em apartamento. Ele realmente precisa de um quintal bem vedado, onde ele pode correr e extravasar toda a energia que possui durante o dia. 
Mantenha seu Fox Terrier na coleira em áreas abertas. Ele tem um forte instinto de caça e perseguirá qualquer coisa que se mova. Ele também vai tentar procurar brigas com outros cães. A socialização precoce é importante para ajudar a prevenir a agressão contra outros cães.
O Fox Terrier Pelo Duro, precisa no mínimo de 30 a 45 minutos de exercícios vigorosos diariamente
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Fox Terrier Pelo Duro em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Fox Terrier Pelo Duro, possui uma pelagem densa, forte e ligeiramente ondulado. É uma pelagem tão densa que fica difícil de parti-la ao meio com os dedos para ver a pele do cão. Na base destes pelos rígidos, está uma pelagem curta e macia.
O Fox Terrier Pelo Duro não tem muita queda de pelo, mas sua pelagem precisa ser escovada regularmente para manter seus casacos limpos e sem mau cheiro.
A cor branca na pelagem era muito prezada no Fox Terrier, pois os cães de pelagem branca eram mais fáceis de encontrar quando estavam caçando. Hoje, a descrição escrita nos padrões da raça, diz que o branco deve ser a cor predominante em ambos os terriers. Pode ser encontrado também cães nas cores preto, tan, ou preto e tan com marcações. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Fox Terriers são crianças no próprio coração e gostam de brincar com elas, mas eles são muito ativos para uma criança menor de 7 anos de idade. Eles são ásperos, quando estão brincando e as vozes agudas das crianças, pode deixar o Foxy um pouco nervoso. Fox Terriers também podem ser protetores de seus alimentos e brinquedos, o que pode causar problemas.
Fox Terriers pode se dar muito bem com cães ou gatos que foram criados junto com ele desde que eram pequenos, mas os Foxys não são a melhor escolha para casas com animais de estimação, como coelhos, hamsters e cobaias.
 

Fox Terrier Pelo Liso

O Fox Terrier foi criado para tirar raposas de seus esconderijos durante a caçada de raposas. Atualmente o FoX Terrier é um exelente companheiro de famílias, por mais que ocasionalmente poderá ser encontrado ainda trabalhando com a caça no nordeste dos Estados Unidos

Apresentação da raça Fox Terrier Pelo Liso 

Fox Terriers são cães clássicos que mudaram pouco desde o seu surgimento no final do século XVIII. 
A raça é formada por dois tipos distintos: o Fox Terrier Pelo Liso, que são cães elegantes e inteligentes e o Fox Terrier Pelo Duro, que são cães bonitos, felizes e muito elegante se for cuidado corretamente. 
Chamados também de Foxys, os cãezinhos dessa raça são extrovertidos, ativos e inquisidores. Eles vivem o momento, curtindo tudo o que está acontecendo.
Fox Terriers Pelo Liso não são muito comuns nos dias de hoje, mas são cães importantes pois acreditam-se que muitas outras raças terriers tenham surgidos a partir deles. 
O Fox Terrier Pelo Liso foi a primeira raça do grupo terrer que caçam raposas, que foi reconhecido oficialmente pelo Kennel Club da Inglaterra, em 1875.
Historicamente, Fox Terriers foram usados para tirar as raposas de seus esconderijos, quando elas corriam para se esconder. Os Foxys pegavam as raposas e as levavam para os caçadores que estavam com os Foxhounds. 
Os cães Fox Terriers Pelo Liso da cor branca, eram altamente valorizados pois eram menos propensos a ser confundidos com as raposas. 
Os Foxys são cães corajosos e enérgicos que gostam de brincar com crianças. Eles são leais a suas famílias, mas impulsivamente desconectado com outros cães, nunca hesitando em escolher lutas, mesmo com cães muito maiores. A menos que tenham sido treinados e socializados para se dar bem com outros animais de estimação da família, porém os Foxys não devem ser confiáveis sozinhos com eles.
Fox Terriers são excelentes cães de guarda. Enquanto os seus latidos não forem desencadeados por serem deixados sozinhos por muito tempo no quintal, o Fox Terrier irá avisar se ele ouvir ou vê algo errado em seu território. Seu Fox Terrier estará sempre no trabalho de guardar sua casa e família.
Com sua personalidade extrovertida e autoconfiante, o Fox Terrier Pelo Liso adora brinquedos e bolas, muitos adoram brincar na água. 

Destaques e Curiosidades

  • Fox Terriers gostam de comer e podem fiar com excesso de peso. O tutor deve monitorar a ingestão de alimentos de seu cão, além de e dar a ele exercícios regulares para mantê-lo em forma;
  • Fox Terriers são propensos a perseguir coelhos, pássaros, gatos e até mesmo outros cães. Eles são encrenqueiros e irão procurar brigas com outros cães, mesmo aqueles que são muito maiores do que eles. Certifique-se de manter seu Fox Terrier na coleira quando ele não estiver em uma área segura;
  • Fox Terriers não devem ser deixados sozinhos com outros animais de estimação não sejam cães, a menos que tenham sido treinados para se dar bem com eles;
  • Fox Terriers são altamente energéticos e precisam de cerca de 30 a 45 minutos de exercício vigoroso por dia. Se eles não tiverem a chance de queimar sua energia natural, eles podem se tornar destrutivos;
  • Os Foxys são leais a suas famílias e amam brincar, porém são ásperos e energéticos com crianças novas;
  • Fox Terriers são ótimos artistas de fuga. Eles podem saltar bem alto, além de cavar buracos pelo quintal.

História e Origem da raça Fox Terrier Pelo Liso

Os Fox Terriers foram companheiros de reis, divertiam as massas em circos e filmes e ganharam mais prêmios do que qualquer outra raça no de Best in Show no Westminster Kennel Club show.
Quando a caça à raposa tornou-se popular na Inglaterra no final do século XVIII, os caçadores rapidamente descobriram que precisavam de um cão que pudesse ir ao chão, entrar nas covas das raposas e prender as raposas para expulsá-las de seus esconderijos. E assim o Fox Terrier de Pelo Liso foi desenvolvido.
Enquanto criadores não mantem muitos registros sobre o desenvolvimento da raça, é provável que o Fox Terrier Pelo Liso original, foi uma mistura de Terriers Preto e Tan com pelagens lisas, Bull Terriers, Greyhounds e Beagles. 
Por muitos anos, Fox Terrier Pelo Liso e Foz Terrier Pelo Duro foram considerados uma raça de duas variedades. Sua principal diferença é o tipo de pelagem e, em certa medida, a forma da cabeça. Apesar de suas semelhanças de tamanho, forma e temperamento, eles provavelmente tinham ascendência diferente. 
Fox Terriers Pelo Liso começaram a participar de shows para cães cerca de 15 a 20 anos antes dos Fox Terriers Pelo Duro. No início eles foram classificados com cães esportivos. 
Fox Terrier Club da Inglaterra foi fundado em 1876. Os membros elaboraram um padrão de raça que permaneceu inalterado por décadas, com a exceção de reduzir o peso de um cão macho.
O primeiro registro de Fox Terriers Pelo Liso levados para os EUA foi em meados do ano 1879 e com o Fox Terriers Pelo Duro sendo levados alguns anos mais tarde. O American Fox Terrier Club, foi fundado em 1885 e tem a distinção de ser o primeiro clube especializado a se tornar um membro do American Kennel Club. O primeiro Fox Terrier a ser registrado pelo AKC foi em 1885.
O American Fox Terrier Club adotou o padrão da raça inglesa quando foi formado. Um século mais tarde os padrões separados para as duas raças entraram em vigor. Porém ambas as raças ainda são bastante semelhantes em suas descrições.
Na década de 1920, o Fox Terrier pelo Liso se tornou um dos mais reconhecidos cães de raça pura.
Em 1985, o AKC reconheceu formalmente o Fox Terrier Pelo Liso e o Fox Terrier Pelo Duro como raças separadas, mas os padrões para ambas as raças ainda são mantidos pelo American Fox Terrier Club. 

Características e Personalidade

Estes cães são alertas, vivos e espertos. São propensos a travessuras, sendo encantador, mas astuto. Um Fox Terrier fará todos rirem de suas palhaçadas. Sua natureza vigilante torna excelentes cães de guarda, mas também significa que eles latem basteante. Extrovertidos e inquisitivos, Fox Terriers são amigáveis com as pessoas, mas não hesitará em entrar em uma briga com outros cães. 
Assim como todos os cães, o Fox Terrier também precisa de socialização precoce. Então o tutor dever expor seu Foxy a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Fox Terrier Pelo Liso tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 37 a 39 centímetros, com peso entre 7 a 8 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Foxy Terriers Pelo Liso são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Foxys irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Surdez: Perda de audição não é comum na raça, mas pode ocorrer; 
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Sindrome de Legg-Calvé Perthes ou Doença de Perthes: Geralmente também é uma doença que dá em raças pequenas. É causada por uma deformidade da bola da articulação do quadril. Quase sempre acontece entre 6 e 9 meses de idade e as vezes é confundida com displasia da anca. Essa deformidade provoca desgaste e artrite;
  • Luxação da Lente: É quando a lente do olho é deslocada e o ligamento que a mantém no lugar se deteriora. É às vezes tratável com medicação ou cirurgia, mas em casos graves o olho pode precisar de ser removido;
  • Displasia da anca: É uma formação anormal hereditária de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Fox Terrier fique sempre saudável.
Só porque é uma raça pequena não significa que o Fox Terrier é adequado para a vida em apartamento. Ele realmente precisa de um quintal bem vedado, onde ele pode correr e extravasar toda a energia que possui durante o dia. 
Mantenha seu Fox Terrier na coleira em áreas abertas. Ele tem um forte instinto de caça e perseguirá qualquer coisa que se mova. Ele também vai tentar procurar brigas com outros cães. A socialização precoce é importante para ajudar a prevenir a agressão contra outros cães.
O Fox Terrier Pelo Liso, precisa no mínimo de 30 a 45 minutos de exercícios vigorosos diariamente
A alimentação, do seu cão depende muito de seu tamanho, idade, construção, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos, assim como as pessoas, e nem todos precisam da mesma quantidade de comida. 
A qualidade dos alimentos para cães também faz a diferença.
Então mantenha seu Fox Terrier Pelo Liso em boa forma, medindo sua comida e alimentando-o duas vezes por dia.

Pelagem

O Fox Terrier Pelo Liso, possui uma pelagem lisa, dura e densa. 
A cor branca na pelagem era muito prezada no Fox Terrier Pelo Liso, pois os cães de pelagem branca eram mais fáceis de encontrar quando estavam caçando. Hoje, a descrição escrita nos padrões da raça, diz que o branco deve ser a cor predominante em ambos os terriers. Pode ser encontrado também cães nas cores preto, tan, ou preto e tan com marcações. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Fox Terriers são crianças no próprio coração e gostam de brincar com elas, mas eles são muito ativos para uma criança menor de 7 anos de idade. Eles são ásperos, quando estão brincando e as vozes agudas das crianças, pode deixar o Foxy um pouco nervoso. Fox Terriers também podem ser protetores de seus alimentos e brinquedos, o que pode causar problemas.
Fox Terriers pode se dar muito bem com cães ou gatos que foram criados junto com ele desde que eram pequenos, mas os Foxys não são a melhor escolha para casas com animais de estimação, como coelhos, hamsters e cobaias.

Foxhound Inglês

A foxhound inglês, conhecido apenas como foxhound, é uma raça oriunda do Reino Unido e considerada um exemplar do cão de caça moderno. Apesar de tolerante com outros cães e amigável com as pessoas, não é popular como animal de companhia, já que passeios podem virar perseguições à presas, devido a sua velocidade, capacidade de propulsão e o ímpeto de caçar raposas. Com a caça proibida na Grã-Bretanha, seu trabalho perdeu a utilidade e seu futuro tornou-se incerto, embora seja visto como um promissor cão de companhia.

Galgo Espanhol

A galgo espanhol é uma raça conhecida desde a Antiguidade pelos romanos, ainda que existam suposições sobre um surgimento anterior. Descendente de antigos galgos da Ásia, adaptou-se a diferentes temperaturas, o que garantiu sua sobrevivência, já que fora exportado para países do Reino Unido no século XVI. Antecessor dos galgos ingleses e espanhóis, deu-lhes a capacidade de aclimatação. Fisicamente, sua pelagem é fina e curta, longa e dura. É qualificado ainda como de bom tamanho, arqueado e de linhas curtas. Sua estrutura esquelética é compacta, moderadamente longilínea, cuja proporcionalidade é voltada para a harmonia funcional. 

Golden Retriever

O Golden Retriever é um fabuloso animal de estimação para famílias. Ele é amigável, tolerante e inteligência. É um excelente como terapia e ótimo como cão de assistência, além de ser um atléta maravilhoso em esportes para cães que necessite de agilidade e obediência competitiva.

Apresentação da raça Golden Retriever

A raça Golden Retriever é uma das raças mais populares nos EUA. O Golden conquistou toda a América com seu jeito inteligente, sociável, bonito, leal e animado. 
É válido dizer que o cãozinho Golden nunca amadurece ele cresce no tamanho, porém na mente continua sendo um bebezão. Depois de adulto o Golden mantém a personalidade brincalhona de um cachorro mais jovem. 
O Golden Retriever foi originalmente criado para trabalhar recuperando patos e outras aves para os caçadores, devido a isso o Golden possui uma certa energia que precisa ser contida, então, exercícios diários como um passeio, ou um tempo livre no quintal, uma corrida na praia ou no lago farão muito bem a ele. 
E assim, como muitas outras raças inteligentes que foram criadas para trabalho, o Golden precisa ter um trabalho para fazer para que ele não fique entediado, sendo que, um Golden cansado é um Golden bem-comportado. 
O Golden gosta de participar das atividades em família, então é interessante que o tutor inclua seu Golden Retriever nas atividades familiares, pois ele é um cão de família, e gosta sempre de estar por perto. 
Definitivamente o Golden Retriever não é um cão de guarda. Ele até poderá latir quando um estranho se aproximar, mas o mais provável é que ele irá sacudir sua cauda querendo a atenção do indivíduo.

Destaques e Curiosidades da raça

  • Golden Retrievers tem muita queda de pelo na primavera e no outono;
  • O Golden Retriever é um cão de família; Ele precisa viver dentro de casa com sua família humana e não deve passar muitas horas sozinho no quintal;
  • Golden é um cão ativo que precisa de 40 à 60 minutos de exercícios físico diariamente;
  • Goldens amam comer, e isso fará com que ele rapidamente fique com excesso de peso, então o tutor deve estar sempre atento com sua alimentação.

História e Origem da raça Golden Retriever

Há muitos anos atrás, havia uma lenda que dizia que o Golden Retriever era descendente de Sheepdogs russos comprados de um circo. Porém, era só uma lenda, pois na verdade, o Golden Retriever foi desenvolvido na Escócia, na propriedade de Sir Dudley Majoribanks, que ficou conhecido como Lord Tweedmouth, que criava animais de todos os tipos, tentando aperfeiçoar raças distintas. 
Tweedmouth era um caçador de aves aquáticas que queria criar um cão que fosse leal e equilibrado em casa. Assim, entre 1868 e 1871, Tweedmouth tentou até que criou o Tweed Water Spaniel. 
Os Tweed Water Spaniel, que atualmente estão extintos, eram conhecidos por serem cães retrievers ansiosos no campo da caça, e muito calmo e leal no seu momento de descanso, esta característica é encontrada nos Retrievers dourados de hoje.
Tweedmouth cruzou Descendentes de Nousand Belle com Wavy e Flat -Retrievers, que era outro Tweed Water Spaniel, e um Setter vermelho. Com os resultados da cruza o Tweedmouth manteve os filhotes amarelos para continuar seu trabalho de criação e outros filhotes ele presenteou seus amigos e parentes.
Depois de muitas cruzas Tweedmouth conseguiu chegar ao seu cão ideal. E em 1911 o Kennel Club da Inglaterra reconheceu o Golden Retriever como uma raça distinta, porém a raça era chamada de Retriever – Yellow ou Retriever Golden, só em 1920 que o nome da raça foi mudado para Golden Retriever.
Em 1932 o American Kennel Club reconheceu a raça Golden Retriever.

Características e Personalidade

O Golden Retriever é de uma natureza doce, calma e é sempre ansioso para agradar seu tutor. 
Como todo cão, o Golden também precisa de socialização precoce. Então o ideal é que o tutor exponha seu Golden Retriever a muitas pessoas, vistas, sons e experiências diferrentes.
O Golden é um cão muito animado, que ama estar em torno de água. Tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 12 anos, sua altura equivale entre 51 a 61 centímetros; com peso entre 25 a 32 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Golden Retrievers são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Goldens irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;​
  • Displasia do Cotovelo: É uma doença parecida com à displasia da anca. Também é uma doença degenerativa comum em cães de raças grandes. Acredita-se que seja causada por crescimento e desenvolvimento anormal, o que resulta em uma articulação malformada e enfraquecida;
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão;
  • Estenose Aórtica Subvalvular: é um problema cardíaco causado por uma estreita conexão entre o ventrículo esquerdo (fluxo de saída) e a aorta. Pode causar desmaios e até morte súbita;
  • Osteocondrose Dissecans: É uma condição ortopédica, causada pelo crescimento inadequado da cartilagem nas articulações, geralmente ocorre nos cotovelos, mas também já foi observada nos ombros. Esta condição provoca um endurecimento doloroso da articulação, ao ponto de que o cão é incapaz de dobrar o cotovelo;
  • Alergias: A alergia é uma doença comum em cães. Existem três tipos principais: alergias alimentares, que são tratadas por meio da eliminação de certos alimentos da dieta do cão; alergias de contato, que são causadas por uma reação a uma substância tópica, tais como roupa de cama, pós pulgas, xampus para cães, ou outros produtos químicos; e alergias inalantes, que são causados por alérgenos como pólen, poeira ou mofo. O tratamento pode incluir restrições alimentares, medicamentos e mudanças ambientais.
  • Doença do Von Willebrand: é uma doença do sangue que afeta o processo de coagulação. Um cão afetado vai ter sintomas com hemorragias nasais, sangramento nas gengivas, sangramento prolongado da cirurgia, sangramento prolongado durante os ciclos de calor ou após parto, e, ocasionalmente, sangue nas fezes. É normalmente diagnosticada entre três e cinco anos de idade e não pode ser curada. No entanto, pode ser controlada com tratamentos. É uma doença encontrada em cães e humanos;
  • Dilatação Vólvulo Gástrica, Torção gástrica, Bloat: Esta doença potencialmente fatal pode afetar cães grandes, como cães Golden Retriever. Acontece quando os cães só são alimentados de apenas uma grande refeição por dia, quando ao comer fazem com rapidez, quando bebem grandes volumes depois da refeição, ou quando fazem exercícios vigorosos após a refeição;
  • Epilepsia: Golden Retrievers são propensos a ter apreensões epilépticas. Em cães que são afetados, devido a condição é genética ou devido a uma queda ou um golpe duro na cabeça. Se o Golden tem convulsões, deve ser levado ao veterinário para determinar qual tratamento é apropriado. Em muitos casos, a epilepsia pode ser controlada com medicação;
  • Hipotireoidismo: é um disturbio da glâdula tireóide. Os sintonas incluem infecções crónicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Hemangiosarcoma: Esta doença é uma forma muito perigosa de câncer que é originado no revestimento dos vasos sanguíneos e baço. Ocorre mais comumente em cães de meia-idade e idosos;
  • Osteossarcoma: O osteossarcoma é um câncer de osso maligno que é comum em raças grandes e gigantes.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
Golden Retrievers adoram estar ao ar livre, então caminhar ou correr com seu tutor será o maior prazer para ele. 
Como muitas outras raças do retriever, os Goldens são naturalmente uns mordedores,  e são mais felizes quando eles têm algo para carregar em suas bocas: uma esfera, um brinquedo macio, um jornal, já é o suficiente para ele.
Um dos cuidados que os tutores devem ter com seus cães é a socialização desde pequeno. Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Golden Retriever em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

Golden Retrievers têm uma pelagem externo denso, repelente de água com um undercoat grosso. Alguns pelos são ondulados, alguns são lisos. 
A cor da pelagem vêm em todos os tons de ouro, da luz ao ouro escuro. Alguns criadores começaram a tentar vender  Goldens Brancos, mas o American Kennel Club não reconhece branco como uma cor da pelagem para a raça.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Golden Retriever é um cão super amável e não se incomodado nenhum pouco pelo barulho e tumulto que as crianças podem fazer - na verdade, ele adora. Por ser um cão grande e forte, pode facilmente derrubar uma criança pequena sem a intenção. A interação entre crianças e cães devem ser sempre monitoradas para que nada de errado aconteça. 
A relação de um Golden Retriever com outros animais de estimação é ótima. O Golden adora a companhia de outros cães

Grande Boiadeiro Suíço

A raça Grande Boiadeiro Suíço é de um cão robusto, musculoso, resistente e ágil. Ele é classificado como um cão gigante, além de ser um cão multifuncional que sempre auxiliava seu tutor.

Apresentação da raça Grande Boiadeiro Suíço

O Grande Boiadeiro Suíço se originou na Suíça e auxiliava seus tutores com o gado, além de serem utilizados como animal de tração, eles puxavam carroças leiteiras das fazendas aos mercados.

Destaques e Curiosidades

  • A raça Grande Boiadeiro Suíço foi oficialmente reconhecida no século XX.

História e Origem da raça Grande Boiadeiro Suíço

Em 1908, em Langenthal, dois cães da raça Boiadeiro Bernês de pelo curto foram apresentados para um grande criador da raça Grande Boiadeiro Suíço, Prof. Albert Heim. 
Ele reconheceu os cães como sendo representantes do desaparecido Grande Cão Montanhês. No passado os ancestrais do Grande Cão Montanhês foram espalhados pela Europa e foram criados para guarda, tração ou como cães boiadeiros. 
O Clube do Grande Boiadeiro Suíço foi fundado em 1912, com o intuito de promover a raça e torná-la pura. O primeiro padrão foi publicado pela FCI. Atualmente esses cães são criados em outros países da Europa e são muito apreciados como cães de família pela sua calma e temperamento confiável.

Características e Personalidade

O Grande Boiadeiro Suíço é o típico cão auto-confiante, alerta, atento e destemido. É de boa natureza e devoto aos membros de sua família, porém com estranhos é totalmente desconfiado.
O Grande Boiadeiro Suíço tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 11 anos, sua altura equivale entre 60 a 72 centímetros, com peso entre 50 a 70 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Os cães da raça Grande Boiadeiro Suíço são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Grandes Boiadeiros Suíços irão sofrer de qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.
Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Grande Boiadeiro Suíço fique sempre saudável.
A alimentação adequada, depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro. Tenha o hábito de alimentar seu Grande Boiadeiro Suíço duas vezes ao dia.

Pelagem

O Grande Boiadeiro Suíço possui uma pelagem dupla. A pelagem externa é grossa e com tamanho médio e um subpelo denso. 
A cor da pelagem é tipicamente tricolor. 

Relacionamento com crianças e outros animais

Devido ao seu tamanho, o Grande Boiadeiro Suíço é ideal para famílias com crianças mais velhas, que tem a noção de como se relacionar com cachorro.
Quanto a outros cães e outros animais, se forem socializados e crescidos juntos desde pequenos eles poderão se dar bem.

Página 9

Grande Münsterländer

A grande munsterlander é uma raça criada por razões estéticas já que antigamente o kennel club alemão estipulou como padrão a cor chocolate para os bracos de pêlo longo. Dessa decisão, criadores de Munster decidiram criar seu próprio clube, no qual poderiam desenvolver animais na tonalidade preta invés da chocolate. De adestramento considerado fácil, e de personalidade classificada como dócil e por vezes teimosa, está tornando-se cada vez mais popular fora de seu país de origem, mais especificamente no Reino Unido. Entre as peculiaridades que envolvem esta raça, está a falta de parentesco com o pequeno munsterlander, apesar dos nomes confundirem.

Greyhound / Galgo inglês

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Galgo inglês que é uma raça canina oriunda do Reino Unido, também conhecida por ser a mais rápida do mundo, chegando a atingir os 72 km/h. Sua origem é antiga e ainda incerta: seus ancestrais, entre eles a provável presença do pharaoh hound, teriam vivido no Oriente Médio e na Ásia nos idos de 7 000 a.C. Estabelecida como raça na Grã-Bretanha durante o período saxônico, é uma raça que foi inicialmente usada para caçar lebres, agora conhecida internacionalmente como atlética em virtude de seu físico aerodinâmico. Bastante usados nas corridas de apostas, muitos cães são abandonados em abrigos quando incapazes de correr. Fisicamente seus exemplares podem chegar a pesar 32 kg e medir 76 cm; sua pelagem é descrita como fina e sedosa, variando entre o preto, o branco, o vermelho e o tigrado, além do fulvo e das formas bicolores. Já sua personalidade é qualificada como calma, o que o torna um apreciado cão de companhia, ainda que seu adestramento seja classificado como de dificuldade moderada.

Griffon Belga

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Griffon belga que é uma raça distinta do pequeno brabançon e do griffon de Bruxelas em sua terra natal, apesar de tratadas como a mesma em outros países. Originalmente rateiros, passaram ao posto de cães de companhia, em parte devido a seu temperamento classificado como dóci e tolerante com crianças e outros animais. O belga, resultante dos cruzamentos entre o griffon d'écurie e o spainel inglês no século XIX, perdeu seu instinto de caçador de ratos e adquiriu um porte visto como elegante, de pêlo curto e duro.

Griffon de Bruxelas

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Griffon de Bruxelas que é uma raça de cães miniatura nomeada pela cidade de sua origem, Bruxelas, na Bélgica. Em sua terra natal é tratada como raça distinta de seus parentes, os griffon belga e brabançon, embora em alguns outros países estes três caninos sejam vistos como uma única raça. De função inicial rateira (caçador de ratos), tornou-se cão de companhia descrito dócil e tolerante com outros cães.

Fisicamente, o griffon de Bruxelas possui uma pelagem mais longa e dura que os outros griffons, resultado dos cruzamentos seletivos entre variadas raças, incluído o yorkshire terrier, de pelagem alongada e lisa. Essa pelagem dá ao griffon de Bruxelas a vantagem de resistir a climas mais frios e a neve embora não seja eficiente sob temperaturas rigorosas. Podendo chegar aos 5,5 kg e medir 20 cm, tem o seu adestramento considerado de dificuldade moderada.

Husky Siberiano

O Husky Siberiano é um cão muito bonito com uma pelagem grossa que vem em muitas cores. Seus olhos azuis ou quando ele vem cada um de uma cor e seus traços faciais impressionam a todos, por isso é fácil perceber por que muitos são atraídos pelo lobo Siberiano, porém este cão de bobo não tem nada. Ele é atlético e inteligente, é independente e desafiador.

Apresentação da raça Husky Siberiano

O Husky Siberiano consegue capturar a imaginação de todos, tanto artistas, quanto escritores e produtores de filmes são enfeitiçados pelo seu olhar atraente e pelo seu talento.
O Husky foi criado para ser cães de trenó, alguns ainda até hoje são usados para exercer esta função.  
Muitas pessoas ficaram apaixonadas devido a sua natureza e o orgulho selvagem dos Huskies. Sua beleza muitas vezes leva as pessoas a comprá-los, desconhecem as suas características difíceis, pois o Husky não é uma raça para todos.
Huskies são cães notáveis que possuem poder e atletismo. Sua capacidade de aprender é surpreendente. Eles são inteligentes, independentes e afetuosos com todos.  
O Husky não é um cão agressivo e geralmente ele fica bem em casas com vários cães. Ele é ótimo com crianças e irá acolher todos em sua casa, até mesmo os intrusos.
Assim como todas as raças, os cães de caça tipo os Huskys precisam de treinamento de obediência. A maior cautela sobre que tutores devem ter com um Husky Siberiano é a sua reputação de ser um mega artista de fuga. Se tiver uma oportunidade ele irá escapar e se afastará de casa sempre se possível.

Destaques e Curiosidades

  • Husky Siberiano não é um cachorro para apartamento, porém se ele for devidamente treinado ele até poderá se sair bem morando em um apartamento;
  • Os Huskys são artistas de fuga. Eles podem pular cercas, e conseguem encontrar qualquer outra maneira de escapar;
  • Se ele for deixado dentro de casa por muito tempo sozinho, ele poderá se tornar destrutivos, ou seja, ele poderá destruir a casa e causar muitos danos. Se ele for deixado muito tempo sozinho no quintal ele irá cavar jardas e jardins;
  • O Husky Siberiano gosta de uivar, porém raramente ele irá latir não irá alertas caso alguém chega em sua casa. Isso torna o Husky um cão de guarda inadequado;
  • O Husky Siberiano é um cão muito curioso, então ele é proénso a se machucar ou ficar perdido enquanto estiver explorando algo novo;
  • O Husky Siberiano é descrito por ser carinhoso e de boa natureza. Ele se dá super bem com crianças, pessoas e vive bem em casas com vários cães;
  • Por possuir uma beleza distinta, o Husky Siberiano é uma das raças mais compradas do jeito errado.

História e Origem da raça Husky Siberiano

Acredita-se que o Husky Siberiano é de origem Chukchi, uma tribo de nómadas de Siberianos.
A história da raça é desconhecida, mas testes de DNA confirmaram que os Huskys Siberianos estão entre as raças de cães mais velhas que existe.
Estudiosos relatam que o Chukchi usava cães como transporte rápido e os cães interagiam com eles como se fosse da família. Muitas vezes o Husky dormia com as crianças e se fazia de quentes e confortáveis para elas.
Em 1908, Huskys Siberianos foram importados para o Alaska e durante a corrida do ouro foi usado como cães do trenó.
Registros indicam que em 1930, o último Husky foi exportado de Sibéria. Porém a raça começou a prosperar na América do Norte, sendo conhecida neste mesmo ano pelo American Kennel Club.
Em 1938, foi fundado o Clube Siberiano da América e o Husky Siberian foi reconhecido pelo Canadean Kennel club em 1939.

Características e Personalidade

O Husky Siberiano é uma raça com muita energia que pode ser destrutiva tanto dentro quanto fora de casa, isso acontece caso ele se senta entediado ou se não gastar sua energia de forma adequada.
Se ele for deixado sozinho por muito tempo, ele irá procurar o que fazer, então se ele estiver dentro de casa, brincará com as coisas que estiver dentro da casa. Se ele estiver no quintal, ele brincará com o jardim.
Porém, o Husky Siberiano pode ser um cão muito charmoso com sua natureza travessa, social e brincalhona.
A boa notícia é que o Husky Siberiano é um cão que não late muito, mas ele gosta muito de uivar, o que pode deixar os vizinhos nervosos.
Por mais que o Husky é um cão adorável por ser amigável e gentil, ele é um péssimo cão de guarda. Ele é tão amável que infelizmente não consegue suspeitar de estranhos, para ele, todos são amigos.
O Husky Siberiano tem uma expectativa mínima de vida de 12 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 51 a 60 centímetros, com peso entre 15 a 28 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Huskys Siberianos são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Huskys irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Cataratas:  Assim, como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Distrofia Corneal: Esta doença afeta a córnea ou a parte externa transparente do globo ocular. É causada por uma coleção de lipídios na córnea;
  • Atrofia Progressiva da Retina: Trata-se de uma doença nos olhos que envolve a deterioração progressiva da retina. No início da doença, os cães perdem a vista durante o dia, conforme a doença se avança, acaba tendo a perda da visão.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
É necessário que o Husky faça exercícios de 30 a 60 minutos diariamente. Eles são excelentes companheiros para uma caminhada, que não deve ser praticada no tempo muito quente. Para que sua energia seja gasta, ele precisa apenas de um quintal pequeno e seguro.
Um dos cuidados que os tutores devem ter com seus cães é a socialização desde pequeno. Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Golden Retriever em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O Husky Siberiano possui uma pelagem dupla com comprimento médio. Uma casa que tem um Husky usará muito um aspirador de pó, pois o Husky tem muita queda de pelo principalmente durante o outono, quando venta muito.
Porém o Husky é um cão bastante fácil de cuidar. Para os cães que moram em temperaturas mais frias tendem a ter uma menor queda de pelo do que aqueles que moram em temperaturas mais quentes.
A pelagem do Husky Siberiano vem em muitas cores. É encontrado Huskys de preto para branco puro com marcações coloridas no corpo que incluem vermelhos e cobre. Os olhos do Husky podem ser marrons, azuis, ou uma combinação de ambas as cores. 

Relacionamento com crianças ou outros animais

O Husky Siberiano é um excelente animal de estimação para famílias com crianças. Ele pode ser bastante tolerante com crianças, mas como com todos os outros cães, a interação entre o Husky e crianças devem ser sempre supervisionada para que não aconteça nada de errado.
Com outros cães, o Husky Siberiano se dá muito bem, mas ainda é importante que o Husky seja socializado e treinado desde pequeno, pois por mais que ele seja amigável com estranhos e se dá bem com outros cães, o processo de socialização precoce é fundamental para que o cão se torne um cão adulto amigável.

Irish Soft Coated Wheaten Terrier

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça soft coated wheaten terrier (em inglês: Irish Soft Coated Wheaten Terrier) foi uma das raças prediletas dos camponeses europeus no século XVII, usada posteriormente para caça, pastoreio e guarda. Este cão é considerado o terrier mais dócil e menos agressivo de todos, embora tenha gosto por perseguir pequenos animais. De adestramento considerado moderado, é popular nas casas da América do Norte. Chegando a atingir 21 kg, costumam ter até dez filhotes por ninhada, o que lhe garante uma população numerosa.

Jack Russell Terrier

O Jack Russell Terrier também conhecido como Parson Russell Terrier foi desenvolvido na Inglaterra há mais de 200 anos atrás para caçar raposas. O Jack Russellé um cãozinho inteligente, independente, muito animado, encantador e carinhoso. É um excelente companheiro para famílias.

Apresentação da raça Jack Russell Terrier

O Jack Russell Terrier foi desenvolvido para caçar raposas no sul da Inglaterra há 200 anos atrás. Parson John Russell, "Jack" para os mais íntimos, queria um cão de caça eficiente e decidiu desenvolver exatamente o cão que ele tinha em mente.
O resultado foi um cão atrevido e atlético que ganhou muitos admiradores com sua rapidez, inteligência, determinação e intenso desejo de caçar. 
O Jack Russell Terrier, também chamado de Parson Russell Terrier, é um dos favoritos entre proprietários de cavalos, admiradores de esportes de cães, treinadores de animais para cinema e televisão e pessoas que simplesmente apreciam sua personalidade destemida.
O Jack Russell possui muitas qualidades que o torna um cão ideal para famílias. Ele é dedicado ao seu tutor e sua família e adora participar e estar sempre com eles. A herança que ele herdou de seus ancestrais caçadores faz do Jack um excelente companheiro de caminhadas. 
Porém, com seu jeito todo destemido sempre o coloca em perigo, pois o Jack Rusell possui muita energia e não se sentirá satisfeito com uma simples caminhada redor até a esquina. Ele adora correr, pular e brincar, o ideal é exercitar o Jack Russell de 30 a 45 minutos diários.
Tutores de Jack Russell devem ficar sempre atentos, pois este cão é totalmente um artista, se tiver uma brechinha ele irá escapar. 

Destaques e Curiosidades da Raça

  • O Jack Russell, assim como muitos outros terriers, gosta de cavar e em um curto espaço de tempo, ele poderá fazer um grande buraco. O ideal é treiná-lo para em uma área específica;
  • Na casa em que vive um Jack Russell Terrier deve ter um quintal com segurança cercada para que ele tenha espaço para jogar e gastar toda sua energia;
  • O Jack Russell não é o tipo de cachorro para apartamentos; 
  • Se o Jack Russell não for socializado, treinado e ensinado a conviver com outros cães ele poderá ser um agressor nato;
  • O Jack Russell prospera e fica feliz quando ele está perto de sua família;
  • Jacks são ótimos saltadores, ele poderá subir em cima de qualquer coisa e em seguida saltar;
  • O Jack Russell tem um nível de energia muito elevado é um cão muito ativo tanto dentro quanto fora de casa. Ele necessita de várias caminhadas por dia, ou muitos jogos no quintal.

História da raça Jack Russell Terrier

O Jack Russell Terrier foi desenvolvido no sul da Inglaterra pelo caçador Parson John Russell. Parson queria criar um cão que trabalharia como cão de caça, ajudando ele a caçar raposas, tirando-as de suas tocas para que outros cães pudessem persegui-las.
O Jack Russell tornou-se o cão favorito de muitas pessoas. A raça passou a ser conhecida nos EUA na década de 1930, e muitos clubes da raça passar a divagar opiniões diferentes sobre a aparência do Jack, sobre sua capacidade de trabalho e se ele deveria competir em shows ou permanecer sendo um cão de trabalho.
O Clube da América do Jack Russell Terrier mantém um registro independente e considera o Jack um cão de caça, mas a Associação da América do Jack Russell Terrier procurou reconhecimento pelo American Kennel Club, que só foi concedido em 2000. Para diferenciar os cães registrados no American Kennel Club dos cães registrados pela Clube da América do Jack Russell Terrier, o AKC renomeou a raça com o nome de Parson Russell Terrier.

Características e Personalidade da raça

O Jack Russell possui várias personalidades em seu corpo pequeno. Ele é enérgico, espirituoso, dedicado e super divertido. Ele é muito inteligente, possui uma natureza obstinada, é bastante amigável em relação às pessoas, porém ele pode ser agressivo em relação a outros cães e qualquer animal que possa se assemelhar a presas, incluindo gatos. Além disso possui uma natureza destemida que sempre o coloca em risco quando decide enfrentar um cão maior.
Como todos os cães, o Jack Russell também precisa de uma socialização precoce, assim, o tutor deve expor seu Jack a pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes. 
O Jack Russell tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 23 a 30 centímetros; com peso entre 5 a 6 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Jack Russells são geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Jacks irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Sindrome de Legg-Calvé Perthes ou Doença de Perthes: Geralmente também é uma doença que dá em raças pequenas. É causada por uma deformidade da bola da articulação do quadril. Quase sempre acontece entre 6 e 9 meses de idade e as vezes é confundida com displasia da anca. Essa deformidade provoca desgaste e artrite;
  • Surdez: Perda de audição;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar;
  • Glaucoma: É uma doença bastante dolorosa que faz a pressão do olho ficar anormalmente alta. Os olhos constantemente produzem e drenam um fluido chamado humor aquoso. Se este fluido não drenar corretamente, a pressão dentro do olho aumenta, podendo resultar em perda de visão e cegueira;
  • Luxação da Lente: É quando a lente do olho é deslocada e o ligamento que a mantém no lugar se deteriora. É às vezes tratável com medicação ou cirurgia, mas em casos graves o olho pode precisar de ser removido.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o cãozinho fique sempre saudável.
O Jack Russell ama as pessoas que, ele deve morar dentro de casa com a sua família e ter acesso a um quintal cercado onde ele possa queimar sua energia. 
O tutor deve sempre andar com seu Jack na coleira para impedi-lo de perseguir outros animais, desafiar cães maiores e correr na frente dos carros. 
Para que o Jack consiga extravasar sua energia o tempo ideal para ele é de 30 a 45 minutos de exercícios diariamente.
Um dos cuidados que os tutores devem ter com seus cães é a socialização desde pequeno. Quanto à alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Mantenha seu Jack Russell Terrier em boa forma, alimente-o sempre duas vezes ao dia.

Pelagem

O Jack Russell Terrier vem em dois tipos de pelagem: liso e quebrado (não é encaracolado e nem ondulado). Ambos os tipos têm uma pelagem dupla com uma textura grossa. A pelagem quebrada é mais longa com apenas um toque de sobrancelhas e uma barba. 
A cor da pelagem do Jack pode ser branca, branca com marcas pretas ou bronzeadas, ou tricolor (branco, preto e bronzeado). O branco no corpo ajuda o caçador a ver o cão no campo.

Relacionamento com crianças e outros animais

O cãozinho Jack Russell é carinhoso e muito afetuoso, ele é ótimo em casas com crianças mais velhas que entendem como deve se interagir com cães. Já para casas com crianças pequenas não é aconselhável que tenham um Jack.
Em relação a outros cães, especialmente cães do mesmo sexo o Jack Russell pode ser um tanto agressivo. Quanto a gatos e outros animais pequenos, não é aconselhável que os deixam juntos interagindo sem alguém por perto, pois por ter instinto caçador o Jack poderá persegui-los.

 

 

Kerry Blue Terrier

O Kerry Blue Terrier é um cão oriundo do condado de Kerry, na Irlanda, onde foi criado para caçar pequenos animais como pássaros, matar roedores e cuidar dos rebanhos de ovelhas e gado. Inteligente e corajoso, ele se tornou um amável animal de estimação, exibindo uma devoção feroz para sua família.

Apresentação da raça Kerry Blue Terrier

É um cão que faz parte da classe trabalhadora e é definitivamente todo um terrier: alerta, engenhoso, muscular e sempre pronto para a ação. A característica que mais define os cães dessa raça é pelagem pois possui a cor azul, com uma tonalidade cinza. 
O Kerry Blue Terrier é tipicamente bondoso com pessoas de todas as idades, incluindo as crianças. Ele é um excelente cão de família que gosta de participar de todas as atividades da família sendo mais feliz quando está com as pessoas que ama. Ele é um bom cão de guarda também, pronto para alertar seu tutor de intrusos ou qualquer outra coisa fora do comum.
Uma boa criação, combinada com a socialização adequada e um bom treinamento, não permitirá que o cão se torne agressivo.
O Kerry Blue é um cão leal e afetuoso com sua família, sendo ao mesmo tempo forte e muito querido. Ele é o tipo de cão que necessita de uma grande quantidade de exercícios diários.
Não é nada difícil ser cativado por este cão orgulhoso da Irlanda que possui uma pelagem azul-cinza. No entanto, ao considerar ter um Kerry Blue, é importante perceber que ele tem muitos traços semelhantes a todos os terriers: o amor em cavar e muita atitude.

Destaques e Curiosidades

  • O Kerry Blue Terrier é um cão amigável com pessoas, porém, possui uma aversão com outros cães. Ele pode ser agressivo e briguento. O tutor deve estar sempre de olho quando seu Kerry estiver em público;
  • Assim como todos os terriers, o Kerry Blue adora cavar, perseguir, mastigar e às vezes latir bastante;
  • Kerry Blue Terrier é uma raça ativa que precisa de muito exercício, todos os dias. Um quintal para o cão brincar é o melhor, combinado com caminhadas diárias será perfeito.

História e Origem da raça Kerry Blue Terrier

A área montanhosa do Condado de Kerry, na Irlanda, é o berço do Kerry Blue Terrier. Foi criado para ser um cão de trabalho, onde caçava animais pequenos e pássaros, matando roedores e fazendo a guarda das ovelhas e do gado.
 Não se sabe realmente quem levou o primeiro Kerry Blue para os Estados Unidos. Muitos acreditam que o primeiro Kerry Blue que apareceu nos EUA foi em uma mostra de Westminster em 1922, depois disso a raça foi reconhecida oficialmente pelo American Kennel Clube em 1924. 
Mais adiante nos anos de 1900, o patriota irlandês Michael Collins introduziu a legislação para nomear o Kerry Blue Terrier o cão nacional da Irlanda.

Características e Personalidade

O Kerry Blue Terrier é um cão independente, atlético e enérgico. Como a maioria dos terriers, ele é propenso a cavar, perseguir e latir. 
É um cão ativo e por isso necessita de bastante exercícios, tanto mental quanto físico. Ele não deve ser deixado sozinho por longos períodos de tempo. Se isso acontecer é provável que ele fique entediado, o que leva aos comportamentos destrutivos. O treinamento é essencial para ensinar-lhe as boas maneiras caninas. 
O temperamento é afetado por vários fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Assim como todo cão, o Kerry Blue precisa de socialização precoce, então o tutor deve expor seu cão a muitas pessoas, paisagens, sons e experiências diferentes.
O Kerry Blue Terrier tem uma expectativa mínima de vida 13 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 44 a 51 centímetros, com peso entre 15 a 18 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

O cão Kerry Blue Terrier é geralmente saudável, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Kerriers Blue Terrier irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Entropião: É uma doença em que os cílios voltam para dentro e se esfregam contra o olho, causando irritação. Pode exigir cirurgia para corrigir;
  • Hipotireoidismo: é um distúrbio da glândula tireoide. Os sintomas incluem infecções crônicas do ouvido, infecções bacterianas da pele, perda de cabelo, letargia e depressão. Podendo ser tratada com medicação e dieta;
  • Cistos da pele: Não é incomum para o Kerry Blue desenvolver caroços e inchaços, geralmente cistos epidérmicos ou cistos de glândula sebácea que não causam um problema. Se um cisto se rompe, no entanto, ele pode ficar infectado;
  • Câncer: Os sintomas que podem indicar câncer canino incluem inchaço anormal de uma ferida ou inchaço, feridas que não cicatrizam, hemorragias a partir de qualquer abertura corporal e dificuldade em respirar. Tratamentos para o câncer incluem quimioterapia, cirurgia e tratamentos;
  • Queratoses: É o desenvolvimento de calos, verrugas e calos nos pés ou nariz. Muitas vezes dolorosas, que podem ser herdados e estão associados com almofadas finas ou pés planos. Queratoses podem ser removidos cirurgicamente ou tratados com antibióticos e corticosteroides; 
  • Cataratas: Assim como nos seres humanos, a catarata canina é caracterizada por manchas nebulosas na lente do olho que podem crescer com o tempo. A catarata pode ser desenvolvida em qualquer idade, pode tanto não prejudicar a visão, quanto causar perda de visão severa;
  • Olho seco: Esta doença é causada quando a produção natural de lágrimas é inadequada. Os sinais são aparência seca ou neblina azul para o olho;
  • Otite Crônica Externa: Trata-se de uma infecção crônica do canal auditivo externo, muitas vezes causada por excesso de pelos no ouvido que promove o crescimento bacteriano e fúngico;
  • Abiotrofia Neuronal Progressiva: Trata-se de uma doença nervosa hereditária rara. Os sintomas geralmente aparecem quando o cão está entre 2 e 6 meses de idade;
  • Displasia da Anca: É uma doença hereditária em que o fêmur não se encaixa confortavelmente na articulação do quadril, causando dor e claudicação;
  • Luxação Patelar ou Luxação da Patela: É um problema comum em cães de pequeno porte. É causada quando as partes da patela não estão devidamente alinhados, ou seja, quando o fêmur (osso da coxa), a patela (rótula) e a tíbia (panturrilha) não estão alinhados. Isso faz o cãozinho ter incômodos ao caminhar; 
  • Deficiência de Factor Xl (Deficiência Antecedente de Tromboplastina Plasmática): Trata-se de uma anomalia de coagulação sanguínea hereditária rara caracterizada por hemorragia grave após cirurgia ou trauma.

Deixando um pouco de lado os probleminhas de saúde, alguns cuidados relevantes também são muito importantes para que o Kerry Blue Terrier fique sempre saudável.
O Kerry Blue Terrier é um cão poderoso, ágil e atlético que requer exercício físico regularmente. A caminhada diária é ótima para manter os tônus muscular e irá fornecer a estimulação necessária e socialização para mantê-lo mentalmente alerta. O Kerry Blue que vive em um apartamento ou condomínio exige pelo menos três caminhadas diárias.
O Kerry tem uma mente própria e exige um tutor firme, mas amoroso. Ele instintivamente quer agradar, e com reforço positivo e louvor, aprende rapidamente e apesar de sua tenacidade, ele é surpreendentemente sensível.
Quanto a alimentação adequada depende muito do tamanho, idade, metabolismo e nível de atividade. Os cães são indivíduos assim como as pessoas, e nem todos eles precisam da mesma quantidade de alimento.
A qualidade da ração também faz a diferença. O ideal é comprar uma ração que irá nutrir o cachorro.
Tenha o hábito de alimentar seu Kery Blue Terrier duas vezes ao dia.

Pelagem

A pelagem do Kerry Blue Terrier é macia, densa e ondulada. A pelagem precisa de manutenção elevada então deve-se escovar diariamente, além de aparar e dar banho no Kerry a cada quatro a seis semanas.

Relacionamento com crianças e outros animais

O Kerry Blue Terrier ama crianças, ele é de boa-natureza, e normalmente não é bruto com as crianças.
O Kerry é tanto mal-humorado, até mesmo agressivo, com outros cães, embora com socialização e treinamento isso pode melhorar. Ele não é nem um pouco afeiçoado por animais pequenos. Seu instinto lhe diz para prossegui-los. A melhor maneira de garantir que ele vai se dar bem com gatos ou pequenos mamíferos é a criação desde pequenos. Depois disso, uma supervisão próxima é aconselhada.

Komondor

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça Komondor que é uma raça de cão pastor originária da Hungria. De origem incerta, especula-se que este cão tenha pertencido aos magiares, antigo povo húngaro, que usavam destes caninos para o pastoreio de ovelhas, já que, de pelagem branca e densa, eram facilmente confundidos com as ovinas por ursos e lobos. Supostamente levado ao país pelos cumanos por volta do século IX, este animal possui como significado de seu nome aquele "pertencente aos cumanos" (em húngaro: quman-dur) e é descendente do mastim tibetano. Por seu tamanho e descrita bravura, foi empregado satisfatoriamente como cão de guarda.

Fisicamente, é um cão de porte grande, cuja aparência e rústica, com pelagem comprida, macia e densa, formando fios emaranhados. Seu corpo é robusto e musculoso, embora isso não reduza sua agilidade. De ossos e patas fortes, possui uma cauda longa e pode chegar a medir 80 cm e pesar 60 kg. Estes cães são ainda classificados como independentes e inteligentes, embora não se adaptem bem a vida urbana.

Kuvasz

O Mercado Dog efetou várias pesquisas para explicar um pouco sobre a raça kuvasz que é uma raça de cão pastor usada durante anos como guarda de rebanhos de ovelhas. Acredita-se que ele se escondia entre as ovelhas e, por ter o pelo muito parecido com o delas, enganava predadores, o que permitia o ataque surpresa. Este canino é descendente de raças originárias do Tibet e seu nome deriva do turco kawasz, que significa "guarda armada dos nobres". Os cães desta raça são descritos como fortes, grandes e detentores uma pelagem dupla de ondulada a lisa e branca. Sua aparência é ainda classificada como agradável aos olhos, que irradia nobreza e força. Foi usado durante séculos como guarda de rebanhos, protegendo-os de lobos e ursos, e como companhia. Chamado de guarda excepcional, adquiriu este adjetivo devido a sua iniciativa, já que é capaz de agir sem receber instruções. Suas estruturas óssea e muscular são fortes e delgadas e suas articulações revelam contornos bem delineados. Sua personalidade é dita devotada, leal, determinada e de temperamento bastante equilibrado. Apesar de alerta, é um animal que tem por preferência não latir. Entre suas principais características psicológicas está o fato de, para ser um cão de guarda, não precisar de adestramento. Já entre as físicas, está a sua pelagem, que é descrita como auto-limpante. De porte grande, pode atingir os 75 cm e pesar 62 kg.Conforme o livro 9 da série Operação Cavalo de Tróia, Caná, do autor J. J. Benítez, essa ração de cão era a raça dos dois cães que, na história, perteceram a Jesus de Nazareth.

Página 10

Labrador Retriever

O Labrador Retriever é um amigável companheiro. Anos e anos atrás ele era um excelente auxiliar para pescadores. Ele ajudava a transportar redes, buscar cordas e recuperar peixes do Atlântico Norte. O Labrador Retriever de hoje possui uma natureza boa similar à de seus antepassados. É a raça mais popular da América. Atualmente o Labrador tem trabalhado como cão de assistência aos deficientes, competidores de esportes para cães, cão de busca e de salvamento, entre outros trabalhos caninos.

Apresentação da raça Labrador Retriever

O Labrador Retriever é a raça número um da América registrada no American Kennel Club, ele caracterizado por ser um companheiro leal, esperando pacientemente pelo seu tutor.
O Labrador é um cão muscular e atlético. Ele tem uma pelagem curta e fácil de cuidar. É um cão amigável, amoroso, inteligente e possui muita energia. 
A raça Labrador Retriever é de origem canadense, mais precisamente da ilha de Newfoundland, da costa atlântica do nordeste do Canadá. Ele foi criado para ajudar os pescadores locais com algumas tarefas, bem como sendo um cão de família.
Atualmente, a maioria dos Labradores não exercem mais o trabalho duro e passam os seus dias sendo amados e mimados por sua família. 
O Labrador possuir uma natureza doce, é um excelente cão de terapia, possui uma inteligência tão ampla que o torna o cão ideal de assistência para os deficientes. Ele também ajuda trabalhando como cão de busca e salvamento ou como um retriever para caçadores.
 Por ter uma boa construção atlética, um nariz forte e uma natureza corajosa, faz do Labrador um ótimo competidor em esportes para cães, ele é ótimo em esportes que necessita de agilidade e obediência.
Porém o Labrador não pode ser um cão de guarda, pois é um cão muito doce e não vê maldade em estranhos.

Destaques e Curiosidades

  • Labrador Retriever ama comer, se deixar ele irá comer até não aguentar mais. Se um Labrador comer uma quantidade alta de comida todos os dias, 
  • O Labrador foi criado para exercer trabalhos fisicamente exigentes, e eles têm a alta energia que vai junto com ser uma raça de trabalho. Eles precisam de pelo menos 30 a 60 minutos de exercício por dia. Sem ela, eles podem liberar sua energia reprimida de maneiras destrutivas, como ladrar e mastigar;
  • O Labrador possui uma reputação muito boa, porém, várias pessoas pensam que não é necessário socializá-lo e treiná-lo. Porém, os Labradores são cães grandes, cheios de energia, e assim, como todos os cães, eles precisam aprender os bons costumes caninos;

História e Origem da raça Labrador Retriever

Os Labradores Retrievers são de origem canadense, mais precisamente da ilha de Newfoundland, costa atlântica do nordeste do Canadá. Os então cães chamados de cães de St. John, eram companheiros e ajudantes dos pescadores que viviam naquela região.
Os Labradores passavam os dias trabalhando ao lado de seus tutores, recuperando peixes que haviam escapado dos ganchos, quando terminavam suas tarefas, pescadores e cães voltavam para casa para passar a noite com a família.
Por mais que o labrador tenha sua origem exata um tanto desconhecida, estudiosos acreditam que o cão de St. John foi cruzado com o cão de Terra Nova e outros pequenos cães locais.
Muitos forasteiros notaram a utilidade e boa disposição do Labrador, e logo se interessaram por eles, importando alguns Labradores para a Inglaterra para que eles pudessem ajudar na caça. 
Em 1880, os labradores foram quase extintos, para que isso não acontecesse alguns fãs ingleses da raça começaram a criar Labradores para tentar a salvação da raça.
Em Newfoundland, a raça começou a desaparecer devido a algumas leis e restrições governamentais. As famílias passaram a ter permissão de ter apenas um labrador. Se alguma família possuía uma fêmea e está tivesse filhotes, a ninhada era totalmente sacrificada.
Porém, na Inglaterra a raça sobreviveu, e em 1903, o Kennel Club reconheceu o Labrador Retriever como uma raça distinta. Em 1917 o American Kennel Club também reconheceu a raça.
Depois da II Guerra Mundial a raça passou a ter realmente uma popularidade em 1991, o Labrador Retriever tornou-se o cão mais popular registrado no American Kennel Club. Hoje, os Labradores Retrievers trabalham na detecção de drogas e explosivos, na busca e no salvamento, na terapia, e assistência a deficientes, além de serem destaques em esportes voltados para cães. 

Características e Personalidade

O Labrador Retriever é um cão dócil, extrovertido, ansioso para agradar, e amigável com as pessoas e outros animais.
Ele possui uma inteligência e uma ânsia de sempre agradar. Por mais que o Labrador seja um cão dócil, a socialização e o treinamento é muito necessário. A raça tem muita energia e exuberância. 
O labrador está sempre ativo, por isso ele precisa de atividade, física e mental, para mantê-lo feliz. 
O Jack Russell tem uma expectativa mínima de vida de 10 anos e máxima de 15 anos, sua altura equivale entre 23 a 30 centímetros; com peso entre 5 a 6 quilos.

Saúde, Cuidados e Alimentação

Labradores Retrieverssão geralmente saudáveis, mas como todas as raças, também é uma raça propensa a certas condições de saúde. Nem todos os Labradores irão obter qualquer ou todas as doenças de cachorros, mas é importante estar cientes delas.

  • Displasia da anca: É uma formação anormal de encaixe do quadril que podem causar dor e claudicação;